Clube de Imprensa

01 de Março – Aniversário do Rio de Janeiro, Dia Mundial da Oração, Março Vermelho e Azul-Marinho, Dia de Santa Inês

Aniversário do Rio de Janeiro é comemorado em 1 de março na capital carioca.

A cidade do Rio de Janeiro é internacionalmente conhecida como uma das mais belas do mundo, pelas suas incríveis paisagens naturais e pelo caloroso e divertido povo carioca.

Muitas pessoas confundem o dia do aniversário do Rio de Janeiro (1º de março) com o dia do santo padroeiro da cidade: São Sebastião, que é celebrado em 20 de janeiro pela Igreja Católica.

No dia do aniversário do Rio de Janeiro, 1 de março, não é feriado, mas no Dia de São Sebastião, 20 de janeiro, é feriado municipal pela Lei nº 1271, de 27/06/88.

O aniversário do Rio de Janeiro é comemorado nesse dia, pois em 1º de março de 1565 Estácio de Sá fundou oficialmente a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, com o intuito afastar tentativas de invasões deste território por parte de nações estrangeiras –  como os franceses e espanhóis.

Cristo Redentor no Rio de Janeiro
O Cristo Redentor é o principal cartão-postal do Rio de Janeiro e uma das 7 maravilhas do mundo moderno

Comemorações do aniversário do Rio de Janeiro

A prefeitura do Rio de Janeiro promove várias atividades para o público como forma de comemoração do aniversário da cidade. Shows ao vivo, exposições e demais atividades culturais são algumas das atrações que os cariocas podem aproveitar durante esta data.

Tradicionalmente, também é servido um bolo gigantesco para que os populares possam “cantar parabéns” para a cidade sob o Cristo Redentor, principal símbolo da capital fluminense. Depois, o bolo é repartido e distribuído entre os presentes.

Dia Mundial da Oração é uma celebração móvel que ocorre na primeira sexta-feira de março, conforme foi estabelecido em 1968.

Este dia não é destinado apenas para uma religião específica, mas para todas as crenças que utilizam orações como forma de interceder pela realização de obras benéficas para a humanidade.

A data é celebrada em mais de 170 países, com o principal objetivo de promover o aumento das obras missionárias, além de ajudar na troca de experiências entre cristãos e fiéis religiosos de todo o mundo.

Oração

Origem do Dia Mundial da Oração

O Dia da Oração surgiu no século XIX, através de um grupo de mulheres cristãs dos Estados Unidos e Canadá. O objetivo era conscientizar as pessoas de que o ato de orar ia além de proferir palavras ou fazer penitências, mas também agir efetivamente no auxílio de causas sociais.

Com o passar do tempo, cada vez mais grupos femininos de diversas denominações cristãs, como batistas, anglicanos e presbiterianos, foram estabelecendo dias para orar pelas missões de suas próprias igrejas. Também tinham como propósito alertar para as necessidades das mulheres e crianças.

No entanto, após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), com a consciência de que o mundo sofria dos mesmos problemas, muitas associações femininas se uniram para fazer um dia especial onde se orasse por todos aqueles que necessitavam.

Nascia, assim, na década de 20 do século XX, o Comitê do Dia Mundial da Oração, que ficou encarregado de elaborar uma liturgia específica para este dia.

Em 1968, ficou estabelecido que a cada quatro anos o Comitê Internacional do Dia Mundial de Oração se reuniria. Com isso, o movimento expandia e organizava-se. Um ano depois, em 1969, a União Mundial de Organizações Católicas Femininas soma-se a esta iniciativa.

No Brasil, o Dia Mundial da Oração começou a ser celebrado a partir de 1938 por um grupo de cristãos da Igreja Presbiteriana.

Dia Mundial de Zero Discriminação
O Dia Mundial de Zero Discriminação, celebrado globalmente no dia 1º de março, é uma oportunidade para destacar como todas as pessoas podem fazer parte da transformação e se posicionar em favor de uma sociedade mais justa.

O Ecoturismo contribui para a preservação dos biomas, além de ser um dos principais meios de educação ambiental e permitir a integração e desenvolvimento econômico das comunidades locais em áreas de preservação ambiental.

Apesar de crescer em importância a cada dia, surpreendentemente, se tem registro de que o termo já era utilizado entre os séculos 800 a.C. e 700 a.C. para identificar rotas com belas paisagens ecológicas no continente africano.

Por conta dos seus conhecimentos sobre fauna, flora, meio ambiente e sustentabilidade, os Biólogos são profissionais habilitados para atuar no Turismo Ecológico.

IMG

A campanha do Março Vermelho tem como objetivo conscientizar e alertar a população sobre os riscos do câncer renal e também sobre os cuidados com a saúde do rim como um todo. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 6 mil novos casos de câncer renal são registrados todos os anos.

Os rins são órgãos, geralmente em pares, com formato de “feijão”, responsáveis por inúmeras funções em nosso organismo, entre elas a depuração sanguínea de impurezas, eliminando-as na urina, e a importante função do equilíbrio fisiológico da pressão arterial.

A campanha Março Azul Marinho tem por objetivo alertar a população sobre a conscientização da prevenção e combate do câncer colorretal.

O que é o câncer colorretal?
São tumores que acometem o intestino grosso, principalmente nas regiões chamadas de colo, reto e ânus.

No Brasil o tumor colorretal é o quarto que mais atinge homens e o terceiro na mulher com maior incidência nas regiões Sul e Sudeste.

Santa Inês Cao Kuiying, mesmo engaiolada na China, não negou a fé

Origem
Santa Inês Cao Kuiying nasceu numa aldeia chinesa. Ainda bem novinha, foi para um orfanato depois da morte de seus pais, que eram católicos.

Fraternidade católica
Quando jovem, mudou-se para Xingyi (China) em busca de trabalho. Lá, conheceu uma mulher, também católica, que a acolheu em sua casa. Foi nesse tempo que a jovem Inês se encontrou, pela primeira vez, com o Bispo Bai, que estava de passagem por aquela cidade.

Intervenção da Providência
Assim que o Bispo descobriu que aquela jovem não tinha família, quis ajudá-la inserindo-a na paróquia local. Ele a levou para participar de um aprofundamento de fé que acontecia na paróquia da cidade, e logo se impressionou com os rápidos progressos que Inês fazia.

Santa Inês Cao Kuiying e o difícil casamento

Matrimônio e provações
Ao completar dezoito anos, ela se casou com um homem daquela região que trabalhava numa fazenda. Após o casamento, ela o descobriu muito violento. A partir daí, a jovem Inês enfrentou novas dificuldades. Seu cunhado e sua cunhada também passaram a tratá-la com desprezo por ser cristã. Este tratamento foi piorando cada vez mais, a ponto de Inês passar fome dentro da própria casa.

Viuvez
Infelizmente, a situação ficou bem pior depois do falecimento de seu marido: foi expulsa de casa. Para não passar fome, Inês fez trabalhos temporários em casas de família. Por causa desses trabalhos, conheceu uma piedosa viúva católica que a convidou para morar com ela. Em pouco tempo, era nítido o progresso espiritual que Inês vivia, ajudada por aquela mulher que a acolheu em casa.

Sacramentos
Por graça de Deus, a patroa de Inês Cao Kuiying sempre recebia em sua casa a visita de um sacerdote que ministrava para ela o Sacramento da Reconciliação (confissão) e a Eucaristia (celebrava a Santa Missa). Com isso, Inês cultivou com grande esmero a sua própria espiritualidade.

Atitude missionária e vida ativa

Ensinava o catecismo
Certa vez, Inês Cao Kuiying conheceu um missionário que, encantado com o conhecimento que ela possuía sobre a fé católica, a convenceu sair em missão para ensinar a Palavra de Deus. Ela então mudou-se para Baijiazhai, em 1852, onde passou a ensinar o catecismo. De um lado para o outro, Inês pregava a Palavra de Deus e transmitia a fé católica. Em seus tempos livres, ela cozinhava, cuidava de uma casa de família e ainda fazia trabalhos de babá.

Perseguição cristã
O governo local adotou posturas cada vez mais intransigentes com os cristãos. Inês e muitos outros católicos foram levados sob custódia. Embora muitos daqueles cristãos presos tivessem sido libertados pouco tempo depois, Inês e mais um sacerdote, foram mantidos no cárcere.

Engaiolada, manteve-se firme na fé

O julgamento
O Juiz daquela forania ainda tentou persuadir Inês a negar sua fé. Porém, ela manteve-se firme. Ele fez ameaças ainda mais duras ao dizer que ela seria torturada se não negasse sua fé. Mais uma vez, a jovem não demonstrou medo. Por fim, o magistrado a trancou em uma gaiola tão pequena, de modo que ela não conseguia se mexer. Do seu interior brotou a seguinte oração: “Deus, tenha misericórdia de mim; Jesus me salve!”.

Páscoa
Em 1º de março de 1856, ela gritou forte: “Meu Deus, me ajude!” e expirou aos 35 anos. O Papa Leão XIII a proclamou bem-aventurada em 27 de maio de 1900, e no dia 1º de outubro de 2000, o Papa João Paulo II a canonizou com mais 120 mártires da China.

Minha oração
“Senhor, as situações que vivemos tentam nos engaiolar e, cada vez mais, o cerco se fecha para os cristãos. Dai-nos a coragem necessária para, diante das perseguições do tempo presente, não negarmos a Cristo. Assim seja.”

Santa Inês Cao Kuiying, rogai por nós!


Outros beatos e santos que a Igreja faz memória em 1º de março:

  • São Félix III, papa, [† 492]
  • Santo Albino, bispo, na França, promoveu com ardor o Terceiro Concílio de Orleães para a renovação da Igreja [† c. 550]
  • São David, bispo, em Gales, fundou um mosteiro, de onde partiram muitos monges para evangelizar [† c. 601]
  • São Siviardo, abade de Anisole na França [† c. 680]
  • São Suitberto, bispo, na Alemanha, anunciou o Evangelho aos Bátavos, aos Frisões e a outros povos da Germânia e morreu piedosamente, já em idade avançada, no mosteiro que tinha fundado [† 713]
  • São Leão, bispo e mártir, Na Gasconha sudoeste da França e noroeste da Espanha [† s. IX]
  • São Leão Lucas, abade de Monte Mula, que resplandeceu na vida eremítica e cenobítica segundo a observância dos monges orientais na Itália [† c. 900]
  • São Rosendo, que foi primeiramente bispo de Dume, em Portugal, onde procurou promover e restaurar nesta região a vida monástica e, renunciando ao ministério episcopal, tomou o hábito monástico no mosteiro de Celanova, que dirigiu como abade na Espanha [† 977]
  • Beato Cristóvão de Milão, presbítero da Ordem dos Pregadores, muito dedicado ao culto divino e à doutrina sagrada na Itália [† 1484]
  • Beata Joana Maria Bonomo, abadessa da Ordem de São Bento, na Itália, dotada de dons místicos, experimentou no corpo e na alma as dores da Paixão do Senhor [† 1670]

Fontes:

  • saintagnestsao.org
  • Martirológio Romano

Pesquisa: Diácono Gleidson Carvalho – Comunidade Canção Nova – Vitória da Conquista (BA)
Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova