Clube de Imprensa

07 de Maio – Dia do Oftalmologista, Dia Mundial de Combate à Asma, Dia Nacional de Prevenção da Alergia

Dia do Oftalmologista é comemorado anualmente em 7 de Maio.

A data homenageia o profissional responsável pelo estudo, cuidado e prevenção de doenças ligadas ao sistema ocular. Em outras palavras, é o médico especialista na visão humana!

Para exercer a profissão, o oftalmologista deve concluir o curso de ensino superior em medicina e se especializar na área de oftalmologia.

Os oftalmologistas podem trabalhar tanto em clínicas privadas especializadas na visão humana ou em hospitais e clínicas públicas.

Origem do Dia do Oftalmologista

A história do Dia do Oftalmologista começou com a fundação da Sociedade de Oftalmologia de São Paulo, em 7 de Maio de 1930. Em 1968, a data foi oficializada no estado de São Paulo pelo deputado e oftalmologista Antônio Salim Curiati.

No entanto, apenas em 1986, o Ministro da Saúde Seigo Tsuzuki instituiu o dia 7 de Maio como Dia Nacional do Oftalmologista a nível nacional, através da portaria nº 398.

A asma, também conhecida como “bronquite asmática” ou como “bronquite alérgica”, é uma doença que acomete os pulmões e que se acompanha de uma inflamação crônica dos brônquios.

Caracteriza-se por um processo que afeta todo o organismo e não somente as vias aéreas inferiores, que aumentam a produção de secreções e prejudicam a passagem de ar. O asmático tem tosse freqüente, prolongada, geralmente durante a noite, nem sempre com catarro; chiado, cansaço, opressão no peito com dificuldade para respirar. Esses sintomas podem aparecer juntos ou ocorrer isoladamente. A existência de tosse crônica ou a falta de ar ao praticar exercícios físicos podem ser sintomas de asma.

As unidades básicas de saúde são a porta de entrada para o tratamento de alergias. Hospitais devem ser procurados em casos de urgência e emergência, como em reações graves. Foto: Sandro Araújo – Agência Saúde DF

Nesta terça-feira (7), é Dia Nacional de Prevenção da Alergia. A data, definida pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) em parceria com o Ministério da Saúde, chama atenção não só para a prevenção, mas também para o diagnóstico e o tratamento de doenças alérgicas.

A alergia é uma falha imunológica. O corpo se torna hipersensível ao reagir a substâncias que geralmente são imunogênicas, como ácaros, mofo, cosmético, entre outras. Também há casos em que a pessoa é considerada atópica, quando há hipersensibilidade de origem genética. Qualquer indivíduo independente da idade está sujeito a alergias.

A prevenção é evitar os os agentes desencadeantes, como alimentos, medicamentos, poeira, mofo, substâncias químicas etc. Na rede pública, o primeiro atendimento para o paciente com suspeita de alergia é feito nas unidades básicas de saúde (UBS).

O Dia Mundial de Esclarecimento sobre a Espondilite Anquilosante é comemorado dia 7 de maio. Durante todo este mês, reumatologistas buscam conscientizar a população sobre os sinais e sintomas da doença crônica, que pode começar com uma dor persistente nas costas. Com o passar do tempo, os ossos das vértebras crescem e formam nódulos, fundindo-se uns com outros, causando rigidez e dificuldade de movimentos. O paciente pode ficar tão curvado que fica impossibilitado de olhar para frente (somente para baixo). Ao contrário do que se pode pensar, a doença começa na juventude.

Dia Internacional da Luta Contra a Endometriose: 6 mitos e verdades sobre a doença

No Dia Internacional da Luta Contra a Endometriose, 7 de maio, a Comissão Nacional de Endometriose da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) faz um alerta sobre a doença que afeta 1 em cada 10 brasileiras. O Dr. Ricardo Quintairos, ginecologista e presidente da Comissão, destaca que a endometriose é uma condição caracterizada pela presença do tecido que reveste o útero (endométrio) fora do seu local habitual: os implantes de tecido podem ser encontrados nos ovários, bexiga, intestino e até no sistema respiratório.

Dia do Silêncio é celebrado anualmente em 7 de maio.

O principal objetivo desta data é conscientizar as pessoas dos males que a poluição sonora provoca, em diversos aspectos, para a queda da qualidade de vida das pessoas.

Além de consequências físicas, o excesso de ruídos também prejudica a concentração e eleva os níveis de stress.

Por este motivo, o Dia do Silêncio convida a toda a população a separar uns minutos durante o dia e desfrutar do total silêncio!

Fazer meditações ou simplesmente estar num ambiente longe dos constantes ruídos que você está acostumado a ouvir diariamente é uma das propostas do Dia do Silêncio.

Origem do Dia do Silêncio

Não existe um consenso sobre a origem do Dia do Silêncio, mas supõe-se que tenha surgido popularmente a partir da inspiração provocada pela praticas milenares da meditação.

O filósofo estadunidense William James, um dos fundadores da psicologia moderna, conseguiu definir a essência da importância do silêncio na seguinte frase: “o exercício do silêncio é tão importante quanto a prática da palavra”.

Família
Francisco Paleari nasceu em Pogliano Milanese, na arquidiocese de Milão, em 22 de outubro de 1863, penúltimo de oito filhos. Sua família carecia de recursos financeiros e não podia enviar o jovem ao seminário diocesano. No entanto, pôde cumprir a sua vocação sacerdotal em Turim, na Pequena Casa da Providência.

Vocação ao sacerdócio
Ordenado sacerdote em 18 de setembro de 1886, foi um sacerdote exemplar ao longo de sua vida. Dotado de uma vasta cultura, foi um apóstolo incansável no cumprimento de tarefas de grande responsabilidade com sabedoria e prudência, como mestre, confessor, diretor espiritual, pregador e responsável geral da arquidiocese de Turim.

Um espírito simples
A vida de Francisco Paleari não foi feita de episódios sensacionais, mas de acontecimentos de encantadora simplicidade e doçura. Pequeno em estatura e esbelto em constituição, ele praticava constantemente as virtudes, que se tornaram uma segunda natureza para ele. Pode-se dizer que em sua existência manifestou a mansidão e doçura de São Francisco de Sales, a pobreza e humildade de São Francisco de Assis, o espírito missionário de São Francisco Xavier, a atenção aos pequeninos de São Vicente de Paula, o dinamismo pedagógico de Dom Bosco. Mas, sobretudo, refletia o rosto de Cottolengo, vivendo seu carisma com entusiasmo e convicção.

Oração e caridade
O espírito de fé, que se manifestava em ver tudo à luz de Deus, era sustentado pela oração, por um excepcional fervor eucarístico e por uma filial piedade mariana. Da prolongada oração de adoração e contemplação, originou-se a sua heroica caridade para com Deus e para com o próximo. Eram as duas chamas que estavam sempre vivas, que emanavam de seu coração: uma se elevava para Deus, a outra se inclinava para o próximo. Passou a maior parte de sua vida na Casinha, visitando amorosamente os doentes a quem confortava com palavras de consolo. Além disso, ele preparou prisioneiros para a Páscoa e ajudou sacerdotes e leigos que acorreram a ele para aconselhamento e orientação. Sua misericórdia na confissão era ilimitada. Na Casinha correu o boato de que Dom Francesco Paleari era um padre santo e que se confessava santo. Os próprios penitentes diziam que com ele se sentiam próximos de Deus, sua alegria tinha uma abertura do céu.

Preparando-se para o céu
A qualquer hora e em qualquer escritório movimentado, o Venerável Servo de Deus poderia ter respondido que estava se preparando para ir para o céu. Desta forma a experiência da cruz não o pegou desprevenido, mas aceitando a longa doença que começou em 1936. A certeza de poder unir os seus sofrimentos com os de Cristo para o bem da Igreja e a esperança de alcançar a recompensa eterna no final da sua peregrinação terrena fizeram-no exclamar: “A cruz é primeiro amarga, depois amarga, depois doce e finalmente sequestra em êxtase”. O Senhor o chamou para Si em 7 de maio de 1939.

A minha oração
“Ao nosso beato, querido padre, companheiro e amigo, ajuda-nos a viver o teu espírito de simplicidade e doação. A caridade apaga uma multidão de pecados, e foi assim que tu tornas-te bem aventurado, conduza-nos também pelo mesmo caminho. Amém!”

Beato Francisco Paleári, rogai por nós!


Outros santos e beatos celebrados em 7 de maio:

1. Em Roma, Santa Domitila, mártir. († s.I/II)

2. Na Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia, os santos Flávio e quatro companheiros, mártires. († s. III/IV)

3. Em Le Mans, na Gália, hoje na França, São Cenerico, diácono e monge. († s. VII)

4. Em Beverley, na Nortúmbria, na actual Inglaterra, São João, bispo de Hexham e depois bispo de York. († 721)

5  No mosteiro de Niedenburg, na Baviera, região da Alemanha, a Beata Gisela, que, casada com Santo Estêvão, rei da Hungria, que no fim da vida tornou-se Abadessa deste mosteiro. († 1060)

6. Em Kiev, na Ucrânia, Santo António, eremita, que seguiu no mosteiro das Grutas a vida monástica que aprendera no Monte Athos. († 1073)

7. Em Cremona, na Lombardia, região da Itália, o Beato Alberto de Bérgamo, agricultor. († 1279)

8. Em Roma, Santa Rosa Veneríni, virgem de Viterbo. († 1728)

9. Em Génova, na Itália, Santo Agostinho Roscélli, presbítero. († 1902)


Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]
  • causesanti.va – Traduzido


– Pesquisa: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova