Clube de Imprensa

04 de Janeiro – Dia Nacional de Abreugrafia, Dia Mundial do Braille e Dia de Santa Ângela

O Dia Nacional da Abreugrafia é celebrado anualmente em 4 de janeiro.

Esta data é uma homenagem à criação da técnica médica que permite a impressão de imagens de radiografias em papéis fotográficos. Esse método foi indispensável nos diagnósticos de doenças pulmonares e lesões no coração.

A abreugrafia tem este nome devido ao seu criador, o médico brasileiro radiologista Manoel Dias de Abreu (1891 – 1962), que inventou esta técnica em 1936. O nome da sua invenção foi oficializado num congresso brasileiro de tuberculose, em 1939.

Numa época onde o mundo era assolado por uma epidemia de tuberculose, a invenção do médico brasileiro possibilitou a identificação atempada da doença e, consequentemente, o aumento da probabilidade de cura dos pacientes. Devido à importância da sua invenção, Manoel Dias de Abreu chegou a ser indicado ao Prêmio Nobel.

Origem do Dia Nacional da Abreugrafia

Manoel Dias de Abreu nasceu em 4 de janeiro de 1861, sendo este o motivo da escolha desta data como o da celebração do Dia Nacional da Abreugrafia.

A data comemorativa foi oficializada pelo então presidente Juscelino Kubitschek. Isso foi feito através do Decreto nº 42.984, de 3 de janeiro de 1958, com o intuito de homenagear o trabalho do radiologista e dignificar a sua contribuição para o bem da pátria.

Braille istock getty images doutíssima

Braille consiste em um sistema de leitura por meio do tato, criado em 1825. Foto: iStock, Getty Images

Aumentar a consciencialização sobre a importância do braile como meio de comunicação para pessoas cegas ou com baixa visão foi o objetivo principal da criação da efeméride. O Sistema Braile nasceu na França, em 1825, por Louis Braille, e de lá para cá continua sendo usado em todo o mundo por pessoas com deficiência visual.

Trata-se da representação tátil de símbolos alfabéticos e numéricos que possibilitam a escrita e leitura, através da combinação de 1 a 6 pontos entre si. É lido da esquerda para a direita, com uma ou ambas as mãos e tradicionalmente escrito em papel relevo. Por ser uma linguagem universal, pode ser adaptado a diversos alfabetos. Além de livros e publicações especializadas, é possível encontrar informações no sistema braile em elevadores, museus, cardápios de restaurante, entre outros.

No Brasil, o método foi introduzido por José Álvares de Azevedo, idealizador da primeira escola para o ensino de cegos no Brasil, o Imperial Instituto de Meninos Cegos – o atual Instituto Benjamin Constant. No dia 8 de abril, aniversário de José Álvares de Azevedo, é comemorado o Dia Nacional do Braille.

Dia do Hemofílico 

O dia do Hemofílico, comemorado na data de 4 de janeiro, tem como objetivo chamar atenção à Hemofilia, uma doença genética, caracterizada pela deficiência na coagulação do sangue, favorecendo hemorragias e resultando em sangramentos de difícil controle.

Os pacientes com hemofilia podem ser atingidos desde a primeira infância, o que causa danos no aparelho locomotor (artrose, deformidades e dor nas juntas), compromete a qualidade de vida do portador e produz impacto social na vida do paciente.

Santa Ângela de Foligno, um exemplo de conversão

Origens
Santa Ângela nasceu em Foligno, na Itália, no ano de 1248, numa família muito abastada. Mas, infelizmente, não vivia a maior riqueza, que é o amor a Deus. Dentro deste ambiente indiferente a Deus e à Igreja, a menina foi crescendo. Perdeu seu pai muito cedo, recebendo da mãe uma educação superficial, que a levou a viver seus primeiros anos distante da fé.

Sacramento da Reconciliação
Casou-se com um habitante famoso de sua cidade, com quem teve vários filhos, mas, infelizmente, tanto os filhos e, depois, o esposo faleceram. Deixando-se levar por uma vida distante de Deus, entregava-se às festas, às vaidades, cada vez mais longe de Deus e dela mesma, até que sentiu o toque da misericórdia do Senhor. Recorreu à Virgem Maria, buscando o sacramento da reconciliação quando ela tocou em seu vazio existencial.

A Conversão
Santa Ângela tinha 40 anos quando se abriu ao processo de conversão e decidiu vender todos os seus bens e distribuir o dinheiro aos pobres. Foi numa peregrinação para Assis, nas pegadas do Pobrezinho que ela fez uma profunda experiência com o amor de Deus e, em 1291, ingressou para a Ordem Terceira de São Francisco, onde viveu uma vida reclusa e saía nas peregrinações em Assis. Sua direção espiritual foi confiada a Frei Arnaldo que, depois, se tornou seu biógrafo.

Santa Ângela de Foligno: consagrou-se inteiramente a Deus

Magistra Theologorum
Ainda em vida, ficou conhecida como Magistra Theologorum, onde promoveu o aprofundamento da teologia tendo como base a Palavra de Deus, a obediência à Igreja e a experiência pessoal com o Divino. Envolvida nas controvérsias que dilaceraram a Ordem Franciscana, Ângela atraiu para perto de si um cenáculo de filhos espirituais, que viam nela uma guia e mestra da fé.

Páscoa
Morreu no dia 4 de janeiro de 1309 em Foligno. Antes mesmo de falecer, foi-lhe atribuído pelo povo, de maneira informal, o título de Santa. Em 9 de outubro de 2013, o Papa Francisco realizou o que seus predecessores haviam iniciado, canonizando Santa Ângela de Foligno.

Minha oração

“Querida Ângela, tua vida é um exemplo que nunca é tarde para recomeçar, nunca é tarde para conhecer Jesus. Dai a graça da conversão, mesmo que tardia, mas não permitais que passemos dessa vida sem experimentar o nosso Deus amoroso. Amém.”

Santa  Ângela de Foligno, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 4 de janeiro

  • Na Mésia, no território atualmente compreendido entre a Roménia e a Bulgária, os santos Hermes e Caio, mártires.  († s. IV)
  • Em Dijon, na Borgonha, atualmente na França, São Gregório, bispo de Langres. († 539/540)
  • Em Uzès, na Gália Narbonense, hoje na França, São Ferréolo, bispo.  († 581)
  • Em Meaux, na Nêustria, na atual França, São Rigomero, bispo. († s. VI)
  • Em Reims, também na Nêustria, São Rigoberto, bispo. († c. 743)
  • Em Bruay-sur-l’Escaut, próximo de Valenciennes, no território de Artois da Nêustria, França, Santa Faraílde, viúva. († c. 745)
  • Em Santa Croce sull’Arno, na Etrúria, atualmente Itália, a Beata Cristiana Menabuoi, virgem, que fundou um mosteiro com a regra de Santo Agostinho. († 1310)
  • Em Durham, na Inglaterra, o Beato Tomás Plumtree, presbítero e mártir. († 1570)
  • Em Emmetsburg, cidade de Maryland, nos Estados Unidos da América do Norte, Santa Isabel Ana Seton, que fundou a Congregação das Irmãs da Caridade de São José. († 1821)
  •  Em Madrid, na Espanha, São Manuel González Garcia, bispo. († 1940)

Fonte:

  • Livro “Santos de cada dia” – José Leite, SJ [Editorial A.O. Braga, 2003]
  • Martirológio Romano
  • Vaticannews.va
  • Vatican.va

– Produção e edição: Melody de Paulo
– Oração: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

Pular para o conteúdo