Clube de Imprensa

14 de Novembro – Dia do Bandeirante, Dia Mundial do Diabetes e Dia de São José Pignatelli

Domingos Jorge Velho, bandeirante paulista. Pintura de Benedito Calixto, 1903.

Dia do Bandeirante é comemorado anualmente em 14 de Novembro, no Brasil.

A data homenageia os personagens responsáveis por desbravar e ajudar a conquistar e proteger grande parte do território brasileiro durante o período da colonização portuguesa: os bandeirantes.

Bandeirantes eram chamados os exploradores que saiam do litoral em direção ao interior do Brasil, uma região até então inexplorada, em busca de ouro e pedras preciosas. Foram responsáveis pela expansão do território nacional, mas ao mesmo tempo, um dos principais inimigos dos indígenas da época.

Os bandeirantes caçavam os índios e negros e escravizavam-os durante as expedições. Foram um dos grandes protagonistas do sistema escravocrata no período do Brasil Colonial.

As expedições organizadas por grupos particulares (senhores do engenho, fazendeiros, comerciantes) eram chamadas de Bandeiras, já os grupos de desbravadores enviados pelo governo recebiam o nome de Entradas.

Origem do Dia do Bandeirante

O Dia do Bandeirante é celebrado em 14 de Novembro, no entanto não há um registro que oficialize a data ou que explique o motivo para a sua escolha.

Mas, as comemorações acontecem em todo o país, principalmente nas escolas. Os alunos realizam atividades que lembram a importância que estes personagens tiveram para a construção da história do Brasil.

Dia Nacional da Alfabetização é comemorado anualmente em 14 de Novembro, no Brasil.

A data tem o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da implantação de melhores condições de ensino e aprendizagem no país.

A alfabetização não se baseia unicamente no ato de aprender a ler e a escrever, mas também no desenvolvimento da capacidade de compreensão, interpretação e produção de conhecimento.

Origem do Dia Nacional da Alfabetização

Dia Nacional da Alfabetização é comemorada desde 14 de Outubro de 1966, criada em homenagem à criação do Ministério da Educação e Cultura (MEC) em 1930, a partir do Decreto de Lei nº 19.402.

No Brasil também se comemora o Dia Internacional da Alfabetização, em 8 de Setembro. Esta data foi instituída pela ONU (Organização das Nações Unidas) e possui o mesmo objetivo de fomentar o processo de alfabetização em todos os países do mundo.

Atividades para o Dia Nacional da Alfabetização

No Dia da Alfabetização, a comunidade escolar e familiar costumam se unir na prática de atividades que auxiliem no processo de conscientização da importância em construir um país livre do analfabetismo. Neste dia você pode aproveitar para:

  • Realizar um concurso de poesia, incentivando os alunos a produzir seus próprios poemas
  • Desenhar e pintar algo relacionado sobre viver em um país alfabetizado
  • Fazer um concurso de soletrar/ditado

O Dia Mundial da Diabetes é comemorado desde 1991, em 14 de novembro, data de aniversário de Sir Frederick Banting, co-descobridor da insulina, juntamente com Charles Best.

O tema adotado para as campanhas dos anos de 2021 a 2023 é “Acesso aos Cuidados da Diabetes”.

Globalmente, estima-se que 422 milhões de adultos viviam com diabetes em 2014, em comparação com 108 milhões em 1980. A prevalência global de diabetes quase dobrou desde 1980, passando de 4,7% para 8,5% na população adulta. Isso reflete um aumento nos fatores de risco associados, como sobrepeso ou obesidade.

São José Pignatelli, padre que deu exemplo de obediência à Sé Apostólica

Origem e seu começo nos Jesuítas

José Pignatelli nasceu em Saragoça, em 1737, pertencente a uma nobilíssima família do reino de Nápoles. Perdeu a mãe aos cinco anos, morando com uma irmã, de quem recebeu educação católica. Retornando para a Espanha, aos doze anos, entrou para a Companhia de Jesus acompanhado de seu irmão. Fez o Noviciado junto aos Jesuítas da província de Aragão. Aplicou-se aos estudos, primeiro em Manresa e, depois, nos colégios de Bilbau e de Saragoça.

Em 1762, foi ordenado sacerdote, dedicando-se ao ensino das Letras e, com grande fruto, aos ministérios apostólicos. Em 1767, levantou-se uma grande perseguição contra a Companhia de Jesus, onde os Jesuítas foram expulsos dos países que atuavam: França, Reino das Duas Sicílias, dos Ducados de Parma e Piacenza, de Malta e de Portugal. Por fim, foram também expulsos da Espanha por rei Carlos II. Em meio às adversidades, Padre Pignatelli mostrou sua força e constância, por isso foi nomeado Provincial de todos esses exilados. Recomendaram-lhe especial cuidado pelos mais jovens, o que ele praticou com grande zelo. Da Córsega foi obrigado a transferir-se, com os outros, para várias regiões, vindo finalmente a fixar-se em Ferrara, na Itália, onde fez a profissão solene de quatro votos.

Sacerdote caridoso, preparação e restauração da Companhia de Jesus

Pouco depois, sendo a Companhia de Jesus dissolvida por Clemente XIV, em 1773, Padre Pignatelli deu exemplo extraordinário de perfeita obediência à Sé Apostólica como também de intenso amor para com a Companhia de Jesus. Indo para Bolonha e estando proibido de exercer o ministério apostólico com as almas, por quase vinte e cinco anos, entregou-se aos estudos, construindo uma biblioteca de grande valor, dando-se principalmente às obras de caridade para com os antigos membros da Companhia.

Depois de um tempo, pediu para ser recebido na Família Inaciana existente na Rússia, onde reinava Catarina, que, sendo cismática, não aceitava a supressão vinda de Roma. Os Jesuítas da Rússia atentaram-se ao bom número de ex-Jesuítas italianos, e Padre Pignatelli uniu-se a todos eles, tendo-lhe sido permitido renovar a profissão solene. Com licença do Papa Pio VI, foi construída uma casa para os noviços no ducado de Parma, onde o Padre Pignatelli foi reitor. Em 1804, Pio VII restaurou a Companhia de Jesus no reino de Nápoles, e o Padre Pignatelli veio a ser provincial. Mas o exército francês apareceu e dispersou este grupo de Jesuítas.

Em 1806, transfere-se para Roma, onde é muito bem recebido pelo Sumo Pontífice. Os franceses, que estão a ocupar Roma, toleram-no. No silêncio, Padre Pignatelli vai preparando o renascimento de sua Companhia. Esse fato só ocorreu em 1814, com o citado Papa beneditino Pio VII.

Sua Páscoa e canonização

Padre Pignatelli faleceu em 1811, com 74 anos. Foi beatificado por Pio XI, em 1933, que chamou o santo de “o principal anel da cadeia entre a Companhia que existira e a Companhia que ia existir (…). O restaurador dos Jesuítas”.

Profundo devoto do Sagrado Coração de Jesus e da Virgem Santíssima, homem adorador (passava noites inteiras diante do Santíssimo Sacramento), São José Pignatelli foi canonizado, em 1954, pelo Papa Pio XII.

São José Pignatelli, rogai por nós!