Violência na imprensa: jornalista agredida e repórter intimidado

A repórter Mari Rios, da Vozão TV, e os jornalistas Marc Souza e Diogo Cordeiro, da RICTV, foram vítimas de violência na última semana

Este ano ganhou mais dois registros de violência contra a imprensa. Trata-se dos casos envolvendo a repórter Mari Rios, da Vozão TV, e os jornalistas Marc Souza e Diogo Cordeiro, da RICTV, que foram agredidos e intimidados, respectivamente. Os registros corroboram dados do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa, que mostram que cresce o ódio contra jornalistas.

A situação com a jornalista Mari Rios, profissional da emissora oficial do Ceará Sporting Club, aconteceu no domingo, 29, quando ela foi agredida fisicamente e moralmente por torcedores na partida entre Ceará e Flamengo. De acordo com as informações do O Povo, a comunicadora foi agredida quando saía do Setor Premium do estádio. Ela foi xingada e, ao tentar deixar o local, foi segurada pelo braço por torcedores do clube.

“Fui vítima de mais um ato machista e covarde no futebol. Fui agredida fisicamente e verbalmente, por (nem posso dizer que são torcedores) nem sei como definir. Apertar pelo braço, colocar dedo na cara e xingamentos do mais baixo calão”, afirmou a jornalista.

O Ceará Sporting Club publicou nota de repudio à violência. “O Ceará Sporting Club vem a público demonstrar total repúdio às agressões físicas (puxões pelo braço) e verbais sofridas pela repórter do Vozão TV, Mari Rios, no exercício de suas funções, na noite desse domingo, 29/04, na Arena Castelão, na partida entre Ceará x Flamengo”.

Contratados da RICTV, afiliada da Record no Paraná, o repórter Marc Souza e o repórter cinematográfico Diogo Cordeiro foram “avisados para o próprio bem” que não seria recomendável gravar no local. O “aviso” veio do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul (Sindijors), Milton Simas Júnior, que tentou impedir o trabalho da dupla durante cobertura de manifestação pró-Lula em Curitiba.

“Se vocês forem falar mal do acampamento, vocês vão para lá do lado do carro da polícia. Sou jornalista, sou teu colega e estou te avisando que é para preservar a tua integridade. O povo está vindo aí. Para quem fala mal do movimento não seria recomendável gravar aqui. Estou avisando para o seu bem”, diz Milton Simas Júnior. O repórter Marc Souza respondeu dizendo que Milton não sabia do que se trata a reportagem, no que presidente do sindicato disse: “Vocês já falaram mal, vocês são do SBT”, errando a emissora para qual o jornalista trabalha. E emenda: “Da RIC Record? É isso, da RIC Record! Acho que a imprensa está toda junta no golpe”, completa.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book