Acusado de mandar matar jornalista é julgado em Cuiabá (MT)

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Redação Portal IMPRENSA*

Após ser adiado pelo menos duas vezes, o júri do autônomo Rubens Alves de Lima, acusado de planejar a morte do jornalista Auro Ida, ocorreu na tarde da última quinta-feira (7/7), no fórum em Cuiabá (MT).

Auro Ida (foto) foi assassinado com seis tiros em 2011

Segundo o G1, em junho, a audiência foi suspensa por conta da greve dos agentes penitenciários de Mato Grosso. À época, a juíza da 1ª Vara Criminal de Cuiabá, Mônica Catarina Perri Siqueira, aceitou o pedido do advogado Augusto César Carvalho Frutuoso, que disse não ser possível falar com Lima, devido à paralisação.

A investigação do Ministério Público Estadual (MPE) aponta que o acusado planejou a morte do jornalista por “sentimento misto de posse e ciúmes” que tinha por sua ex-companheira, Bianca Nayara Corrêa de Souza, à época namorada de Auro Ida. Lima teria sido o mandante do crime e Alessandro Silva da Paz o intermediário que contratou Evair Peres Madeira Arantes para matar o profissional por R$ 1.500.

O jornalista foi assassinado em 2011, por seis disparos de arma de fogo na cabeça e no tórax. Evair foi condenado a 15 anos e seis meses de prisão e o corréu, Alessandro, a 16 anos e seis meses. Lima  é o terceiro acusado de envolvimento no homicídio. Atualmente, ele está detido no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Presídio do Carumbé.