Clube de Imprensa

16 de Novembro – Dia Internacional da Tolerância, Dia Mundial da Filosofia e Dia de Santa Margarida

Dia Internacional da Tolerância

Dia Internacional da Tolerância é comemorado anualmente em 16 de Novembro.

A data tem o objetivo de promover o bem estar, o progresso e a liberdade de todos os cidadãos, assim como fomentar a tolerância, o respeito, o diálogo e cooperação entre diferentes culturas, religiões, povos e civilizações.

Dia Internacional da Tolerância combate qualquer tipo de intolerância e preconceito, seja ele religioso, sexual, econômico ou cultural.

Com a globalização, a pluralidade cultural que existe no mundo se tornou ainda mais interligada, exigindo uma maior compreensão das pessoas em respeitar os diferentes modos de viver de cada cidadão. Isso, no entanto, não significa que devemos aceitar as ideias ou doutrinas de todas as sociedades, mas apenas aprender a respeitá-las e conviver com as diferenças.

Origem do Dia Internacional da Tolerância

Dia Internacional da Tolerância foi criado em 1996, pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A ideia surgiu a partir do Ano das Nações Unidas para a Tolerância, em 1995, que foi decidida e programada desde 1993, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO.

No Brasil, ainda comemora-se o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, data que também possui o significado de conscientizar à população a respeitar as diferenças religiosas que existem no país.

A data comemorativa foi instituída pela Lei nº 11.506/2007 com o objetivo de divulgar informações que contribuam para combater o preconceito contra as pessoas que utilizam o procedimento da estomia (ou ostomia).

Estomizados são pessoas que devido à má formação congênita, tumores intestinais, doença inflamatória intestinal, traumas abdominais, entre outras causas, foram submetidas a um procedimento cirúrgico para a abertura de um orifício, conhecido como estoma, para a saída de fezes ou urina.

“O Dia Mundial da Filosofia é o momento propício para se compreender, com Merlau-Ponty, que “a verdadeira filosofia é reaprender a ver o mundo”.

O Dia Mundial da Filosofia foi instituído pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Todos os anos ele é comemorado na terceira quinta-feira do mês de novembro. Neste ano de 2007, os eventos alusivos à data acontecem neste 15 de novembro, dia durante o qual se discutirá, entre outras coisas, sobre para que serve a filosofia.”

Nesse mês, celebramos o Dia Nacional de Atenção à Dislexia, uma ocasião crucial para destacar e compreender uma realidade que impacta a jornada educacional de muitos. Dentre dificuldades e estigmas, as pessoas ao redor daqueles que possuem o transtorno podem não ter conhecimento suficiente para compreender e acolher.

Por isso, a data foi criada para trazer visibilidade a essas pessoas e ao transtorno, com o intuito de realizar eventos sociais e culturais que ajudem a conscientizar a sociedade e mostrar a importância do diagnóstico e tratamento precoce.

O “Dia Nacional da Amazônia Azul” foi instituído pela Lei nº 13.187, de 11 de novembro de 2015. A data de 16 de novembro foi escolhida em homenagem à entrada em vigor da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, em 16 de novembro de 1994, ratificada por 118 países. A convenção definiu as extensões de mar territorial, zona contígua, zona econômica exclusiva e plataforma continental.

Santa Margarida da Escócia, a caridosa rainha

Origens 

Santa Margarida nasceu em Mecseknádasd, Hungria, no ano de 1046, isso quando seu pai Eduardo III (de nobre família inglesa) ali vivia exilado devido aos conflitos pelo trono da Inglaterra (o rei da Dinamarca ocupara o trono inglês). Em 1054, seu pai retornou à Inglaterra, Margarida tinha, portanto, oito ou nove anos quando conheceu a pátria inglesa.

Restauração da Guerra
No entanto, após a morte de seu tio-avô, Santo Eduardo, em 1066, recomeçaram os conflitos. A luta entre Haroldo e Guilherme da Normandia obrigou Edgardo, irmão de Margarida, a refugiar-se novamente na Escócia com a mãe e as irmãs, tendo-lhes o pai morrido alguns anos antes.

Esposa do Rei Malcom III
Vivendo na Escócia, em 1070, Margarida casou-se com o rei Malcom III, tornando-se rainha da Escócia, dessa união, tiveram oito filhos. Seis príncipes e duas princesas, uma delas chamada Edite, que veio posteriormente a ser rainha da Inglaterra e ficou conhecida com o nome de Santa Matilde com os quais buscava a graça de constituir uma verdadeira Igreja doméstica.

Santa Margarida da Escócia: Caridosa Rainha

Rainha da Escócia
Como rainha da Escócia, procurou cooperar com o rei, tanto no seu aperfeiçoamento humano, pois de rude passou a doce. Quanto à administração do reino, baniu todas as futilidades e aproximou os bens reais das necessidades dos pobres.

Caridade
Conta-se que a própria Santa Margarida da Escócia alimentava e servia diariamente mais de cem pobres. Ela cuidava a ponto de lavar os pés e beijar as chagas daqueles que eram vistos e tratados por ela como irmãos e presença de Cristo.

Disseminadora da Fé Católica
Graças a Santa Margarida da Escócia, os cultos religiosos foram uniformizados e conformados com os da Igreja de Roma. Determinou que o jejum quaresmal fosse respeitado, e que a Páscoa fosse celebrada; recomendou a frequente busca pela confissão e a abstenção dos trabalhos aos domingos. Incentivou a construção de igrejas, capelas e escolas, difundindo a educação religiosa. Com seu intermédio, monges beneditinos fundaram mosteiros na Escócia.

Santa Margarida da Escócia, teve fé nos momentos mais difíceis

Morte do Rei Malcolm III
Com a saúde debilitada, Margarida adoeceu, em 1093. Ao mesmo tempo, o seu esposo e filho mais velho tiveram que participar de uma batalha contra Guilherme, o Vermelho, que invadia toda a Escócia. Ambos faleceram nesse mesmo ano. Margarida, que tanto os amava, não se desesperou, e sim aceitou; entregou tudo a Deus rezando: “Agradeço, ó Deus, porque me dás a paciência para suportar tantas desgraças!”.

Páscoa

Santa Margarida da Escócia faleceu no dia 16 de novembro de 1093 no Castelo de Edimburgo. Foi sepultada na igreja da Santíssima Trindade, em Dunfermline, para onde também o corpo do rei Malcom III foi levado mais tarde.

Via de Santificação

Em 1250, foi canonizada pelo Papa Inocêncio IV devido a seu exemplo de vida e fidelidade à Igreja e caridade para com os necessitados.

Minha oração

“Santa rainha, foste nobre no sangue e na alma, soubeste amar os irmãos como Jesus ensinou, e a viver a caridade como ele ordenou.  Do mesmo modo, dai a cada um de nós as mesmas virtudes para que sejamos nobres em santidade e humildes em todas as ocasiões. Amém.”

Santa Margarida da Escócia, rogai por nós!