2 milhões já foram vacinados contra Covid no mundo. Veja os países

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Homem sendo vacinado contra Covid - Foto: Reuters

Homem sendo vacinado contra Covid – Foto: Reuters

Enquanto a gente espera aqui no Brasil, mais de 2,3 milhões já receberam o presente de Natal antecipado e foram vacinados contra a Covid-19 no mundo, até esta terça, 22.

Seis países agiram rápido, saíram na frente e conseguiram comprar – ou produzir – a vacina antes dos outros e estão imunizando suas populações, para evitar novos doentes e mortos.

São eles: Reino UnidoEstados Unidos, Canadá, Israel, China e Rússia, que aprovaram as doses dos imunizantes para uso emergencial ou definitivo. O portal Our World in Data – veja aqui – mostra online como está a vacinação no planeta.

Vacinas x países

China e Rússia usam vacinas próprias, autorizadas pelos governos dos dois países.

A Rússia aplica a Sputnik V, com imunizantes criados pelo Instituto Vector e pelo Instituto Gamaleya.

A China tem três vacinas diferentes: a Sinopharm, a CanSino e Sinovac, que no Brasil está sendo produzida em parceira do Instituto Butantan, em São Paulo.

Nenhuma das vacinas da China concluiu ainda a terceira fase estudos de segurança e eficácia, exigida para a aprovação por órgãos reguladores de outros países.

Reino Unido, EUA, Israel e Canadá estão vacinando a população com a vacina da Pfizer/BioNTech.

E os EUA também aprovaram e distribuíram a vacina da americana Moderna, ou seja, o país está vacinando a população com dois imunizantes diferentes.

Vacina de Oxford

O mundo aguarda agora a vacina de Oxford, que durante a primeira onda da pandemia apareceu como a alternativa mais promissora, porém, até hoje ela não foi aprovada por nenhum órgão regulador do mundo. A ponto de o Reino Unido, onde foi criada, estar aplicando a vacina norte-americana na Pfizer.

Apesar de ter sido 1ª a ter estudo da fase 3 de testes publicado em revista científica e de apresentar eficácia de 62 a 90 %, a vacina de Oxford e da farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca ainda precisa ser aprovada pelos órgãos reguladores: no Reino Unido, a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA, na sigla em inglês) e a Anvisa, aqui no Brasil.

A Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca já negociaram mais de 2 bilhões de doses com diversos países.

Brasil

No Brasil a vacina de Oxford deverá ser fabricada em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Mas por enquanto, o imunizante inglês não foi aprovado por nenhum órgão regulador do mundo.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informou nesta terça, 22, que começará a entregar a vacina de Oxford ao Ministério da Saúde a partir do dia 8 de fevereiro. Palavra do presidente do instituto, Nísia Trindade, durante uma audiência sobre o combate à Covid-19 realizada pela Comissão Externa da Câmara dos Deputados.

No contrato firmado pelo governo federal, o Brasil receberá o chamado “ingrediente farmacêutico ativo” (IFA) para processamento e envase das doses na fábrica de vacinas Bio-Manguinhos, da Fiocruz.

A previsão da Fiocruz derruba ao menos parte do cronograma anunciado pelo ministro Eduardo Pazuello no dia 17. O ministro previa a entrega de 24,7 milhões de doses ainda em janeiro, sendo 15 milhões delas da vacina de Oxford.

Dória

O governador de São Paulo, João Doria – que pretende começar a vacinação no Estado no dia 25 de janeiro – anunciou que na próxima quinta, 24, SP receberá um lote com matéria-prima para mais 5,5 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butatan.

Dória afirmou que, com o novo lote, São Paulo terá até 31 de dezembro 10,8 milhões de doses disponíveis.

Porém, a Coronavac ainda não apresentou para a Anvisa os estudos sobre a fase 3 de testes e a taxa de eficácia do imunizante. É isso que falta para que a vacina chinesa consiga registro para ser aplicada na população de São Paulo e de outros 11 Estados e 276 municípios que já formalizaram interesse em parceria com o governo paulista.

Países onde já começou vacinação - Foto: reprodução / OurWorldInData
Países onde já começou vacinação – Foto: reprodução / OurWorldInData

Rinaldo de Oliveira SNB com informações do G1, BBC, NTY e CNN