Clube de Imprensa

02 de Janeiro – Dia de São Basílio Magno, Dia do Sanitarista e Dia do Confeiteiro

O dia de São Basílio Magno (ou São Basílio, o Grande) é celebrado pela Igreja Católica Romana no dia 2 de janeiro.

Por sua parte, a igreja Ortodoxa comemora a festa deste santo no dia 1º de janeiro.

História de São Basílio Magno

Basílio nasceu no ano de 329, na cidade de Cesareia quando esta pertencia ao Império Romano. Vários membros de sua família alcançaram a santidade, como seus pais e irmãs.

Aliás, através do exemplo desta última, que vivia uma vida de recolhimento e boas obras, decidiu abraçar a vida monástica. Desta forma, redigiu a primeira regra de vida religiosa que se tem notícia.

São Basílio Magno

Serviu como bispo em Cesareia, combateu a heresia ariana e ainda fundou o primeiro hospital dedicado ao cuidado dos enfermos.

Também deixou inúmeros escritos que versavam sobre filosofia, o modo de vida cristã e teologia. Igualmente, escreveu um modelo de liturgia rezada na igreja ortodoxa e também inúmeras orações.

Seu exemplo de caridade marcou a cultura grega até hoje, pois as crianças deste país esperam que este seja o santo que lhes dá presentes no dia 1º de janeiro.

Faleceu no ano de 379 provavelmente em consequência da hepatite.

Oração a São Basílio Magno

Deus, nosso Pai, enriquecestes a Igreja e deste-nos em São Basílio um exemplo de que a vossa Palavra é vida e luz para nossos corações. Que ela frutifique também em nós obras agradáveis aos vossos olhos; o serviço sincero e gratuito aos necessitados.

Por sua intercessão, sejamos dignos da vocação a que fomos chamados, e tudo façamos para que o vosso Reino de justiça se dilate no meio dos homens.

E, assim, os que virem nossas boas obras possam louvar e confessar o vosso santo Nome. Permaneçamos sempre abertos ao Espírito para cumprir a vossa vontade agora e sempre. Amém!

O Dia do Médico Sanitarista é comemorado dia 2 de janeiro. Este profissional analisa a saúde pública local, categorizando os problemas em ordem de prioridades, propondo soluções e alternativas e também estimativas sobre os recursos necessários para que as medidas possam ser executadas.

Este profissional associa seus conhecimentos de medicina aos de saúde pública e atua nos níveis local, regional ou central, sendo de suma importância para melhorar a qualidade do serviço de saúde.

A especialidade de sanitarista passou por inúmeras transformações ao longo da história. Atualmente, insere-se na área de conhecimento denominada de Saúde Coletiva e se caracteriza por ser multiprofissional e interdisciplinar. Os sanitaristas mais famosos do Brasil foram Oswaldo Cruz e Carlos Chagas, que se destacaram não só pelas grandes pesquisas

O primeiro Dia Mundial do Introvertido foi realizado em 2 de janeiro de 2011. O dia foi realizado pela psicóloga e autora Felicitas Heyne. Ele sentiu que o dia 2 de janeiro era a data ideal, já que as festas de fim de ano, que podem ser agonizantes para os introvertidos, estão finalmente terminadas. Não mais serão compelidos a socializar e fazer preparativos. Os introvertidos podem reviver e apreciar a paz e a calma. Isso não é algo que os introvertidos gostam de fazer, é algo que eles precisam fazer.

O Dia Mundial do Introvertido foi comemorado pela primeira vez em 2011. Não é coincidência que ocorra imediatamente após o Ano Novo; o pensamento é que os introvertidos demoram para recarregar as baterias após as festividades agitadas.

Os primeiros registros quanto aos doces datam o século I a.C: o grande filósofo romano Cícero cita ter comido na Sicília um “Tubus farinarius, dulcissimo, edulio ex lacte factus”, ou seja, deliciosos tubinhos de massa de farinha, muito doces, recheados com leite, descrição que imediatamente faz pensar a um dos doces mais famosos do mundo, o cannolo siciliano. Era comum receitas de cremes e pudins, feitos através da mistura de ovos, leite, mel e pimenta do reino, que eram assados ou cozidos até ficarem densos.
Existia ohábito tradicional de caramelizar amêndoas e avelãs com mel, obtendo algo semelhante ao nosso pé-de-moleque, além de rechear frutas secas com nozes para festividades. O sabor doce aparecia mais frequentemente nas bebidas, das quais a mais comum era o hidromel, que ainda hoje é consumido em algumas regiões. Entre os povos etruscos e germânicos, se produzia o vinho de frutas, obtido da leve fermentação de várias frutas.

Santos Basílio Magno e Gregório de Nazianzeno

Origens 

A Igreja alegra-se com a memória conjunta destes grandes Santos doutores: Santos Basílio Magno e Gregório de Nazianzeno.

São Basílio Magno, bispo e doutor da Igreja

Origens
Basílio nasceu em Cesareia, no ano 329. Nasceu de uma família santa que buscava testemunhar, na própria vida e na formação dos filhos, o grande amor por Cristo e pela Igreja. Foi assim que, ajudado pelo pai, Basílio recebeu a primeira formação.

O encontro com São Gregório 
Depois, passou por Constantinopla, chegando a estudar em Atenas e formar-se em retórica. A essa altura, mesmo tendo um coração bem semeado pelo Evangelho, ele começou a buscar glórias humanas, mas, ao conhecer o amigo São Gregório Nazianzeno, conheceu Cristo mais profundamente e retomou a amizade com Jesus.

A direção do seu conhecimento: Jesus Cristo
Ele, que já era muito culto, direcionou todo o seu potencial para Aquele que é a verdade, o Logus, o Verbo que se fez carne, Jesus Cristo, Nosso Senhor e salvador. Retirou-se por um tempo dali e pôde viver uma vida de muita oração e penitência. Depois, foi inspirado a aprofundar-se na vida eremítica e também na vida monástica. Visitou o Egito, Síria, Palestina e estudou a ponto de, com seu amigo Nazianzeno, começar uma comunidade monástica.

Eleito Bispo
Aconteceu que, diante da realidade na qual o Arianismo — heresia que afirmava que Jesus Cristo não é Deus —, confundia muito as pessoas e ainda era apoiada pelo imperador do Oriente chamado Valente. Nessa altura, em Cesareia, São Basílio, em 370 d.C., foi eleito bispo, sucessor de um dos apóstolos. Homem de caridade e de testemunho, ele pôde combater e ver a verdade vencendo o Arianismo. O imperador não colocava medo nesse homem cheio do Espírito Santo. São Basílio também tinha muitas obras, não era apenas um homem de palavras; cidades de caridade surgiram por meio dele.

Páscoa
Ainda padre, ele já era um testemunho reconhecido, uma autoridade não só pela Igreja, mas pela vida. São Basílio Magno deixou uma riqueza de escritos e, principalmente, a certeza de que amigo de Jesus, felizes nós seremos. Em 379 d.C., ele partiu para o céu e intercede por nós.

Uma verdadeira amizade que levou até Cristo

São Gregório Nazianzo, doutor da Igreja

Origens

São Gregório Nazianzo nasceu no mesmo ano que Basílio (329). Seu pai era Gregório, o Velho, que depois foi Bispo de Nazianzo. Estudou em Atenas, onde conheceu Basílio, ao qual teve um forte elo de amizade e com quem conviveu no eremitério da Capadócia. Homem de estudo e poeta, recebeu a alcunha de teólogo em decorrência de sua excelente doutrina e inflamada eloquência.

Forte combatente de Heresias
Foi enviado pelo imperador Teodósio a Constantinopla para combater a difusão da heresia ariana, mas assim que chegou foi atacado por pedradas, sendo obrigado a permanecer fora dos muros de Constantinopla. Graças a seu exemplo de vida, Gregório reconduziu a cidade à ortodoxia. Não conseguiu ser Bispo de Constantinopla, como o povo desejava, pois foi hostilizado por uma facção de opositores. Despediu-se e retornou para a sua terra natal.

Obras e sua Páscoa
Retirou-se no silêncio, onde continuou a falar com Deus e com os homens. Escreveu cerca de 240 cartas de grande importância teológica e moral, além de belíssimas pela forma literária. Morreu no ano 390.

Minha oração

“Sabemos que a amizade é um dom, graça divina, por isso, a pedimos Jesus. Queremos amizades verdadeiras e queremos ser bons amigos. Que as pessoas, que nos circundem, nos levem para mais perto de Deus. Amém.”

Santos Basílio Magno e Gregório de Nazianzeno, rogai por nós! 

Outros santos e beatos celebrados em 2 de janeiro

  • Em Roma, São Telésforo, Papa, que, segundo o testemunho de Santo Ireneu, foi o sétimo bispo sucessor dos Apóstolos e sofreu glorioso martírio.  († c. 136)
  • No território de Córi, a trinta milhas da cidade de Roma, os santos ArgeuNarciso e Marcelino, mártires. († s. IV)
  • Em Marselha, cidade da Provença, na actual França, São Teodoro, bispo. († 594)
  • No mosteiro de Bóbbio, na Emília, atual Emília-Romanha, região da Itália, São Bladolfo, presbítero e monge. († c. 630)
  • Em Milão, na Lombardia, também na Itália, São João Bom, bispo. († c. 660)
  • No território de Tulle, na Aquitânia, na atual França, São Vicenciano, eremita.                († 672)
  • Em Limerick, na Irlanda, São Mainquino, que é venerado como bispo. († s. VII)
  • No mosteiro de Corbie, na Gália Ambianense, hoje território de Amiens, atualmente na França, Santo Adalardo, abade. († 826)
  • Em Maurienne, na Sabóia, atualmente também na França, Santo Airaldo, bispo. († 1146)
  • Em Troína, na Sicília, região da Itália, São Silvestre, abade, que seguiu a disciplina dos Padres orientais. († s. XII)
  • Em Forli, na Emília, hoje Emília-Romanha, na Itália, o Beato Marcolino Ammáni, presbítero da Ordem dos Pregadores. († 1397)
  • Em Soncino, na Lombardia, também na Itália, a Beata Estefânia Quinzáni, virgem, irmã da Ordem Terceira de São Domingos. († 1530)
  • Em Angers, na França, os beatos Guilherme Repin e Lourenço Batard, presbíteros e mártires. († 1794)
  • Em Lachine, cidade do Quebec, província do Canadá, a Beata Maria Ana Soureau-Blondin, virgem, que fundou a Congregação das Irmãs de Santa Ana. († 1890)

Fonte:

  • Livro “Santos de cada dia” – José Leite, SJ [Editorial A.O. Braga, 2003]
  • Martirológio Romano
  • Vaticannews.va
  • Vatican.va

– Produção e edição: Melody de Paulo
– Oração: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova