Abraji confirma 12 convidados internacionais para 16º Congresso

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

foto: Catherine Gicheru/ Code for Keyna

O 16º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo da Abraji, que será realizado novamente de forma remota entre os dias 23 e 29 de agosto, já tem 12 convidados internacionais confirmados. As inscrições para o evento ainda não foram abertas.

Dos Estados Unidos foram chamados Julie Brown, do Miami Herald, autora da série investigativa que revelou a rede de abuso sexual de menores comandada pelo empresário Jeffrey Epstein; Neil Brown, presidente do Poynter Institute; Cade Metz, coordenador da cobertura de tecnologia do The New York Times; Raney Aronson-Rath, produtora-executiva do programa Frontline, da rede pública PBS; e Sean Sposito (Paranoids/ Verizon Media), especialista em segurança digital que ajuda veículos e repórteres a se protegerem de ataques coordenados.


Julie Brown, do Miami Herald

Para debater o declínio da democracia na Índia e os ataques a mulheres jornalistas, a convidada será Neha Dexit, repórter investigativa premiada e freelancer de vários veículos internacionais que desde o ano passado sofre ameaças. Na mesma mesa estará Vidya Krishnan, especialista em saúde e que escreve para Atlantic (EUA) e Caravan (Índia), autora do livro “Phantom Plague: The Untold Story of How Tuberculosis Shaped our History”.

Zaffar Abbas, editor do jornal paquistanês Dawn, o mais antigo e maior veículo de língua inglesa do país, vai mostrar as dificuldades de fazer jornalismo investigativo no sudeste asiático. Em 2019, venceu o prêmio de liberdade de imprensa do Comitê para Proteção dos Jornalistas (CPJ), pelo histórico da carreira, dedicada a cobrir guerras civis, extremismo religioso e terrorismo no sudeste asiático.

A premiada jornalista queniana Catherine Gicheru, fundadora do Africa Women Journalism Project (AWJP) e especialista em combate à desinformação e inovação em redações, discutirá experiências bem sucedidas no continente africano. Alejandra Ibarra Chaoul, que criou e dirige Defensores de la Democracia, um projeto em memória dos repórteres assassinados no México, também está na programação.

Paul Bradshaw, que lidera os cursos de mestrado em Jornalismo de Dados e Jornalismo de Mobilidade e Multiplataforma da Birmingham City University, na Inglaterra, participa de um debate sobre como as universidades precisam incorporar novas necessidades do mercado. Giancarlo Fiorella, especialista em técnicas de investigação com uso de imagens de satélite, vai explicar o trabalho do Bellingcat, coletivo inglês de jornalismo investigativo que escancarou as mentiras sobre a queda do avião da Malaysian Airlines na Ucrânia e a Guerra na Síria.

Temas

Os temas centrais da 16ª edição do Congresso serão ataques à imprensa, modelos de negócios e sustentabilidade, segurança digital, meio ambiente, riscos à democracia, pandemia e desinformação. As atividades estarão divididas em cinco eixos: Trabalhos e jeitos de fazer; Cenários e tendências; Jornalismo sob ataque; Aprendizado e teoria; e Aprendizado e prática.

“Produzir uma versão on-line do Congresso da Abraji foi um grande desafio em 2020, mas deu bastante certo e acredito que, com a integração de várias sugestões de participantes, o evento deste ano será ainda melhor. Além disso, buscamos maior diversidade internacional nas sessões, trazendo experiências da Ásia e da África, por exemplo”, afirma o presidente da associação, Marcelo Träsel.

Como em 2020, o maior encontro de jornalismo da América Latina terá dois eventos paralelos. No sábado (28.ago.2021), acontece o VIII Seminário de Pesquisa em Jornalismo Investigativo, com apresentação de artigos científicos e trabalhos de conclusão de curso de estudantes (TCCs). A terceira edição do Domingo de Dados, marcada para 29.ago.2021, reúne cursos e oficinas voltados para o jornalismo de dados, além de palestras com especialistas no tema.

Como há vários nomes a confirmar, a programação nacional e atividades com a presença de jornalistas latino-americanos ainda serão anunciadas.

Pague o quanto puder – ou nada!

Como em 2020, em face da crise sanitária e econômica, o Congresso será gratuito. No entanto, será solicitado a quem tiver condições que faça uma doação de qualquer valor para a Abraji seguir defendendo as liberdades de expressão e de imprensa e o direito de acesso à informação.

Realizado anualmente desde 2005, o Congresso da Abraji reuniu mais de 1.200 pessoas em 2019. Em 2020, bateu recorde de público com 10 mil inscritos. As sessões serão ao vivo e gravadas. Para mesas com convidados(a) de língua inglesa, haverá tradução simultânea e será possível escolher o idioma em que se quer assistir à atividade.