Clube de Imprensa

12 de Março – Dia Mundial Contra a Cibercensura, Dia Mundial do Glaucoma e Dia de São Luís Orione

O Dia Mundial Contra a Cibercensura é comemorado anualmente em 12 de março, em todo planeta.

A data tem o objetivo de conscientizar a sociedade mundial sobre a liberdade de expressão e comunicação online, apoiando a internet a se tornar única e acessível a todas as pessoas do planeta de maneira igualitária

O Dia Mundial contra a Cibercensura foi criado por iniciativa da ONG “Reporters Without Borders” – Repórteres sem Fronteiras, uma instituição fundada em 1985 na França, por Robert Ménard, Rony Brauman e Jean-Claude Guillebaud.

A data foi celebrada pela primeira vez em 2009.

O Dia do Bibliotecário é comemorado no dia 12 de março.  A data foi instituída pelo Decreto nº 84.631, de 12 de abril de 1980 com efeitos em todo o território nacional.

O bibliotecário é o profissional formado em biblioteconomia e que trabalha para o progresso cultural do país. Ele faz o gerenciamento das bibliotecas, o que compreende uma série de tarefas, dentre as quais a catalogação e indexação de obras, manutenção de sistemas informáticos, apenas para citar alguns.

O Aniversário de Recife, capital de Pernambuco, é comemorado em 12 de março e não é feriado. Isso porque não se sabe exatamente qual a data da fundação da cidade; esse dia faz apenas referência a essa comemoração.

Na mesma data que Recife, Olinda – chamada sua “cidade-irmã”- também celebra anos de existência.

Recife é uma das cidades mais visitadas por turistas no Brasil, principalmente durante o Carnaval. A cidade é conhecida como “Veneza Brasileira”, “Manguetown” e “Florença dos Trópicos”,

Dia Mundial do Glaucoma 
O Dia Mundial do Glaucoma é celebrado a 12 de março. Esta data alerta para a importância de um acompanhamento oftalmológico adequado.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o glaucoma afeta entre 1% e 2% da população com mais de 40 anos de idade em todo o mundo, o que representa cerca de 3 milhões de pessoas. 

Em Portugal, o glaucoma afeta cerca de 100 mil pessoas. No Brasil, o glaucoma afeta cerca de 900 mil pessoas. 

São Luís Orione propagou: “Fazer o bem sempre e a todos. O mal nunca e a ninguém”

Origens
São Luís Orione nasceu em Pontecurone, lugarejo entre o Piemonte e a Lombardia, na Itália, em 23 de junho de 1872. Em um ambiente pobre e profundamente religioso, recebeu de sua mãe, Carolina, fundamentos ternos e vigorosos de um apaixonado amor a Deus e aos necessitados, esse forma toda a luz de sua existência. “Uma grande mãe em todos os aspectos”, disse ele, “especialmente porque ela lhe ensinou a esmola e a misericórdia para com os pobres, um compromisso firme com a religião e perseverança em seu trabalho”.

Descoberta vocacional
Luís Orione sente seu chamado à sua missão muito precoce, acompanhando sempre o padre Cattaneo no hospital de Pontecurone. Ali o jovem Orione aprendeu a prestar atenção aos doentes e sofredores. Por três anos, ele trabalhou com o pai e, em 1885, finalmente realizou o seu sonho: passou uma temporada de seis meses com os religiosos franciscanos em Voghera, que, infelizmente, foi interrompida por causa de uma pneumonia.

Providência
A Providência pôs uma segunda etapa no caminho vocacional do jovem Orione. Em 4 de outubro de 1886, ele entra no Oratório de Dom Bosco de Turim. Conheceu o santo pessoalmente, confessou-se com ele, recebeu de Dom Bosco orientação espiritual e conselhos, com a grande promessa: “Seremos sempre amigos”. Durante o retiro para o ingresso do noviciado, diante o túmulo de Dom Bosco, em uma noite de orações e lágrimas, Luís Orione sente que deve encontrar seu próprio caminho na sua diocese natal; e dia 16 de outubro de 1889 é acolhido pelo seminário de Tortona.

“A oração é a graça das graças: peçamo-la e Deus nos tornará santos!” (São Luís Orione)

Sacerdócio
De 1889 a 1893, Luís Orione esteve no seminário diocesano de Tortona, nesse período de profunda vivência religiosa, social e política, enquanto se preparava para o sacerdócio, Luís sentiu formar-se em seu coração o desejo de dedicar-se inteiramente aos meninos órfãos e abandonados, conduzindo-os a Deus e educando-os para o bem. Ainda clérigo, iniciou uma série de ações juvenis. Mais tarde, abriu instituições para os mais pobres e abandonados, vítimas da fome e da miséria, desvalorizados pela sociedade. Foi ordenado sacerdote em 13 de abril de 1895, em Tortona. No dia de sua primeira missa, tomou a decisão de não ser um padre somente para os que iam à Igreja, mas ser padre para todos, especialmente para os mais afastados da Igreja e para os pobres.

Fundador e propósito sobre o Brasil
Sua atividade foi crescendo num ritmo apaixonado e foram surgindo obras, escolas, colônias agrícolas, oficinas para aprendizes, escolas profissionalizantes, casas de caridade e os Pequenos Cotolengos. Para atender a tantas obras, fundou as Congregações Religiosas: Pequena Obra da Divina Providência, eremitas da Divina Providência, Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade e Irmãs Sacramentinas Cegas. Para visitar e incentivar os seus filhos missionários, esteve diversas vezes na América do Sul: Argentina, Uruguai, Chile e no Brasil (1921, 1922, 1934 e 1937) disse que o que não pudesse fazer pelo Brasil quando vivo, o faria depois de morto.

Últimos dias
Morreu em 12 de março de 1940, em San Remo, na Itália, onde foi cuidar de sua saúde por ordem de seus médicos e superiores. Antes de ir a San Remo, protestou que não era entre palmas que queria morrer, mas entre os pobres.

O Processo de Canonização

De Beato a Santo
João Paulo II o beatificou em 26 de outubro de 1980. Depois de reconhecidas suas virtudes heroicas e sua bondade em vários milagres comprovados e aprovados, o mesmo Papa João Paulo II o proclamou Santo da Igreja numa missa de Canonização na Praça de São Pedro, em Roma, no dia 16 de maio de 2004. Papa João Paulo II reconhece:

“É impossível resumir a riqueza do espírito de Dom Orione, porque tinha um coração como o de São Paulo: terno e sensível até as lágrimas; incansável e tenaz até a audácia; dinâmico até o heroísmo; viveu em contato com os grandes homens da política e da cultura, iluminou os sem fé, converteu pecadores, viveu recolhido em contínua oração, praticava incríveis penitências.”

Atividades missionárias de grande importância

Missões
Recebeu grandes demonstrações de estima de papas e de autoridades que lhe confiaram missões importantes e delicadas. Tais missões foram para sanar feridas profundas no seio da Igreja e da sociedade. Foi Dom Orione, pregador popular, confessor e organizador de peregrinações, de missões populares e de presépios vivos. Grande devoto de Nossa Senhora, propagou de todos os modos a devoção mariana e ergueu santuários, entre os quais o de Nossa Senhora da Guarda em Tortona e o de Nossa Senhora de Caravaggio; na construção desses santuários será sempre lembrada a iniciativa de Dom Orione de colocar seus clérigos no trabalho braçal ao lado dos mais operários civis.

Ideais de vida
Viveu para amar e servir. Não conheceu outro motivo para viver. Fez da sua vida e da sua fé uma única missão. Sofreu muito, mas não fez ninguém sofrer. Tinha como ideal “fazer o bem sempre, fazer o bem a todos. O mal nunca e a ninguém”. Esse propósito continua vivo em seus filhos e filhas (religiosos, religiosas, leigos e leigas), que continuam difundindo seu carisma, por meio de obras de caridade nos 4 continentes, em mais de 30 países.

Frases

“Só a caridade salvará o mundo: dos riscos, dos medos, de todo mal.”

“Minha pobre vida seja toda inteira um cântico de divina caridade na terra.”

“Arda nossa vida de divino amor e seja toda consagrada a Deus!”

“Vamos esvaziar o coração de tudo que não é  Deus, que não é amor!”

“Competir, rivalizar, sim, para sermos melhores  servidores de Deus e do amor.”

Devoção a São Luís Orione

Oração oficial de São Luís Orione
Ó Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, nós vos adoramos e vos damos graças pela imensa caridade que infundistes no coração de São Luís Orione e por ternos dado nele o Apóstolo da Caridade, o Pai dos Pobres e o Benfeitor da humanidade, sofredora e abandonada. Concedei-nos que possamos imitar o amor ardente e generoso que São Luiz Orione tinha para convosco, com a Santíssima Virgem, com a Igreja, com o Papa e com todos os aflitos. Pelos seus méritos e sua intercessão, concedei-nos a graça que vos pedimos (pedir a graça) para experimentar a vossa Divina Providência. Amém.

Minha oração
“São Luís Orione, amigo dos jovens excluídos e necessitados, ensinai-me a ter um coração aberto e acolhedor para as realidades da juventude atual. Que eu seja fonte de acolhida e compreensão, mas também de testemunho cristão. Dai-me a paternidade para educar esses pequeninos como tu educaste e o amor para ensiná-los o caminho do céu.”

São Luís Orione, rogai por nós!


Outros beatos e santos que a Igreja faz memória em 12  de março:

  • São Maximiliano, mártir em Tebessa, na Numídia, na atual Argélia. († 295)
  • Os santos mártires Migdónio, presbítero, Eugénio, Máximo, Dona, Mardónio, Pedro, Esmaragdo e Hilário, em Nicomédia, na Bitínia, hoje Izmit, na Turquia. († 303)
  • São Pedro, mártir,  em Nicomédia da Bitínia. († 303)
  • Santo Inocêncio I, papa em Roma. († 417)
  • São Paulo Aureliano, primeiro bispo da cidade de Saint-Pol-de-Léon, na Bretanha Armórica, hoje na França,. († s. VI)
  • São Gregório Magno, papa em Roma. († 604)
  •  São Teófanes, o Cronógrafo, em Sigriana, localidade da Bitínia, na atual Turquia, no mosteiro de Campo Grande. († 817)
  •  Santo Elfego, bispo em Wincester, na Inglaterra. († 951)
  •  Beata Fina ou Serafina, virgem, em San Geminiano, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália. († 1253)
  • Beata Justina Francúcci Bézzoli, virgem da Ordem de São Bento e reclusa, em Arezzo, também na Etrúria, atualmente na Toscana, região da Itália. († 1319)
  • Beato Jerónimo Gherardúcci, presbítero da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho,  em Recanati, no Piceno, atualmente nas Marcas, também região da Itália. († c. 1369)
  • São José Zhang Dapeng, mártir na Guiyang, cidade da província de Guangxi, na China.(† 1815)
  • Beata Ângela Salawa, virgem da Ordem Terceira de São Francisco, em Cracóvia, na Polónia. († 1922)

Fontes:

  • Antônio.S. Bogaz – Rodinei C. Thomazella. O Encantador da Juventude – Aspectos Teológicos da Pedagogia de Dom Orione.Edição Pequena Obra da Divina Providência, São Paulo, 2001, p. 17 a 19
  • orionitas.com.br – site Orionitas
  • vaticannews.va
  • Giovanni Venturelli – Flavio Peloso, San Luigi Orione – l’apostolo dela carità, Editrice Velar, Gorle, 2004
  • Martirológio Romano
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aquino [Cléofas 2007]

– Pesquisa: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova
– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova
– Conteúdo certificado, em 2022, por Padre Marcio Calais, Orionita

Pular para o conteúdo