Clube de Imprensa

07 de Junho – Dia Mundial da Segurança dos Alimentos, Dia da Liberdade de Imprensa e Dia de Santo Antônio Gianelli

A campanha do Dia Mundial da Segurança dos Alimentos foi criada por resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2018.

Atualmente, no mundo, estima-se que uma em cada dez pessoas adoecem após consumir alimentos contaminados, e que 420 mil pessoas morrem a cada ano, sendo que crianças menores de 5 anos são as mais afetadas, com 125 mil mortes anuais.

Em um mundo em que a cadeia de suprimento de alimentos se tornou mais complexa, qualquer incidente adverso à segurança de alimentos pode ter efeitos negativos globais, um impacto negativo na saúde pública, no comércio e na economia. Todo mundo tem um papel a desempenhar, do campo à mesa, para garantir que os alimentos que consumimos sejam seguros e não causem danos à nossa saúde. Os alimentos inócuos são fundamentais para promoção de saúde e a erradicação da fome, dois dos 17 objetivos da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Este dia internacional é uma oportunidade para fortalecer os esforços para reduzir o risco de doenças transmitidas por alimentos e garantir que os alimentos que ingerimos sejam seguros.

O Dia Nacional da Liberdade de Imprensa é comemorado no Brasil no dia 7 de junho, com o objetivo de destacar a importância da liberdade de expressão em nossa sociedade, bem como combater a censura e expor os desafios que os jornalistas fazem no país.

Como surgiu o Dia Nacional da Liberdade de Imprensa?

A data comemora um manifesto de 1977 que exigiu o fim da censura à imprensa e as restrições à  liberdade de informação.

Assinado por quase 3 mil jornalistas, o documento publicado no Boletim da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), denunciava a apreensão de todas as publicações periódicas, a não divulgação de informações por parte do governo e a ameaça que o AI-5 representa, o ato institucional que inaugurou a fase mais difícil da ditadura brasileira.

Em 2022, todos os jornais impressos e sites do consórcio realizaram um anúncio de página inteira e uma tarja preta no alto de suas capas, com o texto “Dia Nacional da Liberdade de Imprensa”. Uma campanha em defesa do jornalismo profissional.

Fonte: G1

No anúncio, tem a explicação: “Apoie o jornalismo para que páginas em branco, como essa, não aconteçam. O jornalismo precisa ser livre. Livre para informar, investigar e mostrar tudo o que acontece para que você forme a sua opinião. Quem defende o jornalismo defende a liberdade e fortalece a democracia”.

Santo Antônio Maria Gianelli

Santo Antônio Maria Gianelli

Nascimento e vocação

Antônio Maria Gianelli nasceu em Cereta, perto de Chiavari, na província de Gênova, em 12 de abril de 1789. Entrou no seminário aos 19 anos e foi ordenado sacerdote quatro anos depois. Professor de letras e retórica, para receber o novo bispo, Lambruschini, organizou, em Gênova, uma peça intitulada “A reforma do seminário”, que teve um eco notável. Religioso, Bispo de Bobbio, fundou a Congregação das Filhas de Maria Santíssima do Horto e brilhou pelo empenho e exemplo brilhante de dedicação às necessidades dos pobres, à salvação das almas e na promoção da santidade do clero.

Fundador

De 1826 a 1838, foi pároco em Chiavari. Este período é marcado por uma série de inovações pastorais e pela criação de várias instituições, como o próprio seminário. Sob o inusitado nome de “Sociedade Econômica”, foi criada uma instituição cultural e assistencial confiada por Dom Gianelli “aos cuidados das Damas da Caridade” para a educação gratuita das meninas pobres: uma caridade que confia às Damas da Caridade. É o primeiro passo para as Filhas de Maria Santíssima do Horto.

Episcopado e dedicação ao clero

Em 1838, foi eleito bispo de Bobbio. Ajudado pelos lígures, ele reconstruiu sua congregação com o nome de Oblatos de Santo Afonso. Morreu em 7 de junho de 1846; dois anos antes, havia criado uma pequena congregação missionária para pregar ao povo e organizar o clero, sendo um grande atuante na formação da Igreja. Foi canonizado por Pio XII.

Papa João Paulo II, discurso aos Jovens de Gianelli

Homem inteligente e clarividente, culto e sensível às correntes ideológicas da época, sabia muito bem que a meditação pessoal das Verdades reveladas por Jesus pode criar convicções firmes que formam consciências e iluminam as mentes. A meditação, de fato, ajuda a manter vivo o contato com o Senhor, fortalece a vontade, traz à tona os defeitos que devem ser corrigidos, eleva o tom da vida, faz respirar uma atmosfera mais elevada e serena.

A minha oração

Pedimos ao nosso santo que ensine o caminho da meditação e que, através desta, possamos ser usados pelo Senhor no serviço pastoral, no trabalho cotidiano. Que o seu exemplo e virtude sejam sempre caminho de esperança e caridade para nós, por Cristo nosso Senhor. Amém!

Santo Antônio Maria Gianelli, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em junho:

  • São Colmano, na Hibernia, atual Irlanda, bispo e abade do mosteiro de Dromore por ele fundado. († s. VI)
  • Santos mártires Pedro, presbítero, Valabonso, diácono, SabinianoVistremundoHabêncio e Jeremias, monges, em Córdova, na Andaluzia, região da Hispânia. († 851)
  • São Roberto, abade, em Newminster, na Nortúmbria, região da Inglaterra, da Ordem Cisterciense, fundou com doze companheiros este cenóbio, do qual irradiou em breve tempo a fundação de três famílias de monges. († 1159)
  • Beata Ana de São Bartolomeu, em Antuérpia, no Brabante, atualmente na Bélgica, a virgem da Ordem da Carmelitas Descalças. († 1626)
  • Beata Maria Teresa de Soubiran La Louvière, em Paris, na França, a virgem, fundou a Sociedade de Maria Auxiliadora, da qual foi expulsa, passando o resto da sua vida em profunda humildade. († 1889)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof. Felipe Aquino [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova