Clube de Imprensa

20 de Abril – Dia do Diploma, Dia do Disco e Dia de Santa Inês de Montepulciano

Dia do Diplomata é comemorado anualmente em 20 de abril.

Esta data homenageia a importante função do diplomata, que tem a responsabilidade de informar, representar e negociar variados assuntos e discussões entre os interesses de diferentes países.

Um diplomata representa o seu país em um território estrangeiro, portanto deve ser um ótimo articulador na hora de debater sobre os assuntos internos de seu país com um representante de outra nação.

No Brasil, para se tornar diplomata o interessado deve prestar uma prova de concurso, caso seja aprovado, ainda deverá se submeter a um estágio probatório de dois anos. Após essa primeira fase, o diplomata vai progredindo em sua carreira, passando pelos cargos de Terceiro, Segundo e Primeiro Secretário consecutivamente; Conselheiro; Ministro de Segunda Classe e, por fim, Ministro de Primeira Classe (Embaixador).

Para garantir as várias oportunidades de viagens e o bom salário, o diplomata têm em mãos uma grande responsabilidade de representar a nação fora do país. Dedicação, bons conhecimentos gerais, articulação e organização são componentes essenciais para um bom profissional.

Origem do Dia do Diplomata

Dia do Diplomata no Brasil se comemora em 20 de abril em homenagem ao “Patrono da Diplomacia Brasileira”, José Maria da Silva Paranhos, mais conhecido como Barão de Rio Branco.

O Barão de Rio Branco nasceu em 20 de abril de 1850 e já comandou o Ministério de Relações Exteriores brasileiro, participando em missões de paz no Paraguai (durante a guerra) e cônsul-geral na cidade de Liverpool, na Inglaterra.

Devido a grande contribuição que o Barão do Rio Branco trouxe para a Chanceleria Brasileira, o Dia do Diplomata é comemorado no dia de seu aniversário.

Dia do Disco, também conhecido como Dia do Disco de Vinil, é comemorado anualmente em 20 de abril.

O disco de vinil é considerado um marco na história do entretenimento musical, ajudando a criar novos hábitos, seja entre os ouvintes ou entre os produtores musicais.

O vinil foi desenvolvido em meados da década de 1940, permanecendo popular em todo o mundo até o surgimento do CD e de outras mídias mais avançadas.

Também chamado de LP (abreviação de Long Play), para reproduzir um disco de vinil é necessário um “toca disco” ou “vitrola”, como também é conhecido.

Atualmente, o disco de vinil voltou a se tornar popular, não pela sua praticidade (visto que os CD’s apresentam superior qualidade sonora, por exemplo), mas pela peculiaridade que o caracteriza.

Os vinis ressurgiram não com a mesma força comercial de outrora, mas como um objeto retrô, destinado principalmente para os verdadeiros amantes da música e desta clássica mídia.

Origem do Dia do Disco

A comemoração do Dia do Disco de Vinil surgiu em homenagem ao músico Ataulfo Alves, que morreu em 20 de abril de 1968.

Dez anos depois, em 1978, no Rio de Janeiro, os saudosistas e colecionadores de discos decidiram dedicar esta data para celebrar a sua paixão pelo vinil.

O Dia da Língua Chinesa foi incluído no calendário mundial pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de  lembrar a importância da história e cultura dos chineses.    A data de 20 de abril é uma homenagem à contribuição de Cang Jie, considerado o criador dos logogramas da escrita chinesa. 

O mandarim é a língua mais falada no mundo, sendo o idioma oficial da China desde a década de 1950. O país asiático também tem outros idiomas em seu grupo linguístico, como o Wu, Gan, Xiang, Min, Hakka, Yue, Jin, Huizhou e Pingua. Além disso, há alguns dialetos, sendo o maio

Santa Inês de Montepulciano, tornou prostitutas em freiras

Origem
Italiana, nasceu numa aldeia chamada Graciano, vizinha da cidade de Montepulciano. Filha de uma rica família chamada Segni, aos 4 anos já sabia rezar as orações do Pai-Nosso e Ave-Maria. Desde os seis anos, disse aos pais que queria se tornar freira, eles porém, não aceitavam.

Espiritualidade mística
Santa Inês viveu experiências místicas e de forte combate espiritual. Uma delas foi quando sofreu um ataque por demônios que assumiram a forma de corvos e feriram sua cabeça com as garras e bicos. Ao chegar em casa, os pais ficaram muito preocupados com o que aconteceu, e mesmo a contragosto, permitiram a entrada tão cedo, aos 9 anos, no convento das freiras de São Domingos. Aos 15 anos, foi eleita superiora devido à grande percepção da realidade, sua maturidade.

