Abraji lança lives semanais para valorizar o trabalho dos jornalistas

abraji-lana-lives-semanais-para-valorizar-o-trabalho-dos-jornalistas
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Abraji lança lives semanais para valorizar o trabalho dos jornalistas

A partir da próxima terça-feira, 21.mar.2020, a Abraji começa um novo projeto para valorizar o trabalho dos jornalistas e mostrar à sociedade o papel desses profissionais, principalmente durante momentos cruciais para o país e o mundo, como é o caso da pandemia da covid-19, a maior crise de saúde em pelo menos 100 anos.

Na primeira etapa, a transmissão será feita pela conta da Abraji no Instagram, entre 21 e 22h. A primeira convidada é Ana Lucia Azevedo, repórter especial de Saúde, Ciência e Meio Ambiente de O Globo. Há décadas cobrindo temas de saúde pública e tragédias ambientais, ela falará de seus principais desafios na atual conjuntura. “Será uma honra poder dividir a importância do que estamos fazendo com os colegas e outras pessoas que não conhecem o nosso trabalho”.

Ana Lucia Azevedo (Foto: Arquivo Pessoal)

As entrevistas ficarão a cargo da diretora da Abraji Adriana Barsotti, que tem passagens pelas redações de O Estado de S. PauloIstoÉ e O Globo, onde ganhou o Prêmio Esso com a série de reportagens “A História Secreta da Guerrilha do Araguaia”. Barsotti venceu o Prêmio Vladimir Herzog de 2019 na categoria multimídia pelo Projeto #Colabora e é professora de Jornalismo na Universidade Federal Fluminense (UFF).

“A ideia é mostrar os bastidores da cobertura da pandemia, humanizando os profissionais que estão na linha de frente e, por meio das entrevistas, refletir como o jornalismo está se adaptando ao novo cenário; como os jornalistas estão lidando com o home office, quais são as principais dificuldades da cobertura e como estão driblando-as”, explica Barsotti.

O intuito também é discutir como repórteres, editores e outros profissionais da área estão conciliando neste momento vida profissional e questões pessoais como relações afetivas, educação de crianças e adolescentes, além de cuidados com pais, avós e parentes idosos.

Para o vice-presidente da Abraji, Guilherme Amado, o trabalho do jornalista é essencial em qualquer época, mas numa crise humanitária como essa é ainda mais importante.

“A informação correta pode determinar se uma vida vai ser salva ou não. Acreditamos que os jornalistas envolvidos nessa tarefa, ao contar como está sendo o dia a dia do trabalho, ajudam a mostrar aos leitores, ouvintes e espectadores como a imprensa livre é uma aliada do cidadão”, diz Amado.

O projeto pretende reunir profissionais de todas as plataformas, regiões e especialidades. De jornalistas de grandes redações aos que trabalham em veículos nas favelas e periferias, passando por áreas com imensa dificuldade de ir a campo para as apurações, como a Amazônia, fronteiras e o interior dos estados, muitas vezes mergulhados nos chamados “desertos de notícias”.

Em 28.abr.2020, o entrevistado será o jornalista Raull Santiago, produtor de documentários, empreendedor social e ativista dos direitos humanos. Santiago é fundador e integrante dos coletivos Papo Reto, Movimentos, Perifa Connection e faz parte da Assembleia de Membros da Anistia Internacional do Brasil.