Assassinato de jornalista na fronteira completa um ano sem investigações concluídas pela polícia paraguaia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Por G1MS e TV Morena

Jornalista Léo Veras — Foto: Facebook/Reprodução

Jornalista Léo Veras — Foto: Facebook/Reprodução

O assassinato do jornalista brasileiro Léo Veras na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, completa um ano nesta sexta-feira (12), sem conclusão das investigações por parte do Ministério Público paraguaio. Veras foi morto na noite de 12 de fevereiro de 2020 por dois pistoleiros quando estava jantando com a esposa e os dois filhos, no quintal de casa.

A Polícia Nacional do Paraguai chegou aprender 10 pessoas por envolvimento no crime, poucos dias depois do assassinato. As investigações, porém, não avançaram, e até o momento não houve a conclusão de quem teria sido o mandante dos disparos e quem executou o jornalista.

De acordo com Angelina Nunes, coordenadora do Programa Tim Lopes da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), a polícia paraguaia demora na resolução do caso. “É um absurdo que até agora não haja uma solução. Não adianta tentar calar o jornalista pois as notícias não deixarão de ser publicadas, as denúncias vão acontecer. O que não pode acontecer é a sensação de impunidade, como vemos não só nesse caso da fronteira, como nos casos no Brasil”, afirma.

Ela, que organizou uma investigação paralela sobre o caso, participa nesta sexta de um seminário em homenagem a Veras, com jornalistas brasileiros e paraguaios, para discutir o homicídio e também a violência contra profissionais da comunicação. Enquanto isso, a esposa do jornalista, Cinthia Veras, disse que a família continua com dificuldades financeiras, já que a renda vinha toda do site administrado pelo marido.

Procurado pelo G1, o Ministério Público do Paraguai não havia respondido sobre o andamento das investigações até o momento da publicação desta reportagem.

Jornalista que denunciava tráfico na região de fronteira com Paraguai é executado

 

Jornalista que denunciava tráfico na região de fronteira com Paraguai é executado

A execução

Lourenço Veras, ou Léo Veras, era bastante conhecido em Mato Grosso do Sul por seu trabalho. Ele era o dono de um site policial que produzia notícias da região da fronteira em português e espanhol. Frequentemente ele noticiava situações relacionadas ao tráfico de drogas.

De acordo com a Polícia Nacional do Paraguai, Léo foi atingido por cerca de 12 tiros de pistola 9 milímetros. Um dos disparos acertou a cabeça dele no momento em que ele tentou correr dos assassinos. O jornalista chegou a ser socorrido e encaminhado para um hospital particular da cidade paraguaia, mas não resistiu.