Clube de Imprensa

23 de Maio – Dia da Tartaruga, Dia da Juventude Constitucionalista e Dia de São João Batista de Rossi

Dia Mundial da Tartaruga é comemorado anualmente em 23 de maio.

O objetivo principal desta data é promover conhecimentos sobre as tartarugas, além de conscientizar as pessoas da importância em ajudar estes animais a sobreviverem e se desenvolverem.

Existe uma grande variedade de espécies de tartarugas: tartarugas terrestres (conhecidas como jabutis), de água doce e de água salgada. Há ainda, aquelas que vivem na água e na terra, chamadas de cágados.

Além dessa data, O Dia Mundial da Tartaruga Marinha é comemorado em 16 de junho. No Brasil, o projeto Tamar, fundado em 1980, luta pela preservação das tartarugas marinhas ameaçadas de extinção.

Origem do Dia da Tartaruga

Tartaruga Marinha

Esta data foi criada pela American Tortoise Rescue, e celebrada pela primeira vez em 23 de maio de 2000. Desde então, a iniciativa se espalhou por todo o mundo, entre os grupos e ONG’s de proteção ambiental.

Atividades para o Dia da Tartaruga

Para celebrar o Dia Mundial da Tartaruga, existem diversas atividades que podem ser realizas em prol destes animais, como:

  • Se fantasiar de tartaruga e distribuir folhetos explicativos para as pessoas;
  • Visitar tartarugas em zoológicos e conhecer as diferentes espécies existentes;
  • Denunciar atos de crueldade contra esses animais;
  • Evitar a compra de tartarugas, pois a grande procura faz com que aumente a caça;
  • Assistir ao nascimento de um grupo de tartarugas acompanhado de uma ONG ambiental;
  • Ajudar a salvar as pequenas tartarugas durante o trajeto até o mar;
  • Organizar uma apresentação e conversar com seus amigos da escola sobre a importância de preservar as tartarugas para manter o equilíbrio do ecossistema marinho.
Uma das propostas para reduzir as taxas de fístula nos sistemas de saúde é melhorar o seguimento da prevalência
©Unfpa Iêmen
Uma das propostas para reduzir as taxas de fístula nos sistemas de saúde é melhorar o seguimento da prevalência

As Nações Unidas marcam neste 23 de maio o Dia Internacional pelo Fim da Fístula Obstétrica apontando que o mundo tem 100 mil novos casos por ano da condição de saúde que pode ser evitada.

Atividades em nível global acontecem sob o tema “Quebrando o Ciclo: Prevenindo a Fístula em Todo o Mundo”. A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima que cerca de 2 milhões de meninas e mulheres convivem com a lesão.

Mortes maternas em todo o mundo

A complicação grave durante um prolongado trabalho de parto provoca uma ruptura entre o canal do parto e a bexiga ou reto. Estima-se que o problema provoca até 6% das mortes maternas em todo o mundo.

É comum que as afetadas sofram de incontinência urinária ou fecal constante que podem resultar no estigma social e na exclusão, revela a OMS.

No dia 9 de julho, o Estado de São Paulo comemora o aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932. Porém, foi no dia 23 de maio desse mesmo ano que os paulistas decidiram lutar pelo constitucionalismo. O levante se deu depois da morte de 14 manifestantes constitucionalista em São Paulo, durante uma manifestação contra o governo de Getúlio Vargas.
Na época, apenas quatro estudantes haviam sido identificados: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo. As iniciais de seus nomes formaram a sigla MMDC, que se transformou no símbolo da revolução. Os paulistas exigiam que o país tivesse uma constituição e que fosse mais democrático.

São João Batista de Rossi, presbítero do aconselhamento

Fundador

João Batista de Rossi fundou a “Pia União de Sacerdotes Seculares”, que foi dirigida por ele durante alguns anos. Como desejava obras ainda mais abundantes, também fundou e dirigiu a Casa de Santa Gala, destinada para homens carentes e, depois, a Casa de São Luiz Gonzaga, para mulheres necessitadas.

Origens

Ele nasceu em Voltagio, na província de Gênova, Itália, no dia 22 de fevereiro de 1698. Aos dez anos de idade, foi trabalhar para uma família muito rica, em Gênova, como pajem. Três anos depois, foi chamado para morar em Roma com seu primo Lourenço Rossi, que já era sacerdote.

Estudos 

Estudou Filosofia no Colégio Romano dos jesuítas, prosseguiu com êxito nos estudos e, depois, concluiu o curso de teologia com os Dominicanos de Minerva, onde conquistou muitos conhecimentos teológicos que lhe foram preciosos, para, mais tarde, ser um bom pregador e confessor de almas. Foi ordenado em 1721, aos 23 anos.

Vocação aos necessitados e ao Sacramento da Reconciliação

Seu santo de devoção era São Luiz Gonzaga, por isso buscava seguir seu exemplo de vida em sua missão apostólica. Seu objetivo era acolher os mais necessitados, os doentes, encarcerados, pobres e pecadores. E isto ele fazia, principalmente, na direção de suas almas: “Eu não sabia o caminho mais curto para ir ao paraíso, mas agora já sei: é dirigir os outros na confissão… quanto bem aí se pode fazer!”, ele disse certa vez. Tornou-se famoso confessor e foi, inclusive, o padre confessor das Irmãs da Caridade.

Morte e canonização

Morreu no dia 23 de maio de 1764, com sessenta e seis anos, após ser vencido por uma doença. Tão pobre, não tinha dinheiro para pagar pelo funeral, que foi pago graças aos devotos que o amavam e eram gratos a ele. Foi canonizado pelo Papa Leão XIII no ano de 1881.

A minha oração

“São João Batista, ao senhor, que suportou as enfermidades sendo suporte e sustento às almas necessitadas, peço que interceda por mim, para que eu também receba a graça de sofrer com paciência todas as adversidades que me surgirem pelo meu caminho. E peço ainda que rogue por todo clero, a fim de que se dediquem com o mesmo amor, fé e piedade, pela salvação e conforto das almas, através do Sacramento da Penitência. Amém.”

São João Batista de Rossi, rogai por nós!

Outros beatos e santos que a Igreja faz memória em 23 de maio:

  1. Os santos Lúcio, Montano, Julião, Vitorico, Vítor e Donaciano que, por confessarem a religião e a fé que aprenderam de São Cipriano, consumaram o martírio, atual Tunísia. († c. 259)
  2. Santos mártires da Capadócia, que morreram ao serem-lhes quebradas as pernas. († 303)
  3. Santos mártires da Mesopotâmia, que, no mesmo tempo, suspensos com a cabeça para baixo, foram sufocados pelo fumo e queimados a fogo lento. († 303)
  4.  Em Nápoles, Santo Efebo, bispo, que governou santissimamente e serviu fielmente o povo de Deus. († s. IV)
  5. Na atual França, a paixão de São Desidério, bispo, que, segundo a tradição foi degolado, oferecendo-se voluntariamente pelo povo que lhe estava confiado.(† c. 355)
  6. No território de Nórcia, Santo Eutíquio, abade, que conduziu muitos a Deus com a sua exortação e depois governou santamente o mosteiro próximo.(† c. 487)
  7. Também em Nórcia, Santo Esperança ou Exuperâncio, abade, que durante quarenta anos suportou a cegueira com admirável paciência. († c. 517)
  8. Santo Honorato, abade, que presidiu ao cenóbio onde antes vivera São Bento. († s. VI f.)
  9.  Na atual França, São Siágrio, bispo, que edificou um mosteiro junto do túmulo de São Pôncio. († 787)
  10. Na atual Turquia, São Miguel, bispo, homem pacífico, que promoveu a paz e a concórdia entre os Gregos e os Latinos. († 826)
  11.  Na atual Bélgica, o sepultamento de São Guiberto, monge, que, abandonando a carreira militar e abraçando a vida monástica, construiu um mosteiro nas terras da sua herança. († 962)
  12. Na Polónia, os beatos José Kurzawa e Vicente Matuszewski, presbíteros e mártires, que, durante a ocupação da sua pátria por uma potência estrangeira, foram mortos pelos inimigos da Igreja.

Fontes:

  • Aci digital
  • vaticannews.va
  • Martirológio Romano
  • Livro “Santos de cada dia II” – José Leite, S.J.

Pesquisa e redação:
Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova