38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos com inscrições até 15 de agosto

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Amanda Ariela*

Uma das mais significativas distinções jornalísticas do país, o Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos recebe até 15.ago.2016 inscrições para sua 38ª edição. O prêmio, cuja Comissão Organizadora inclui a Abraji, é concedido a trabalhos que valorizam a Democracia, a Cidadania e os Direitos Humanos.

Para concorrer, os candidatos devem se inscrever pelo site www.premiovladimirherzog.org.br., preenchendo a ficha cadastral e anexando sua obra Só são aceitos materiais publicados  entre 1º de agosto de 2015 e 31 julho de 2016. São oito categorias: Artes (ilustrações, charges, cartuns, caricaturas e quadrinhos), Fotografia, Documentário de TV, Reportagem de TV, Rádio, Jornal, Revista e Internet.

“O Vladimir Herzog não é só um prêmio. É um incentivo à produção de material relacionado aos Direitos Humanos, um estímulo a debater esses assuntos na grande mídia”,  afirma Ana Luisa Zaniboni Gomes, curadora do Prêmio.

Cristina Barbieri, vencedora no ano passado, confirma: “Vi o prêmio como uma mensagem para persistir, apesar das muitas leituras ruins sobre a profissão que via de todos os lados”. Sua reportagem “Os Filhos do Bolsa Família”, publicada na Época, ficou com o prêmio na categoria Revista.

Segundo Ana Luisa, o prêmio procura “jornalistas que investigam, que vão para a rua e escrevem aquilo que veem”. Ela destaca ainda que os assuntos relacionados aos direitos humanos podem estar muito além da editoria de política: “saúde, economia, saneamento básico, questões de gênero e liberdade. Tudo isso envolve direitos humanos”.

O 38º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos é promovido e organizado por doze instituições: Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ; Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo; Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – ABRAJI; Centro de Informação das Nações Unidas no Brasil – UNIC Rio; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP; Instituto Vladimir Herzog; Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Nacional; Conectas Direitos Humanos; Ordem dos Advogados do Brasil  – Secção São Paulo; Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo e  Sociedade Brasileira dos Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom.