Clube de Imprensa

29 de Maio – Dia do Geógrafo, Dia Mundial da Energia e Dia de São Maximino e Santa Úrsula Ledóchowska

Dia do Estatístico se comemora anualmente em 29 de maio, no Brasil.

A data tem o objetivo de homenagear o profissional responsável em planejar, processar e analisar informações. Os estatísticos são essenciais para o desenvolvimento e sucessos das empresas dentro do mercado de trabalho.

O Dia do Estatístico é celebrado em 26 de maio em homenagem a criação do Instituto Nacional de Estatística (INE) que, nesta data em 1936, deu início ás suas atividades.

Um ano depois, em 1937, o Instituto Nacional de Estatística muda de nome, passando a se chamar Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), após a incorporação do Conselho Brasileiro de Geografia.

Dia do Desafio é celebrado anualmente na última quarta-feira do mês de maio.

O principal objetivo desta data é motivar a população a prática de atividades físicas, seja para melhorar a saúde física como também a mental.

Neste dia, as comunidades de diferentes cidades do Brasil e mais outros países do continente americano se reúnem para disputar, amistosamente, competições e desafios que estimulam o corpo.

A proposta é que cada pessoa faça qualquer tipo de exercício físico por pelo menos 15 minutos, tornando esta ação um hábito diário.

O Dia do Desafio foi criado no começo da década de 1980, no Canadá, mas com o passar dos anos, o espírito do Dia do Desafio se consolidou e espalhou-se por todo o mundo.

Atualmente, esta é uma iniciativa apoiada pela International Sport and Culture Association (ISCA), e promovida pela Tafisa e Unesco.

No Brasil, o Dia do Desafio foi realizado pela primeira vez em 1995, em parceria com a The Association for International Sport for All (Tafisa). A partir do ano 2000, o Sesc São Paulo assumiu a organização do evento.

Em 2015, o Dia do Desafio passou a integrar o Programa Move Brasil, como mais uma ferramenta para garantir a meta de incentivar a prática de atividades físicas e esportes em todo o país.

Em 2018, a Lei nº 13.645, de 4 de abril de 2018 instituiu o Dia Nacional do Desafio no Brasil.

Dia do Geógrafo é comemorado anualmente em 29 de maio.

Esta data homenageia os profissionais responsáveis em estudar todos os aspectos geográficos de determinada região. Além disso, os geógrafos também ajudam a analisar os processos de transformação dos espaços urbanos e naturais.

Para que uma pessoa exerça a profissão de geógrafo, esta deve concluir o curso de ensino superior em Geografia.

A escolha do dia 29 de maio para a celebração do Dia do Geógrafo é uma homenagem à criação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 29 de maio de 1936, quando passou a ser instituído o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Oficialmente, a profissão de geógrafo foi instituída no Brasil através da Lei nº 6664, de 26 de junho de 1979, regulamentada pelo Decreto n° 85.138, de 15 de setembro de 1980, e alterada pela Lei n° 7.399, de 4 de novembro de 1985, com regulamentação do Decreto n° 92.290/86, de 10 de janeiro de 1986.

Dia Mundial da Energia é celebrado anualmente em 29 de maio.

Esta data foi criada com o intuito de motivar uma conscientização civil e política sobre a importância da poupança de energia e incentivo ao uso de energias renováveis.

O uso de energias fósseis, como o petróleo e carvão mineral, por exemplo, ajuda a potencializar a poluição nos ambientes, prejudicando a vida de todos os seres do planeta.

O Dia Mundial da Energia surgiu a partir de uma iniciativa da Direção Geral de Energia de Portugal, em 1981.

Nesta data, em todo o mundo, são organizadas dezenas de atividades de conscientização. Cada pessoa pode fazer a sua parte para evitar o desperdício de energia, como aproveitando ao máximo o uso da luz natural (do sol) e comprando eletrodomésticos com classe energética mais eficiente.

Dicas para evitar o desperdício de energia

  • Desligar as luzes dos cômodos da casa que não estão sendo usados;
  • Não abrir a porta da geladeira por repetidas vezes;
  • Trocas as lâmpadas incandescentes por fluorescentes;
  • Secar suas roupas ao sol e vento;
  • Separar o lixo doméstico;
  • Usar máquina de lavar com carga completa e temperatura baixa;
  • Diminuir o uso de papel e aproveitar mais os recursos online.

Dia Internacional dos Soldados da Paz das Nações Unidas é celebrado em 29 de maio.

Os Soldados da Paz das Nações Unidas enfrentam várias adversidades com o objetivo de salvar a vida das vítimas de doenças, violências ou terríveis acidentes nos locais mais perigosos e inóspitos do planeta.

Também conhecido como Dia Internacional dos Trabalhadores das Forças da Paz, esta data é uma homenagem a todos os homens e mulheres que perderam as suas vidas durante as missões de paz das Nações Unidas.

Conhecidos como “capacetes azuis”, a estimativa é que morram anualmente aproximadamente 100 soldados ao serviço das Nações Unidas.

Atualmente, cerca de 120 mil soldados da paz servem em 17 missões ao redor do mundo, arrincando as suas vidas em prol dos direitos humanos e fim de conflitos entre as nações.

As Forças da Paz das Nações Unidas receberam, em reconhecimento a importância do trabalho que desenvolvem, o Prêmio Nobel da Paz em 1988.

Historicamente, as primeiras missões de paz da ONU ocorreram em 1948, em conflitos iniciados no Oriente Médio.

Dia de São Maximino é celebrado anualmente em 29 de maio.

Também conhecido como São Maximino de Tréves, este santo é tido com Bispo da Igreja é um dos principais combatentes, ao lado de Santo Atanásio, do Arianismo que confundiu muitos cristões durante o século IV.

Existe uma história popular que caracteriza bem a luta de Maximino contra o imperador ariano de Constantinopla, Constâncio. Na lenda, Maximino caminhava pela floresta e foi atacado por um urso que, impiedosamente, devorou o jumento que o bispo usava para se locomover. Após a cena trágica, de modo firme e inabalável, Maximino teria obrigado o urso a carregar todos os fardos que eram transportados pelo animal que tinha acabado de ser devorado.

Maximino nasceu na França e desde cedo sentiu o chamado sacerdotal. Mesmo sendo constantemente ameaçado, o bispo não conseguiu ser morto pelos arianos. Viveu até 349 e deixou como legado uma importante lição para os cristãos: sejamos cooperadores da verdade.

A data foi instituída pela Organização Mundial de Gastroenterologia para mobilizar e orientar a população sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce de doenças do aparelho digestivo.

De acordo com a Organização, 20% da população global sofre algum tipo de problema intestinal e 90% das pessoas não procuram orientação médica, recorrem à automedicação ou não fazem nada para resolver o problema.

A Organização Mundial de Gastroenterologia escolheu ‘microbioma intestinal’ como tema da campanha do Dia Mundial da Saúde Digestiva 2020.

O microbioma ou microbiota intestinal (MI) contém dezenas de trilhões de microorganismos e mais de 1.000 espécies conhecidas de bactérias com importantes funções no corpo humano, provocando um interesse considerável sobre o papel que os microrganismos intestinais podem desempenhar na saúde e na doença.

O Dia do IBGEano é lembrado todos os anos no dia 29 de maio como forma de homenagear o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e todas as pessoas que trabalham para ele.

É uma data que celebra a função estatística do IBGE e a relevância que as informações estatísticas têm para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil.

A criação do dia foi uma iniciativa da Associação dos Pesquisadores, Servidores Técnico-Administrativos e Prestadores de Serviços do IBGE (APIBGE).

O IBGE produz dados estatísticos sobre diversas áreas que informam governos, setor público, empresas, acadêmicos e tomadores de decisão.

Os dados são cruciais para fins de planejamento, estudo e investigação, bem como para avaliar e exercer o controle sobre políticas públicas.

Santa Úrsula Ledóchowska, virgem e fundadora

Resumo

Virgem que trabalhou com todas as suas forças em favor dos africanos oprimidos pela escravidão e fundou a Congregação de São Pedro Claver e a Ordem das Irmãs Ursulinas do Sagrado Coração de Jesus em Agonia.

Família nobre

Julia Maria Urszula Ledóchowska nasceu em Loosdorf, Áustria, em 17 de abril de 1865, a segunda de sete filhos, de uma família nobre de origem polonesa. Ela nasceu em uma família que, por parte da mãe, era de nacionalidade suíça descendente de uma linhagem cavalheiresca dos Salis. E, por parte do pai, descendente de uma antiga família polonesa, numerosos estadistas, soldados, eclesiásticos e consagrados, comprometidos com a história da Europa e da Igreja. Cresceu sábio e exigente, num ambiente familiar, cheio de amor entre numerosos irmãos e irmãs. Os três primeiros irmãos escolheram o caminho da consagração.

Experiência vocacional

Chamam a atenção o seu amor ao Senhor, o seu talento educativo e a sua sensibilidade para com as necessidades dos jovens nas mudanças sociais, políticas e morais desses tempos. Quando as mulheres adquirem o direito de estudar na universidade, elas conseguem organizar a primeira pensão para estudantes na Polônia, onde podem encontrar não apenas um lugar seguro para viver e estudar, mas também uma sólida formação religiosa. Aos 24 anos, sendo noviça no convento das Ursulinas em Cracóvia, dizia: “Só sabia amar! Queime, me consuma no amor” – assim escreve Giulia Ledóchowska. No dia de sua profissão, leva o nome de Maria Úrsula de Jesus, e as palavras aqui relatadas tornam-se as diretrizes para toda a sua vida. Viveu no convento de Cracóvia por 21 anos.

Ambiente hostil

A mesma sensibilidade a impele a trabalhar no coração da Rússia em ambiente hostil, com a bênção do Papa Pio X. Quando, com outra freira, vestida à paisana (a vida religiosa era proibida na Rússia), partem para Petersburgo. Lá, a Madre e a crescente comunidade de freiras (logo erigida como casa autônoma das Ursulinas) vivem escondidas e, mesmo que continuamente monitoradas pela polícia secreta, realizam um intenso trabalho educativo e de formação religiosa, também voltado para aproximação nas relações entre poloneses e russos. Quando a guerra de 1914 estourou, Maria teve de deixar a Rússia. Ela partiu para Estocolmo. Durante o período da peregrinação escandinava (Suécia, Dinamarca, Noruega), a sua atividade centra-se, além do trabalho educativo, no empenho na vida da Igreja local, no trabalho em favor das vítimas da guerra e no empenho ecumênico.

Fundação

A casa de suas irmãs torna-se um apoio para pessoas de diferentes orientações políticas e religiosas. O seu amor ardente pela pátria anda de mãos dadas com a abertura à diversidade, aos outros. Questionada uma vez sobre qual é a orientação de sua política, respondeu sem demora: “minha política é o amor”. Em 1920, Maria Úrsula com as freiras e um grande grupo de órfãos de famílias emigrantes voltaram para a Polônia. A Sé Apostólica transforma seu convento autônomo das Ursulinas na congregação das Ursulinas do Sagrado Coração de Jesus Agonizante.

A espiritualidade

A espiritualidade da Congregação se concentra na contemplação do amor salvífico de Cristo e na participação em sua missão por meio do trabalho educativo e do serviço ao próximo, especialmente àqueles que sofrem, sozinhos, marginalizados, em busca do sentido da vida. Ela educa as irmãs a amar a Deus sobre todas as coisas; e, em Deus, cada pessoa humana e toda a criação. Considera o sorriso, a serenidade de alma, a humildade e a capacidade de viver o cinzento da vida cotidiana como caminho privilegiado de santidade como testemunho particularmente credível do vínculo pessoal com Cristo e instrumento eficaz da influência evangelizadora e educativa. E ela mesma é um exemplo transparente de tal vida. A Congregação se desenvolve rapidamente. As comunidades das monjas Ursulinas nascem na Polônia e nas fronteiras orientais do país, pobres, multinacionais e multiconfessionais.

Expansão

Em 1928, nasceu a casa geral em Roma e uma pensão para as meninas menos abastadas, para que pudessem conhecer a riqueza espiritual e religiosa do coração da Igreja e da civilização europeia. As irmãs também começam a trabalhar entre os pobres nos subúrbios de Roma. Em 1930, as irmãs, acompanhando as meninas que partiam em busca de trabalho, se estabeleceram na França. Em todos os lugares onde é possível, Maria Úrsula funda centros de trabalho educativo e docente, envia as irmãs à catequese e ao trabalho em bairros pobres, organiza edições para crianças e jovens e ela mesma escreve livros e artigos. Procura iniciar e apoiar organizações eclesiásticas para crianças (Movimento Eucarístico), jovens e mulheres. Participa ativamente da vida da Igreja e do país, recebendo altas condecorações estatais e eclesiásticas.

Fim da vida

Quando a sua vida laboriosa e difícil chegou ao fim, em Roma, em 29 de maio de 1939, as pessoas diziam que uma santa havia morridoO Santo Padre João Paulo II beatificou Maria Úrsula, em 18 de maio de 2003, na Praça de São Pedro, Cidade do Vaticano.

A minha oração

“Que a vossa coragem pastoral nos inspire a buscar os mais necessitados da graça de Deus, os mais excluídos e, com muito ardor para com eles, possamos ser mais santos e divulgadores do verdadeiro amor de Deus.”

Santa Úrsula, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em  de maio:

  • São Paulo VI, papa, que neste dia foi ordenado presbítero, depois foi nomeado arcebispo de Milão e finalmente eleito para a Sé Romana. († 1978)
  • Em Antioquia, na Síria, hoje Antakya, na Turquia, Santo Hesíquio, guarda palaciano, mártir. († c. 303)
  • Em Tréveris, na Gália, Bélgica, atualmente na Alemanha, São Maximino, bispo. († c. 346)
  • Em Val di Non, actualmente no Trentino Alto Ádige, região da Itália, os santos mártires Sisínio, diácono, Martírio, leitor, e Alexandre, ostiário, naturais da Capadócia. († 397)
  • Em Ravena, na Flamínia, hoje na Emília-Romanha, também região da Itália, Santo Exuperâncio, bispo. († 430/476-477)
  • Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, também região da Itália, São Senador, bispo. († c. 480)
  • Em Mâcon, na Borgonha, na atual França, São Gerardo, que foi monge, depois eleito bispo e finalmente levou vida eremítica na floresta. († c. 940)
  • Em Pisa, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, Santa Bona, virgem. († 1207)
  • Em Avignonet, perto de Toulouse, na França, os beatos Guilherme Arnaud e dez companheiros mártires. († 1242)
  • Em Pisa, na Etrúria, hoje na Toscana, região da Itália, a Beata Geraldina, viúva. († c. 1269)
  • Em York, na Inglaterra, o Beato Ricardo Thirkeld, presbítero e mártir. († 1583)
  • Em Roma, localidade do Lesoto, na África Austral, o Beato José Gerard, presbítero dos Oblatos de Maria Imaculada. († 1914)

Fontes:

  • vatican.va e vaticannews.va
  • Martirológio Romano – liturgia.pt
  • Liturgia das Horas
  • Livro “Relação dos Santos e Beatos da Igreja” – Prof Felipe Aqui [Cléofas 2007]

– Pesquisa e redação: Rafael Vitto – Comunidade Canção Nova

– Produção e edição: Fernando Fantini – Comunidade Canção Nova