Clube de Imprensa

01 de Maio – Dia do Trabalho, Dia da Literatura Brasileira e Dia São José, o operário de Nazaré

O Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador é comemorado anualmente em 1º de maio em diversos países do mundo.

O Dia do Trabalho é feriado nacional no Brasil, em Portugal, Rússia, França, Espanha, Argentina, entre outras nações.

Nos Estados Unidos e no Canadá, o Dia do Trabalho é conhecido como Labor Day e é celebrado na primeira segunda-feira do mês de setembro.

Origem do Dia do Trabalho

Até meados do século XIX, os trabalhadores jamais pensaram em exigir seus direitos trabalhistas para seus patrões, apenas trabalhavam.

Mas, a partir de 1886, aconteceu uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago para reivindicar a redução da jornada de trabalho (de 13 horas para 8 horas diárias). No dia 1º de maio desse ano, milhares de pessoas foram às ruas, iniciando uma greve geral nos Estados Unidos.

Os conflitos estadunidenses ficaram conhecidos como Revolta de Haymarket.

Três anos após as manifestações nos Estados Unidos (20 de junho de 1889, precisamente), foi convocada em Paris uma manifestação anual para reivindicação das horas de trabalho, que foi programada para o dia 1º de Maio, recordando as lutas sindicais em Chicago.

No dia 23 de abril de 1919, o Senado francês ratificou as 8 horas de trabalho e proclamou o dia 1º de maio como feriado. Após alguns anos, outros países também seguiram o exemplo da França e decretaram o dia 1º de maio como feriado nacional dedicado aos trabalhadores.

Dia do Trabalho no Brasil

No Brasil, o Dia do Trabalhador só foi reconhecido em 26 de setembro de 1924, através do decreto nº 4.859 assinado pelo então presidente Artur da Silva Bernardes.

A criação da CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) foi instituída através do Decreto-Lei nº 5.452, em 1º de Maio de 1943, na gestão de Getúlio Vargas. Durante o governo Vargas realizavam-se grandes manifestações que incluíam música, desfiles e normalmente o anúncio de alguma nova lei trabalhista. Até hoje, alguns governos seguem a tradição e comunicam o aumento do salário mínimo nesta data.

O dia do trabalho é comemorado com manifestações convocadas pelas principais centrais sindicais do Brasil para revindicar melhores condições de trabalho.

O Dia da Literatura Brasileira é comemorado anualmente em 1º de maio.

A data é uma homenagem aos grandes escritores e às suas belíssimas obras, que passam por uma extensa e rica diversidade de escolas literárias, marcando cada período social e intelectual da história do Brasil.

Entre as vanguardas e escolas literárias mais significativas para a literatura brasileira está o Quinhentismo, Barroco, Neoclassicismo ou Arcadismo, Romantismo, Realismo, Parnasianismo, Simbolismo, Pré – Modernismo, Modernismo e o Neo – Realismo.

A importância cultural e histórica da literatura no Brasil ainda é homenageada no dia 18 de abril, data conhecida por ser o Dia Nacional do Livro Infantil, e também o Dia do Monteiro Lobato, o mais importante nome da literatura infantil brasileira.

literatura

Origem do Dia da Literatura Brasileira

O Dia da Literatura Brasileira é uma homenagem ao aniversário de um dos mais importantes autores do Romantismo Brasileiro, José de Alencar.

José Martiniano de Alencar nasceu em 1 de maio de 1829, e ficou conhecido por ser o primeiro escritor brasileiro a retratar o seu país exatamente como ele era, ou seja, com os personagens típicos do Brasil, como o índio e a vida no sertão nordestino.

Alencar era cearense e, além de escritor, também atuava como advogado, jornalista, deputado e ministro da justiça.

A campanha Maio Amarelo 2024, em defesa da segurança viária, inicia nesta terça-feira (30), nas rodovias federais. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ela envolve todas as 27 superintendências e mais de 150 delegacias.

A iniciativa pretende intensificar as ações educativas de trânsito e a antecipação da campanha para hoje se deve ao feriado do 1º de maio, Dia do Trabalhador.

Mais uma vez será implementada a ação Cinema Rodoviário, em que os motoristas são abordados e convidados a assistir palestras e vídeos educativos sobre as condutas seguras no trânsito. Carr

Com o objetivo de alertar e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce dos tumores de cérebro, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) apoia a campanha Maio Cinza. Esse tipo de câncer é caracterizado por um tumor maligno que se forma no cérebro.

Dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa para Mato Grosso do Sul em 2023 é de 80 casos novos de câncer no SNC (Sistema Nervoso Central) nos homens e 70 novos casos nas mulheres, por 100 mil habitantes.

18 de maio640

Um importante e delicado tema ganha destaque nesta sexta-feira, 18 de maio. Hoje é o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, data que estimula a reflexão sobre o papel da sociedade civil no combate a esse tipo de crime.

Além da conscientização, uma das formas mais eficazes de combater abusos e explorações é a denúncia, que pode ser feita por meio do Disque 100, um canal da Secretaria Nacional de Direitos Humanos (SDH) que funciona 24 horas por dia. A ligação é gratuita e a identidade do denunciante é mantida em sigilo. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos responsáveis. Dados da SDH, mostram que em 2017 foram recebidas 22.324 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes. A maior parte delas – 14,93% – foram feitas do Estado de São Paulo.

O  Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído em 1988, incentivado por um crime ocorrido no dia 18 de maio de 1973, quando uma menina de oito anos foi sequestrada, drogada, espancada, violentada e morta.

A Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP) realiza neste mês mais uma edição da campanha Maio Roxo, para alertar a população sobre as doenças inflamatórias intestinais (DIIs), que se caracterizam pela inflamação do trato gastrointestinal e podem atingir da boca ao ânus. Ao longo do mês, a SBCP divulgará textos e vídeos no Portal da Coloproctologia para esclarecer as principais dúvidas que envolvem as DIIs. A campanha destaca o Dia Mundial das Doenças Inflamatórias Intestinais, no próximo dia 19.

São José, o operário de Nazaré que ensina santificar o trabalho

Inspiração e iniciativa

Em 1955, o Papa Pio XII instituiu a festa de “São José Operário” para dar um protetor aos trabalhadores e um sentido cristão à “festa do trabalho”. Uma vez que todas as nações celebram tal festa em 1º de maio, na presença de mais de 200 mil pessoas na Praça de São Pedro, as quais gritavam alegremente: “Viva Cristo trabalhador, vivam os trabalhadores, viva o Papa!”, o Papa deu aos trabalhadores um protetor e modelo: São José, o operário de Nazaré.

Cristocêntrico

A figura de São José, o humilde e grande artesão de Nazaré, orienta para Cristo, Salvador do homem, Filho de Deus, que participou em tudo da condição humana.

A dignidade do trabalho

A Igreja, nesta festa do trabalho, deu um lindo parecer sobre todo esforço humano que gera, dá a luz e faz crescer as obras produzidas pelo homem: “Queremos reafirmar, em forma solene, a dignidade do trabalho, a fim de que inspire, na vida social, as leis da equitativa repartição de direitos e deveres.”

Homem justo

São José, que na Bíblia é reconhecido como um homem justo, é quem revela com sua vida que o Deus que trabalha sem cessar na santificação de Suas obras é o mais desejoso de trabalhos santificados: “Seja qual for o vosso trabalho, fazei-o de boa vontade, como para o Senhor, e não para os homens, cientes de que recebereis do Senhor a herança como recompensa… O Senhor é Cristo” (Col 3,23-24).

Sentido do trabalho

É firmado, antes de tudo, que o trabalho dá ao homem o maravilhoso poder de participar na obra criadora de Deus e de aprimorá-la; que ele possui um autêntico valor humano. O homem moderno tomou consciência desse valor ao reivindicar o respeito aos seus direitos e à sua personalidade.

A Igreja “batiza” a festa do trabalho para proclamar o real valor do trabalho, aprovar e bendizer a ação das classes trabalhadoras na luta que, em alguns países, prosseguem para obter maior justiça e liberdade. Fá-lo também para pedir a todos os fiéis que reflitam sobre os ensinamentos do Magistério eclesiástico nestes últimos anos: Mater et Magistra de João XXIII e Populorum Progressio de Paulo VI, por exemplo.

Centro na Eucaristia

Nesta “festa do trabalho”, sob o patrocínio de São José Operário, reunimo-nos em assembleia eucarística, sinal de salvação, não para pôr a Eucaristia a serviço de um valor natural, mesmo nobilíssimo, mas porque Deus, que trabalhou na criação, na qual colaboram os que se tornaram filhos de Deus, se efetiva principalmente pela Eucaristia. A Eucaristia encontra seu lugar numa festa do trabalho, porque esta revela ao mundo técnico o valor sobrenatural de suas buscas e iniciativas.

Nossa participação na Eucaristia, enquanto nos permite colaborar mais e melhor no trabalho iniciado por Deus para criar o mundo novo, santifica a contribuição que damos ao trabalho humano, ensinando-nos que isso é colaboração com a ação criadora de Deus, e que o verdadeiro objetivo de todo trabalho é a construção do novo Reino.

A minha oração

“Ó Deus, criador do universo, que destes aos homens a lei do trabalho, concedei-nos, pelo exemplo e a proteção de São José, cumprir as nossas tarefas e alcançar os prêmios prometidos. Amém.”

São José Operário, rogai por nós!


Outros santos e beatos celebrados em 1º de maio

  1.   Beato Clemente Steptyckyj, presbítero e mártir, na Rússia. († 1951)
  2.   São Jeremias, profeta, que sofreu muitas tribulações.
  3.   Santo Andéolo, mártir, na França († data inc.)
  4.   Santos Torcato, bispo de Guádix, e outros seis bispos de diversas cidades, a saber: Ctesifonte em Berja, Segundo em Ávila, Indalécio em Almeria, Cecílio em Elvira, Hesíquio em Carcesa e Eufrásio em Andújar. († data inc.)
  5.   Santo Amador, bispo, que procurou erradicar da sua cidade as superstições pagãs e instituiu o culto dos santos mártires, na França. († 418)
  6. Santo Orêncio, bispo, que se esforçou por exterminar na sua cidade os costumes dos pagãos e estabelecer a paz entre os Romanos e o rei dos Visigodos em Toulouse, na atual França. († c. 440)
  7.   São Brioco, bispo e abade, que fundou um mosteiro no litoral da Armórica, na atual França. († c. 500)
  8.   São Segismundo, rei da Borgonha, que, convertido da heresia ariana à fé católica, na Suíça. († 524)
  9. São Marculfo, eremita, depois monge e abade do mosteiro de Nanteuil, na França. († c. 558)
  10. Santo Asafo, abade e bispo da sede posteriormente designada com o seu nome. († s. VI f.)
  11. Santo Arísio, bispo, célebre pela sua paciência nas adversidades, na França. († 604)
  12. São Teodardo, bispo de Narbonne, na França. († 893)
  13.   Beato Aldebrando, bispo, ilustre pela sua vida austera e espírito apostólico, nas Marcas, região da Itália. († 1170)
  14. Beato Vivaldo de São Geminiano, eremita da Ordem Terceira de São Francisco, na Toscana, região da Itália. († c. 1320)
  15. Beato Juliano Cesarello, presbítero da Ordem dos Menores, que andava por cidades e aldeias anunciando a palavra de Deus e acalmando as discórdias dos cidadãos, na Croácia. († c. 1349)
  16. São Peregrino Laziósi, religioso da Ordem dos Servos de Maria, na Itália. († 1345)
  17. Beata Petronila, virgem, primeira abadessa do mosteiro das Clarissas deste lugar, na França. († 1355)
  18. Santo Agostinho Schoeffler, presbítero da Sociedade das Missões Estrangeiras de Paris e mártir, que, depois de três anos de ministério apostólico, foi metido no cárcere. († 1851)
  19.   São João Luís Bonnard, presbítero da mesma Sociedade e mártir, que, condenado à morte por ter batizado vinte e cinco crianças, foi decapitado e assim alcançou a coroa do martírio. († 1852)
  20.   São Ricardo (Hermínio Filipe) Pampúri, que, depois de ter exercido generosamente a medicina na vida secular, ingressou na Ordem Hospitaleira de São João de Deus e, passados cerca de dois anos, adormeceu piedosamente no Senhor, na Itália. († 1928)

Fontes

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Sagrada Escritura

 

– Redação: Padre Antônio Justino (Padre Toninho) – Comunidade Canção Nova – Évora (Portugal)

– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova