PM agride jornalistas em ato contra aumento de passagens

Os jornalistas foram agredidos e tiveram seus equipamentos quebrados em ação da Polícia Militar durante a manifestação contra o aumento da tarifa

O ato contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo deixou jornalistas feridos. A manifestação realizada na quarta-feira, 17, foi palco para a violência da polícia militar, que quebrou a câmera e agrediu profissionais da imprensa. Os relatos foram postados nas redes sociais e reportados pelo site Mídia Ninja.

De acordo com as informações, o repórter fotográfico colaborador do Mídia Ninja, Jorge Ferreira, registrou ao vivo a ação da PM. O site conta que outros profissionais da comunicação também foram agredidos. “PMSP novamente mostra o seu desrespeito à lei, à liberdade de imprensa e, principalmente, à liberdade de expressão, uma vez que tentou impedir o registro das suas atividades durante uma manifestação pública e política da sociedade”, diz a reportagem.

Por meio do Facebook, Jorge Ferreira deu detalhes do episódio de violência. “Eu e outros profissionais da imprensa fomos agredidos enquanto cobríamos a manifestação contra o aumento da tarifa em São Paulo. Obviamente o que sofremos não se compara às agressões contra os manifestantes. Vi muita gente sangrando, outras sem conseguir respirar direito e algumas presas. As conquistas do povo, cedo ou tarde, passarão pelo confronto direto com o braço forte do Estado. Foram séculos de surras. Não há mais espaço para qualquer tipo de violência contra os nossos”, opinou. O post é acompanhado de vídeo com o momento da agressão.

video no Portal Comunique-se

O profissional Caio Castor também passou por situação semelhante, tendo seu equipamento quebrado. A violência foi registrada em vídeo de outra cinegrafista. O repórter conta que esta é a terceira vez que a PM danifica suas câmeras. “Já no final do ato comecei a filmar 4 ou 5 moleques que estavam sendo perseguidos por algumas motos da rocam. Os meninos corriam em zigue-zague, para cima e para baixo e davam um baile nos PMs (…) ele [o policial] veio pra cima de mim, arrancou a câmera da minha mão e segurando pelo monopé começou a bater com ela no chão e quebra-la em vários pedaços”. As imagens feitas por Luiza Calagian mostram o ocorrido.

Da redação Matheus Corrêa com informações Portal Comunique-se 

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book