Mídia verá destruição de base nuclear norte-coreana

O regime de Kim Jong-un convidou cerca de 30 jornalistas de diferentes países para assistir ao desmantelamento de um túnel usado desde 2006 para testes nucleares subterrâneos. A visita deve ocorrer nesta quarta-feira (23/5). Mas, como previsto, eles estão sendo obrigados a seguir o programa definido pelo governo norte-coreano. Todos os jornalistas tiveram de entregar celulares e outros equipamentos digitais.

Na manhã desta quarta-feira (23/5), os jornalistas ainda esperavam a autorização do regime para a visita. Jornalistas sul-coreanos foram convidados na última hora para participar da “coletiva”, o que está sendo considerado como um sinal importante depois das ameaças feitas pela Coreia do Norte. O país chegou a falar em cancelamento da cúpula com os Estados Unidos, marcada para o dia 12 de junho em Singapura.

O problema, conta o correspondente da RFI, é que os jornalistas têm poucos meios para realizar um verdadeiro trabalho investigativo. Quando chegaram ao aeroporto de Wonsan, seu telefones via satélite foram confiscados, assim como os aparelhos que medem a radioatividade.

A informação é de um repórter do canal britânico Skynews. O regime afirma que o equipamento não é necessário, porque as bases “são seguras”, ou seja, têm baixo nível radioativo.Na verdade, diz o correspondente da RFI, o governo norte-coreano espera que a imprensa internacional divulgue apenas as imagens convenientes para o regime.

Nenhum especialista em energia nuclear foi convidado para participar da visita, apesar das promessas do regime. Alguns analistas acreditam que destruindo os túneis da base, o governo norte-coreano destrói também as provas de experiências anteriores realizadas no local, sem que os inspetores internacionais possam, por exemplo, obter amostras necessárias.

Legenda: Jornalistas no aeroporto na Coreia do Norte (Foto: reprodução)

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book