Abraji lista mais oportunidades de bolsas e microbolsas para jornalistas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print


Bolsas para investigar acesso à internet no Brasil, ameaças aos oceanos, o impacto da covid-19 nas crianças ou identificar iniciativas de governo que se enquadrem como tecnoautoritarismo. Instituições brasileiras e estrangeiras estão com inscrições abertas para diversos programas de aperfeiçoamento e financiamento de reportagens especiais. A Abraji identificou dez delas que estão selecionando candidatos entre fevereiro e março.

Para se inscrever é necessário estar muito atento aos processos de aplicação, requisitos e deadlines. A Journalist Fellowship, do Reuters Institute for the Study of Journalism, em Oxford, no Reino Unido, exige que os inscritos tenham pelo menos cinco anos de experiência profissional. Além disso, é necessário enviar declarações que, em geral, vão demandar do candidato acionar a empresa em que trabalha e também outras referências de sua carreira. Em um programa tão amplo como o da Reuters, é preciso pensar muito no projeto, como mostra o jornalista Murillo Camarotto nesta reportagem.

Já a bolsa da Earth Journalism Networkincentiva a inscrição de jornalistas iniciantes e seniores que tenham vontade de investigar ameaças à conservação dos oceanos. Stefano Wrobleski, coordenador de geojornalismo da organização, diz que é importante dar oportunidades para jornalistas menos experientes:

“Ajuda a trazer novas perspectivas para os temas que financiamos e apoia quem esteja começando a cobrá-los para seguir numa área que é rica em pautas, mas que não tem tantos profissionais dedicados.”

O coordenador considera fundamental que os jornalistas interessados leiam a proposta com antecedência para conseguir passar as ideias para o papel de forma clara. “Vale resumir o problema do qual você quer tratar como se estivesse apresentando para alguém que não o conheça, mostrando domínio no assunto e garantindo que a equipe de seleção esteja a par da questão”, aconselha Wrobleski. Por fim, ele sugere transparência nas respostas e deixar claro se a pessoa tem vontade de continuar investigando o tema.

Inscrições 

A Abraji detalhou os requisitos, processos e deadlines de cada bolsa e microbolsa. O objetivo é que jornalistas possam ter uma visão rápida sobre qual oportunidade melhor se encaixa com sua realidade profissional e aspirações.

01 – Reporting Fellowship: Desigualdade e Covid-19 no Brasil, Venezuela e Colômbia – Universidade de Columbia

Descrição: O Dart Center for Journalism and Trauma, um projeto da Escola de Jornalismo da Universidade Colúmbia, em Nova York, oferece uma fellowship virtual baseada em projeto para jornalistas sediados no Brasil, Venezuela e Colômbia. O foco será os efeitos da pandemia do novo coronavírus no crescimento, desenvolvimento e bem-estar das crianças. Se aceito, o candidato receberá uma bolsa de 1,5 mil dólares para investir em seu projeto.

Requisitos: Qualquer jornalista que viva e trabalhe no Brasil, Colômbia e Venezuela. Fluência em Português e/ou Inglês.

Deadline: 9 de fevereiro de 2021.

Mais detalhes aqui.

02 – Bolsa para reportagem literária – Universidade de Nova York

Descrição: O Prêmio Matthew Power de Reportagem Literária, oferecido pelo Centro de Jornalismo da Universidade de Nova York (Arthur L. Carter Journalism Institute) é uma bolsa de 12,5 mil dólares para apoiar o trabalho de um escritor iniciante de não-ficção que investigue verdades sobre a condição humana. O vencedor terá um documento de identificação e total acesso à Universidade de Nova York.

Requisitos: Os candidatos devem ter se formado na faculdade pelo menos dois anos antes do processo de inscrição. Fluência em Inglês.

Deadline: 16 de fevereiro de 2021.

Mais detalhes aqui.

03 – Bolsas Ocean Story Grants – Earth Journalism Network 

Descrição: De modo a captar a importância e a urgência das ameaças contra os oceanos, a EJN apoiará histórias que procurem investigar questões emergentes e de longo prazo sobre a conservação e utilização sustentável dos mares. A organização destaca que dará preferência a propostas que incidam sobre tópicos ou histórias que até agora tiveram pouca cobertura mediática. Quatro a seis bolsas serão concedidas, com valor de mil a dois mil dólares.

Requisitos: Fluência em Português e/ou Inglês ou disponibilidade de tradutor para comunicação com a equipe e tradução da reportagem.

Deadline: 25 de fevereiro de 2021.

Mais detalhes aqui.

04 – Bolsa para reportagem sobre Agronegócio e Meio Ambiente em tempos de Covid – Joio e Trigo

Descrição: O Joio e O Trigo, em parceria com Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), convidam repórteres para investigar as estratégias corporativas no período de pandemia e como estão afetando o direito à alimentação, ampliando problemas socioambientais, como desmatamento em terras indígenas, invasão de terras públicas, tentativas e lobbies para enfraquecimento de políticas públicas. As duas bolsas oferecidas terão o valor de 6,5 mil reais cada.

Requisitos: Nenhum. O Joio e O Trigo dará prioridade a candidatas e candidatos socialmente sub-representados nas categorias de gênero e étnico-raciais do país.

Deadline: 26 de fevereiro de 2021.

Mais detalhes aqui.

05 – Bolsa Joan Shorenstein Center – Universidade de Harvard

Descrição: A Kennedy School of Government da Universidade de Harvard oferece a oportunidade para jornalistas compartilharem, expandirem e pesquisarem sobre políticas públicas e assuntos políticos. A bolsa, que normalmente é residencial, será on-line devido à pandemia. Para a inscrição, é necessário enviar uma carta, um formulário de inscrição preenchido, uma proposta de projeto de pesquisa, currículo e recomendações.

Requisitos: Os candidatos devem ser jornalistas, acadêmicos ou formuladores de políticas ativos na imprensa, política e políticas públicas, ter pelo menos cinco anos de experiência na profissão e comprovação de fluência na língua inglesa através do TOEFL ou IELTS.

Deadline: 01 de março de 2021.

Mais detalhes aqui.

06 – Bolsas para reportagens sobre tecnoautoritarismo – The Intercept Brasil

Descrição:  The Intercept Brasil, em associação com a Associação Data Privacy Brasil de Pesquisa, oferece bolsas para repórteres que tenham vontade de reportar iniciativas em todas as esferas do governo que se enquadrem como tecnoautoritarismo. As organizações buscam jornalistas que investiguem a forma como prefeituras, governos estaduais, governo federal e empresas privadas estão usando inteligência artificial, câmeras, bases de dados, redes sociais e outras ferramentas para violar e ameaçar direitos fundamentais da população. Serão quatro bolsas, no valor de 4,5 mil reais cada

Requisitos: Relevância jornalística, ineditismo, existência de documentação que comprove a denúncia e viabilidade de execução.

Deadline: 01 de março de 2021.

Mais detalhes aqui.

07 – Bolsa de trabalho na Alemanha para jovens jornalistas – DW Akademie

Descrição: A DW Akademie disponibiliza oportunidades para seu programa de Estudos de Mídia Internacional, em Bonn, Alemanha. Os alunos que concluírem com êxito o programa de quatro semestres receberão diploma de mestrado. Dez bolsas integrais são oferecidas a candidatos da África, Ásia, América Latina ou Europa Oriental.

Requisitos: Os candidatos devem ter diploma de bacharel e pelo menos um ano de experiência profissional em um campo relacionado com mídia, além de bom conhecimento de inglês e alemão.

Deadline: 31 de março de 2021.

Mais detalhes aqui.

08 – Escuela de Periodismo UAM – El País

Descrição: Os candidatos selecionados para o Mestrado de Jornalismo da UAM passam por um ano de treinamento nas empresas do grupo PRISA, holding que controla o jornal El País. Nos outros dez meses, os alunos têm aulas e oficinas práticas na Universidade Autônoma de Madrid (UAM). As bolsas são oferecidas pela Fundação Carolina da Espanha.

Requisitos: Ter um diploma de faculdade em qualquer carreira, saber escrever e falar perfeitamente em Espanhol e saber se comunicar em Inglês.

Deadline: 31 de maio de 2021 para residentes da América Latina.

Mais detalhes aqui.

Foto: Reprodução / REUTERS