Acidente faz cantora sair da depressão e começar corrente do bem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Tem coisas que parecem ruins, num primeiro momento, mas lá na frente a gente descobre que serviram pra mudar a vida da gente… e neste caso de várias pessoas… uma corrente do bem.

A cantora Mila Amorim, de 31 anos, estava numa depressão “bem pesada” e decidiu fazer exercícios com duas amigas no Parque da Aclimação, em São Paulo, quando de repente aconteceu um acidente: ela foi atingida por uma bicicleta e, mesmo sem querer, salvou uma criança.

“Fui atingida no tornozelo por uma criança de 3 anos que estava descendo uma ladeira de bicicleta, sem freio, rumo à um grave acidente. Ele encontrou no meu tornozelo um freio, uma barreira! […] E não se machucou […] Sem saber, acabei salvando o menino de um novo acidente”, contou Mila em entrevista ao Só Notícia Boa.

O pai agradeceu porque o menino havia quebrado o fêmur três meses antes: “ele me mostrou as fotos me agradecendo muito”.

O acidente de Mila foi em julho do ano passado e ela, que já tinha um histórico de rompimento no tornozelo, precisou engessar a perna, ficar imobilizada durante a pandemia e recomeçar o processo de fisioterapia.

Ao saber que a cantora morava sozinha e não tinha como fazer os trabalhos domésticos, o pai da criança ofereceu ajuda: “Me visitou, comprou um banco pra tomar banho enquanto eu estivesse imobilizada, me deu também uma bota ortopédica que substituía o gesso, e me enviou um vídeo carinhoso da criança agradecendo”.

Cantora Mila Amorim - Foto: reprodução / Instagram

Cantora Mila Amorim – Foto: reprodução / Instagram

Livre da depressão

E foi justamente essa história conturbada e o carinho que recebeu de amigos em seguida, que fizeram Mila se ver livre da depressão.

“Meus amigos e alunos se revezaram me visitando, trazendo comida e até limpando a casa pra mim. Esse amor todo foi um impulso que acabou me fazendo sair da depressão!”, comemorou.

E quando ela se recuperou, sem perceber, começou uma corrente do bem com aquele banco que havia ganhado do pai do menino.

“Um belo dia eu olhei pro banco de banho (que agora tinha virado suporte de planta) e pensei: acho que esse banco não está cumprindo o papel dele, e pode servir pra alguém que está realmente precisando e não segurando planta. Então resolvi doar anunciando no Facebook”.

Ela nem imaginava que havia tanta gente precisando de um banco daqueles.

“Pro meu espanto em menos de 20 minutos tinham 40 mensagens com pedidos pelo banco com histórias de tamanha necessidade que me doeram o coração! No total foram 76 mensagens, e eu só tinha “um” único banco, que foi doado no mesmo dia e a pessoa buscou imediatamente”, contou.

“Eu não podia simplesmente responder para as outras pessoas algo como ” já foi doado, boa sorte”. Fiquei muito comovida e reflexiva, pensando o que eu poderia fazer, já que cada cadeira dessas, custa em torno de 200 reais e eu não teria como comprar mais que uma pra ajudar”, disse.

Corrente do bem

Foi aí que Mila teve a ideia de unir amigos para ajudar pessoas em necessidade durante a pandemia: “resolvi fazer uma campanha pra arrecadar cadeira para essas outras pessoas”.

Eles toparam e em seguida surgiu uma empresa, também disposta a ajudar: “Eles conseguiram um fornecedor que vendesse mais barato, abrindo mão até do próprio lucro em prol da causa”.

Resultado: a cantora e os amigos já conseguiram 5 cadeiras de banho: “Eu sei que não são 76, mas se pensar que a princípio eu só tinha 1 e agora tenho 5 pra ajudar já me traz muita alegria”, afirmou.

“A campanha vai até dia 16 de março [terça-feira] e espero poder ajudar o máximo de pessoas que precisam!”, concluiu

A vaquinha, com meta de R$ 11 mil ainda não a meta. Se você puder ajudar, clique aqui.

Agradecimento da mãe que recebeu a cadeira - Foto: reprodução
Agradecimento da mãe que recebeu a cadeira – Foto: reprodução

Por Rinaldo de Oliveira, da redação do Só Notícia Boa