Estudantes brasileiros denunciam ‘xenofobia’ em Universidade de Medicina no Paraguai

Post enviado em grupos de whats app ataca faculdade de medicina

Lile Correa*

Estudantes brasileiros de medicina da Universidade Sudamericana, de Pedro Juan Caballero no Paraguai, estão chamando a atenção nos Grupos de Whats App com um alerta contra “xenofobia e uma lista de irregularidades que estaria acontecendo”.

A Radio Líder FM 104,9 de Ponta Porã conversou com os representantes da AUMEF – Associação dos Universitários de Medicina da Fronteira, da FUE – Frente Unica dos Estudantes e Direção da Faculdade Sudamericana para apurar as denuncias sobre o post enviado nos grupos de whats app na fronteira do Mato Grosso do Sul, Ponta Porã e Pedro Juan Caballero (Paraguai).

O presidente da AUMEF, Marcelo Resende informou que ” Não sei até que ponto isso é verdade.
Tentei buscar o autor da ação mas ninguém sabe quem é. Esse post não tem identificação. Tá parecendo alguém querendo queimar a instituição. A principio só isso. Ainda não vi fundamento nem identificamos o autor para que possamos esclarecer o caso. É um aluno da UNIVERSIDAD CENTRAL DEL PARAGUAY que está publicando em diversos grupos do wattsap”. Marcelo Resende manteve contato com “um delegado da turma de alunos da Sudamericana. Ele tem acesso direto a administração da Universidade, ele me informou que até agora a Faculdade não recebeu nenhuma intimação e desconhece o caso. Só boatos. Nada oficializado”.

O presidente da FUE – Frente Unica dos Estudantes, acadêmico Denis prometeu visitar a Líder FM para falar sobre o caso “Bom fui pego de surpresa hoje com essa noticia! Uma bomba!”

Uma estudante confirmou a Radio Líder que uma colega foi coagida por uma funcionaria da Faculdade a sair da sala de aula aonde estava fazendo prova por estar com a mensalidade atrasada, mas o professor interviu e manteve a aluna na sala de aula.

O post enviado nos grupos de whats app: UNIVERSITÁRIOS DA FACULDADE SUDAMERICANA PJC

Anunciamos que no dia 21/06/2017 foi protocolado junto ao Ministério de Relações Exteriores e Itamaraty queixa-denuncia contra os representantes legal (Decano Dr. Esteban Encina), acadêmico (Dr. Nery Cáceres) e administrativo (Sra. Laura Arámbulo) por abusos psicológicos, exploração econômica, maus tratos e xenofobia.

1. Solicitação de documentos com valores exorbitantes

2. Funcionários desrespeitosos e despreparados

3. Ausência total de protocolos administrativos

4. Anúncios informais (via whatsapp) que geram insegurança acadêmica

5. Decano não respeita os alunos

6. Carteirinhas sem função

7. Cobrança de alunos nos corredores da faculdade

8. Alunos não fazem provas se não pagar

9. Retirada de alunos de sala por atraso do pagamento da mensalidade

10. Apresentação de comprovante de pagamento em sala para poder fazer prova

11. Sistema informático inexistente e inoperante para o aluno

12. Caixas só funcionam em dias determinados, “rodízio” para cada turma (semestre)

13. Impedimento dos alunos em recursar matérias pendentes

14. Entrega de documentos originais sem garantia de devolução

15. Avisos de pânico de ultima hora nos finais de semestre

16. Medidas autoritárias sem prazo de adequação

Em breve a faculdade será notificada pelos órgãos brasileiros competentes após medidas investigativas em caráter de andamento. Todos os estudantes devem estar alerta às incoerências ditas pelos representantes da respectiva faculdade e que se atentem a soberania e a dignidade do cidadão brasileiro em território paraguaio.Não podemos ser lesados em nossos direitos estudantis uma vez que a faculdade é particular (paga-se para estudar!!) e correr o risco de perder todo o investimento de anos de estudos, sacrifícios, sonho de ser um profissional medico respeitado e com devido diploma reconhecido em qualquer lugar, por profissionais incompetentes e desqualificados.

Outro Lado

O Diretor de Marketing da Faculdade Sudamericana Mauro Arambulo informou a Radio Lider FM que “Hola Lile, bom dia, hoje tivemos uma reuniao con o Consul Victor Hugo para tomar conhecimento oficial do caso junto con o Dr. Encina e Laura, logo no dia 28.06 temos programado outra reuniao sobre a posicao institucional. Cada ano somos alvo de este tipo de noticias porque quem impulsa esas reclamacoes tenta ganhar perjudicando a facultade que trabalha dia e noite para reclamentar conforme o CONES pede, para ter nova sede con tudo o requerido pela ANEAES , cumplir con os requicitos do MEC e por ultimo brindar uma educacao superior para quem tem interese em estudar de verdade. Temos regras internas y regras impostas pelas institucoes e organismos de controle do encino superior do Paraguay e vamos continuar trabalhando do mesmo jeito que tamos fazendo no ultimo ano… buscando cumplir as promesas e procurando uma educacao cada dia melhor”.

Mauro Arambulo salientou ainda que “OFICIALMENTE A UNIVERSIDADE SUDAMERICANA AINDA NAO RECEBEU UMA RECLAMACAO DESES PUNTOS , NEM DO CONSULADO. INCLUSIVE A REUNIAO DO DIA 28.06 JA TINHAMOS FIJADO CON ANTERIORIDADE SOBRE TEMAS DE MIGRACAO”.

CONES

Em marco de 2017 um boato contra faculdades de medicina do Paraguai citava o “Cones” – Conselho Nacional de Ensino Superior.

A Associação Universitária de Medicina da Fronteira – AUMEF, tomou conhecimento de uma publicação falsa que citou como fonte o “Cones” – Conselho Nacional de Ensino Superior, onde dizia que haviam 3 universidades em Pedro Juan com o curso de Medicina fechado por falta de estrutura e documentação, sendo elas a Universidade Central do Paraguay – UCP, Universidade Três Fronteiras – UNINTER e a Universidade Autônoma San Sebastian – UASS.

Diante de tal publicação e representando os interesses dos universitários, o presidente da AUMEF, acadêmico de medicina, Marcelo Rezende foi pessoalmente a cada universidade e conversou com seus representantes para buscar informações sobre o assunto.

Karlos Bernardo,  Diretor da UCP informou que “a universidade esta em dia com as documentações, e mostrou documentos comprovando tais informações com data de março de 2010, carimbada pelo Conselho Universitário, órgão anterior ao Cones, sendo esse aberto em 2013”.

Nora, Secretária acadêmica da UNINTER informou que “a Universidade esta em dia com as documentações e que inclusive a turma que formou em 2016 já recebeu seus diplomas, assinado e carimbado pelos órgão reguladores”. Na fanpage da Uninter na rede social Facebook foi postado uma nota de esclarecimento aos acadêmicos.

Angela Toumani, Diretora da UASS informou que “todas as documentações solicitadas pelo Cones foram encaminhadas, e que vai reencaminhar tudo novamente, para não atrasar o bom andamento das atividades acadêmicas”.

Em entrevista ao vivo na emissora Líder FM 104,9 Dr. Marcelo Resende informou ao Jornal da Líder que “nenhuma das instituições citadas receberam alguma notificação de tal órgão regulamentador. Todas as universidades continuam com suas atividades normais”.

Ele afirmou que “em busca no site no mec do paraguay (www.mifuturo.gov.py), pode-se constatar que todas as universidades de medicina de Pedro Juan Caballero estão autorizadas a funcionarem”.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book