Clube de Imprensa

26 de Maio – Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, Dia do Revendedor Lotérico e Dia de São Filipe Néri

Dia Nacional de Combate ao Glaucoma é celebrado anualmente em 26 de maio.

Conscientizar a população em geral sobre a importância do diagnóstico precoce desta doença, que é considerada “silenciosa”, é um dos principais objetivos desta data.

O glaucoma é uma doença que provoca a perda progressiva da visão, levando a total cegueira, quando não tratada precocemente.

Por isso, o aconselhável é que as pessoas com mais de 40 anos façam exames oftalmológicos periódicos, com a finalidade de detectar sinais prematuros desta doença.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde – OMS, estima-se que o glaucoma afete entre 1% e 2% da população com mais de 40 anos em todo o mundo, o que representaria cerca de 3 milhões de pessoas.

Porém, a estimativa é que 65 milhões de pessoas tenham glaucoma, sendo esta doença a maior causadora da cegueira irreversível no mundo.

No Brasil, esta data foi oficialmente instituída a partir do decreto de lei nº 10.456, de 13 de maio de 2002, que decretou a celebração anual do dia 26 de maio como Dia Nacional de Combate ao Glaucoma.

A Sociedade Brasileira de Glaucoma organiza anualmente a Semana Nacional de Combate ao Glaucoma, com a promoção de várias atividades e discussões mediáticas sobre o tema.

O Dia do Revendedor Lotérico é comemorado em 26 de maio, data em que se celebra o importante trabalho desempenhado pelo profissional de loterias para que as apostas sejam pagas corretamente.

Atualmente, existem mais de 20 mil pontos de venda oficiais no Brasil, espalhados por todo o território nacional.

Eles são responsáveis por comercializar bilhetes de todas as loterias do país, garantindo que todos os apostadores possam ter acesso a seus jogos favoritos.

Os revendedores lotéricos exercem a função de apostadores e viabilizadores do jogo.

São eles que garantem que os jogadores obtenham o pagamento de suas apostas, organizam o armazenamento de todos os bilhetes e atendem qualquer necessidade que o apostador requeira.

Eles são a base de toda a indústria da loteria.

No Dia do Revendedor Lotérico, criado em 2001, é hora de homenagear os profissionais que se dedicam à comercialização de bilhetes e à manutenção das loterias brasileiras.

São Filipe Néri, o santo da alegria, oração, penitente e adorador

“Pippo bono”

Pertencente a uma família rica, filho de tabelião, o santo, nascido em 1515 em Florença, Itália, ficou órfão de mãe muito cedo e, ainda pequeno, já mereceu o nome de “Filipe bom”, por conta de seu proceder bondoso, alegre e leal.

Negócios e estudos

Aos 18 anos, recebeu um convite de seu tio para que se dedicasse aos negócios em São Germano. Filipe, no entanto, não se adaptou. Atraído por Deus, foi se dedicar aos estudos em Roma. Estudou Filosofia e Teologia, deixando-se conduzir e formar pelo Espírito Santo.

O apóstolo de Roma

Néri, mesmo antes de ser padre, visitava os lugares mais pobres de Roma, os hospitais mais abandonados e as mais terríveis prisões, levando uma pregação alegre, espontânea e viva, juntamente com uma amável caridade cristã que o fez ser conhecido e simpático a toda cidade, sendo então chamado: o apóstolo de Roma.

Dedicação aos jovens

“Contanto que não façam pecados, de boa vontade suportarei que rachem lenha em cima das minhas costas”, dizia Filipe aos jovens, os quais ele instruía e educava. Dedicava-se a eles com tal amor, que não se perturbava com as reclamações e injúrias recebidas por causa deles.

“Oratório do divino amor”

Dizendo sim para a glória de Deus e apaixonado por poesia e música desde a adolescência, iniciou a bela obra do Oratório do Divino Amor, onde reunia jovens e os fazia cantar e rezar. Ali começava o sentido musical da palavra: foi criado o drama lírico com coros e orquestra. A partir daí, Filipe fundou a Congregação do Oratório.

O santo alegre

Homem de oração, penitência e adoração, São Filipe Néri, conhecido pelo seu testemunho alegre, cujo sorriso, disse Papa Francisco, o transformou em um apaixonado anunciador da Palavra de Deus, morreu no dia 26 de maio de 1595, partindo para o céu com 80 anos. Foi beatificado, em maio de 1614, por Papa Paulo V; e canonizado, em março de 1622, por Papa Gregório XV.

Coração dilatado

Depois de sua páscoa, médicos verificaram que seu coração era dilatado, de tal forma que duas costelas se quebraram para acomodá-lo. A este fato atribui-se o seu grande amor para com Deus e para com os homens.

A minha oração

“São Filipe, intercedei por mim e conduzi-me à alegria verdadeira no serviço ao Cristo e à caridade amável por todo o povo de Deus. Quero também eu poder cantar a glória de Deus e anunciar, com coração apaixonado, a Sua Palavra. Amém!”

São Filipe Néri, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 26 de maio:

  1. Santo Eleutério, Papa, em Roma. († 189)
  2. São Simétrio, mártir, em Roma. († data inc.)
  3. Santa Felicíssima, mártir, em Tódi, na Úmbria, região da Itália. († s. III/IV)
  4. São Prisco e companheiros, mártires, na Gália, hoje na França.(† data inc.)
  5. Santo Agostinho, bispo, cuja memória se celebra amanhã, em Cantuária, na Inglaterra.(† 604/605)
  6. São Desidério, bispo de Vienne, que, por ordem da rainha Brunilde, a quem ele censurava as suas núpcias incestuosas e outras perversidades, foi relegado para o exílio, e depois, apedrejado por ordem da mesma rainha, recebeu a coroa do martírio. († c. 606)
  7.  São Berengário, monge, no mosteiro de Saint-Papoul, também na Gália, hoje na França. († 1093)
  8. São Lamberto, bispo, que foi pródigo para com os pobres e amigo da pobreza, em Vence, na Provença, atual França. († 1154)
  9. Beato Francisco Patrízi, presbítero da Ordem dos Servos de Maria,  em Sena, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália. († 1328)
  10.  Beato André Fránchi, bispo, em Pistóia, também na Etrúria, actualmente na Toscana. († 1401)
  11. Santa Mariana de Jesus de Paredes, virgem, que consagrou a Cristo a sua vida na Ordem Terceira de São Francisco em Quito, no Equador († 1645)
  12. São Pedro Sans i Jordá, bispo da Ordem dos Pregadores e mártir, que, juntamente com outros sacerdotes, foi preso e levado com cadeias por longo caminho até ao tribunal; no lugar do suplício ajoelhou-se e, terminada a oração, apresentou voluntariamente o pescoço ao cutelo, em Fuzhou, localidade do Fugian, província da China. († 1747)
  13. São José Chang Song-jib, mártir, em Seul, na Coreia. († 1839)
  14. Os santos mártires João Doan Trinh Hoan, presbítero, e Mateus Hguyen Van Phuong, pai de família e catequista, que tinha hospedado o seu companheiro de martírio; pela sua fé, foram ambos torturados e cruelmente degolados em Dong Hoi, cidade do Aname, no atual Vietnam. († 1861)
  15. Santo André Kagwa, mártir, em Numyonyo, localidade do Uganda. († 1886)
  16. São Ponciano Ngondwe, mártir, que morreu trespassado por uma lança quando era conduzido à colina do suplício, em Ttaka Jiunge, também no Uganda. († 1886)

Fontes:

  • vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • arquisp.org.br
  • Livro “Santos de cada dia II” – José Leite, S.J.

– Pesquisa e redação: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova