Clube de Imprensa

Abraji repudia ataque de facção a jornalistas em Salvador

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) cobra ações imediatas do poder público e se solidariza com as equipes de jornalismo das emissoras Band e TV Aratu, da Bahia, agredidas por integrantes de organização criminosa durante cobertura de um homicídio, em 1.fev.2022, em Salvador.

É preocupante que criminosos se sintam à vontade para destruir equipamentos, agredir e expulsar profissionais de imprensa de uma cobertura jornalística. Polícia e Justiça devem apurar o caso com rapidez, e os autores devem ser punidos. Um dos agressores, segundo a Secretaria de Segurança Pública informou à Abraji, morreu em confronto posterior com policiais. Os demais não teriam sido identificados até a publicação desta nota.

O poder público também precisa agir para que não só os profissionais de imprensa, mas todos os cidadãos possam ter mais segurança nas ruas. Atirar contra a imprensa não calará o jornalismo; e as duas emissoras manifestaram seu empenho em manter o trabalho de apuração.

O caso aconteceu no bairro de Águas Claras, em Salvador, quando as equipes se dirigiram ao local após serem informadas de um homicídio. Os jornalistas foram recebidos a tiros, e os agressores destruíram os equipamentos para devolvê-los, quebrados, aos profissionais. Um dos jornalistas teve de ser atendido em hospital depois de levar coronhadas.

Diretoria da Abraji, 8 de fevereiro de 2022