Êxtase espiritual
Em sua vida de oração, quando rezava entrava em êxtase e até demoradas levitações. Brotavam rosas e lírios com perfume onde ela ajoelhava para rezar. Devido aos inúmeros acontecimentos sobrenaturais, as irmãs de sua congregação testemunharam muitos destes fenômenos.

 “Minhas filhas, amai-vos umas às outras, porque a caridade é o sinal dos filhos de Deus!” – Santa Inês de Montepulciano

Evangelizou no prostíbulo
Possuía uma grande determinação, o dom da profecia e uma vida de santidade já em sua juventude. Dispôs-se a evangelizar um famoso prostíbulo que havia próximo do local onde vivia. Ela profetizou que ali seria um convento. Evangelizou um grande número de mulheres naquele local, anunciando o Evangelho de Jesus, mostrando-lhes um sentido novo para suas vidas e a misericórdia de Deus. Grande foi a conversão daquelas mulheres, que deixaram a prostituição e o local se tornou um convento habitado por ex-prostitutas, e se destacou por modelo de virtude, de ordem, de amor, de oração e de fraternidade entre as irmãs. Testemunho da presença e ação de Deus na recuperação das pessoas que não tinham mais esperança.

Corpo incorrupto
Inês faleceu no dia 20 de abril de 1317, aos 43 anos, acometida por uma grave e dolorosa enfermidade. Seu túmulo passou a ser local de peregrinação e grandes milagres aconteceram ali por sua intercessão. Seu corpo se encontra incorrupto. Foi encontrado em perfeito estado de conservação e enviado para a Igreja Dominicana em Orvieto, onde se encontra até hoje. Em 1726, foi canonizada pelo Papa Bento XIII.

Minha oração
Santa Inês, exemplo de humildade, caridade, vigilância, vida de intensa oração, abençoai-me e olhai para mim. Pois vos olho como quem intercederá junto a Jesus por mim e minha família,  já que necessitamos de tantas virtudes e graças. Concedei-nos a vossa fé, vossa beleza interior, o vosso amor. Que assim seja. Amém.”

Santa Inês de Montepulciano, rogai por nós!


Outros santos e beatos que a Igreja faz memória em 20 de abril

  • Santo Aniceto, Papa, que recebeu São Policarpo, para dialogar sobre o dia da Páscoa. († c.166)
  • Santos Sulpício e Serviciano, mártires, Roma. ( † data inc.)
  • São Secundino, mártir. († s. IV)
  • São Marcelino, bispo, natural da África. († c.374)
  • São Marciano, monge, na França († c. 488)
  • São Teodoro, que, chamado Triquinas por causa do áspero cilício de crinas que usava sempre, na Turquia († s. V)
  • Santo Anastásio, bispo e mártir, que foi assassinado por sicários, na Turquia († 609)
  • Santa Heliena, virgem, na Campânia, região da Itália. († s. VII)
  • São Vião, bispo, natural da Frísia. († 804)
  • Beato Geraldo de Sales, eremita que fundou numerosas casas de cónegos regrantes, na França. († 1120)
  • Beato Domingos Vernagálli, presbítero da Ordem Camaldulense, na Itália. († 1218)
  • Beato Simão de Tódi Rinaldúcci, presbítero da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho, que instruiu os jovens estudantes e o povo, na Itália. († 1322)
  • Beatos Jaime Bell e João Finch, mártires, na Inglaterra. († 1584)
  • Beatos Ricardo Sargeant e Guilherme Thomson, presbíteros e mártires, que, padeceram no patíbulo de Tyburn o extremo suplício. († 1584)
  • Beato Maurício MacKenraghty, presbítero e mártir, que, foi condenado ao suplício do patíbulo, na Irlanda. († 1585)
  • Beato António Page, presbítero e mártir, que foi condenado a cruéis torturas em ódio ao sacerdócio, na Inglaterra. († 1593)
  • Beatos Francisco Page, da Companhia de Jesus, e Roberto Watkinson, presbíteros e mártires, na Inglaterra. († 1602)
  • Beata Clara Bossatta (Dina Bossatta), virgem, que, com o auxílio de São Luís Guanella, fundou o Instituto das Filhas de Santa Maria da Providência, na Itália. († 1887)
  • Beato Anastásio Pankiewicz, presbítero da Ordem dos Frades Menores e mártir, que, deu testemunho da sua fé até à morte, na Áustria. († 1942)

Fontes:

  • vaticannews.va
  • Martirológio Romano
  • dominicanos.org.br
  • irmaspassionistas.org.br
  • arautos.org

– Pesquisa: Angélica Jordão – Comunidade Canção Nova – São Paulo (SP)
– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova