Clube de Imprensa

23 de Abril – Dia Mundial do Escoteiro, Dia do Torcedor Corinthiano e Dia de São Jorge

Dia Mundial do Escoteiro é comemorando em todo o mundo no dia 23 de abril. O movimento foi fundado pelo britânico Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, em 1907, com o objetivo de tornar meninos cidadãos exemplares. O escoteiros tem diversos lemas, como “estar sempre alerta para ajudar o próximo e praticar diariamente uma boa ação”.

Os escoteiros prezam a natureza e as atividades ao ar livre como exercícios, excursões e acampamentos, e têm como finalidade serem sadios para desenvolver noções de dever com a Pátria e para com o próximo.

O Dia Mundial do Escoteiro também é conhecido simplesmente como Dia do Escoteiro, ou Dia do Escotismo.

Origem do Dia Mundial do Escoteiro

O Dia Mundial do Escoteiro é celebrado no dia 23 de abril em homenagem ao padroeiro dos escoteiros, São Jorge. São Jorge é conhecido como um santo guerreiro, uma vez que ele foi soldado de cavalaria, e logo cedo ficou conhecido por sua bravura. Robert Stephenson Smyth Baden-Powell que escolheu São Jorge para ser o padroeiro dos escoteiros, por o considerar um modelo a ser seguido, pois São Jorge “fez o melhor que pode e, conseguiu superar uma dificuldade que ninguém ousara enfrentar”.

A serralheria é um ramo de atuação muito presente e atuante em vários setores do mercado. Com muita versatilidade, o serralheiro oferece produtos e serviços variados para a construção civil, indústria, ambientes domésticos e corporativos. Para homenagear o profissional da serralheria, comemoramos o dia do serralheiro em 23 de abril. Vamos falar sobre a importância deste profissional e sua contribuição para a sociedade.

No dia 23 de abril comemoramos o dia do serralheiro, o profissional que manuseia e dá formas diferentes ao aço, ferro e alumínio, sempre com muita criatividade e habilidade.

O serralheiro desenvolve serviços diversos em ambientes domésticos e profissionais, participando da elaboração de projetos, criação, restauração e instalação de peças para os mais diferentes usos.

Foto: Bruno Teixeira

Dia do Torcedor Corinthiano é comemorado anualmente em 23 de abril, no Brasil.

A data foi criada para homenagear e celebrar todos os fãs do Sport Club Corinthias Paulista, fundado em 1910. Os corintianos ou Alvinegros, como são chamados os torcedores do Corinthias, formam atualmente uma das maiores torcidas esportivas do Brasil.

Origem do Dia do Torcedor Corinthiano

A data foi criada com a Lei nº 14.399, de 5 de maio de 2007, autoria do então vereador Antônio Goulart, que determina o Dia do Torcedor Corinthiano para o dia 23 de abril.

A data foi escolhida em homenagem ao Dia de São Jorge, padroeiro do Corinthians, que também é celebrado em 23 de abril, entre os católicos.

Atualmente, a data está oficialmente inserida no calendário oficial dos eventos da cidade de São Paulo.

TRE-PE celebra dia das Libras

O Dia Nacional da Educação Para Surdos é comemorado no dia 23 de abril com o intuito de rememorar as lutas e celebrar as conquistas da comunidade surda com a integração de práticas inclusivas no ensino regular.

No Brasil, os surdos só começaram a ter acesso à educação durante o Império, no governo de Dom Pedro II, com o advento da primeira escola de educação de meninos surdos, em 26 de setembro de 1857, na antiga capital do país, o Rio de Janeiro. Com a fundação do Imperial Instituto de Surdos-Mudos (posteriormente renomeado Instituto Nacional de Educação dos Surdos – INES), se iniciou o processo de educação formal dos surdos no Brasil, que passaram a ter uma escola especializada para sua educação.

Criança a aprender inglês

O Dia da Língua Inglesa celebra-se, anualmente, a 23 de abril.

O objetivo deste dia é dar a conhecer a língua inglesa, bem como a cultura e história associadas. A data escolhida é o dia do nascimento e morte do escritor William Shakespeare, um dos escritores mais relevantes de expressão inglesa.

A comemoração do Dia da Língua Inglesa insere-se na iniciativa do Dia dos Idiomas, que contempla as seis línguas oficiais da Organização das Nações Unidas: inglês, francês, árabe, chinês, espanhol e russo. O seu objetivo é fomentar a consciencialização e o respeito pela história, cultura e legado dessas línguas.

Dia da Língua Espanhola 2022

O Dia da Língua Espanhola comemora-se, anualmente, a 23 de abril.

Pretende-se dar a conhecer a língua espanhola, a par da sua cultura e história. O dia escolhido é a data da morte de um dos escritores mais importantes de expressão espanhola, Miguel de Cervantes.

A comemoração do Dia da Língua Espanhola insere-se na iniciativa do Dia dos Idiomas, que contempla as seis línguas oficiais da Organização das Nações Unidas: inglês, francês, árabe, chinês, espanhol e russo. O seu objetivo é fomentar a consciencialização e o respeito pela história, cultura e legado dessas línguas.

Dia Mundial do Livro, ou simplesmente Dia do Livro, é comemorado anualmente em 23 de abril.

Além de homenagear várias obras literárias e seus autores, a data também busca conscientizar as pessoas sobre os prazeres da leitura.

No Dia Mundial do Livro também é celebrado o Dia dos Direitos de Autor.

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) criou a data do “Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor” para encorajar as pessoas, especialmente os jovens, a descobrirem os prazeres da leitura, e conhecerem a enorme contribuição dos escritores através dos séculos.

Uma tradição catalã ligada aos livros já existia no dia 23 de abril, e parece ter influenciado a escolha da Unesco. Na tradição catalã, no dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição em outros países também.

Origem do Dia Mundial do Livro

A escolha da data para o Dia Mundial do Livro ocorreu em 1995, em Paris, durante o XXVIII Congresso Geral da Unesco.

23 de abril foi escolhido por ser o dia da morte de três grandes escritores da história: William Shakespeare, Miguel de Cervantes, e Inca Garcilaso de la Vega.

Esta data é também a data de nascimento ou morte de outros autores famosos, como Maurice Druon, Haldor K. Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

São Jorge, o santo comparado a “São Miguel” no Oriente

Origens
São Jorge, cujo nome de origem grega significa “agricultor”, nasceu na Capadócia, por volta do ano 280, em uma família cristã. Transferiu-se para a Palestina, onde se alistou no exército de Diocleciano. Em 303, quando o imperador emanou um edito para a perseguição dos cristãos, Jorge doou todos os seus bens aos pobres e, diante de Diocleciano, rasgou o documento e professou a sua fé em Cristo. Por isso, sofreu terríveis torturas e, no fim, foi decapitado.

As lendas do Santo
São inúmeras as narrações fantasiosas, que nasceram em torno da figura de São Jorge. Um dos seus episódios mais conhecidos é o do dragão e a jovem, salva pelo santo, que remonta ao período das Cruzadas. Narra-se que na cidade de Selém, Líbia, havia um grande pântano, onde vivia um terrível dragão. Para aplacá-lo, os habitantes ofereceram-lhe dois cabritos, por dia e, vez por outra, um cabrito e um jovem tirado à sorte. Certa vez, a sorte coube à filha do rei. Enquanto a princesa se dirigia ao pântano, Jorge passou por ali e matou o dragão com a sua espada. Este seu gesto tornou-se símbolo da fé que triunfa sobre o mal.

Validação Histórica
No lugar da sua sepultura, em Lida, – um tempo capital da Palestina, agora cidade israelense, situada perto de Telavive, – foi construída uma Basílica, cujas ruínas ainda são visíveis. Até aqui, a Passio Georgii classificada, pelo Decreto Gelasianum, no ano 496, entre as obras hagiográficas é definida Passio lendária. Entre os documentos mais antigos, que atestam a existência de São Jorge, uma epígrafe grega, do ano 368, – descoberta em Eraclea de Betânia, – fala da “casa ou igreja dos santos e triunfantes mártires, Jorge e companheiros”. Foram muitas, ao longo dos anos, as narrações posteriores à Passio.

São Jorge: Padreoiro dos cavaleiros, soldados, escoteiros, esgrimistas e arqueiros

Padroeiro
São Jorge é considerado Padroeiro dos cavaleiros, soldados, escoteiros, esgrimistas e arqueiros. Ele é invocado ainda contra a peste, a lepra e as serpentes venenosas. O Santo é honrado também pelos muçulmanos, que lhe deram o apelativo de “profeta”.

Curiosidade
Entre os cristão do oriente, sejam católicos latinos ou de outros ritos, assim como os ortodoxos, a devoção a São Jorge é bem expressiva. Comparando com os cristãos do ocidente, é invocado na mesma proporção que São Miguel Arcanjo.

De mártir a Santo guerreiro
Os cruzados contribuíram muito para a transformação da figura de São Jorge de mártir em Santo guerreiro, comparando a morte do dragão com a derrota do Islamismo. Com os Normandos, seu culto arraigou-se profundamente na Inglaterra, onde, em 1348, o rei Eduardo III instituiu a “Ordem dos Cavaleiros de São Jorge”. Durante toda a Idade Média, a sua figura tornou-se objeto de uma literatura épica, que concorria com os ciclos bretão e carolíngio.

Devoção a São Jorge

Memória Facultativa
Na falta de notícias sobre a sua vida, em 1969, a Igreja mudou a sua celebração: de festa litúrgica passou a ser memória facultativa, sem alterar seu culto. As relíquias de São Jorge encontram-se em diversos lugares do mundo. Em Roma, na igreja de São Jorge em Velabro é conservado seu crânio, por desejo do Papa Zacarias. Como acontece com outros santos, envolvidos por lendas, poder-se-ia concluir que também a função histórica de São Jorge é recordar ao mundo uma única ideia fundamental: que o bem, com o passar do tempo, vence sempre o mal. A luta contra o mal é uma dimensão sempre presente na história humana, mas esta batalha não se vence sozinhos: São Jorge matou o dragão porque Deus agiu por meio dele. Com Cristo, o mal jamais terá a última palavra!

Oração
Ó São Jorge, meu Santo Guerreiro, invencível na fé em Deus, que trazeis em vosso rosto a esperança e confiança, abre meus caminhos. Eu andarei vestido e armado com vossas armas, para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não peguem, tendo olhos não me enxerguem nem pensamentos possam ter para me fazerem mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrar. Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estendei vosso escudo e vossas poderosas armas, defendendo-me com vossa força e grandeza. Ajudai-me a superar todo desânimo e a alcançar a graça que vos peço (fazer o seu pedido). Dai-me coragem e esperança, fortalecei minha fé e auxiliai-me nesta necessidade. Amém.

Minha oração
“Poderoso guerreiro, defendei-nos do mal e da tentação, assim como ensinai-nos a defender a nossa fé e os mais necessitados, tudo por amor a Cristo. Amém.”

São Jorge, rogai por nós!


Outros santos e beatos que a Igreja faz memória em 23 de abril

  • Santo Adalberto (Vojtech), bispo de Praga e mártir. († 997)
  • Santo Eulógio, bispo em Edessa, na Síria, hoje Sanliurfa, na Turquia. († 387)
  • São Marolo, bispo em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália. († s. V)
  • São Gerardo, bispo em Toul, na Lotaríngia, atualmente na França.(† 994)
  • São Jorge, bispo em Suélli, na Sardenha. († 1117)
  • Beato Gil de Assis, religioso da Ordem dos Menores em Perúgia na Úmbria, região da Itália. († 1262)
  • Beata Helena Valentíni, viúva, que, decidida a viver só para Deus, teve grande actividade na Ordem secular de Santo Agostinho em Údine, na Venécia, hoje em Friuli-Venezia Giúlia, região da Itália.(† 1458)
  • Beata Teresa Maria da Cruz (Teresa Manétti), virgem, fundadora da Congregação das Carmelitas de Santa Teresa.
  • Beata Maria Gabriela Saghéddu, virgem no mosteiro cisterciense de Grottaferrata, no território de Frascáti, próximo de Roma. († 1939)

Fontes:

  • vaticannews.va
  • Martirológio Romano
  • Liturgia das Horas
  • Diretório de Liturgia da Igreja no Brasil [Ed CNBB 2022]
  • Livro “Um santo para cada dia” – Mário Sgarbossa – Luigi Giovannini [Paulus, Roma, 1978]
  • Livro “Santos de cada dia” – José Leite, SJ [Editorial A.O. Braga, 2003]
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova
– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova