Atento aos benefícios, ingredientes e segurança dos produtos, mercado árabe tem potencial importar produtos agro brasileiro

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Características deste e de outros países do Oriente Médio foram apresentados durante seminário virtual
22/06/2022 – 08:30

Um país com aproximadamente 9,5 milhões de habitantes, sendo aproximadamente 87% expatriados ou imigrantes. Os Emirados Árabes Unidos têm um público diversificado, de alto poder aquisitivo, com hábitos de consumo de diferentes lugares e atentos à qualidade de cada produto. Essas características foram apresentadas em um seminário virtual sobre a rota de exportações, realizado pela CNA, a partir do Programa Agro.BR. Este é o tema da editoria #EducaçãonoCampo, desta quarta-feira (22).

“Conhecer o perfil geral da população do país onde se pretende entrar é o primeiro grande passo. Entender sobre seus hábitos de consumo, suas culturas, seus interesses, principais concorrentes, preços e restrições de acesso, pode ajudar neste processo.”, afirma o responsável pelo escritório da CNA em Dubai, Rafael Gratão.
O Brasil é importante fornecedor de alimentos e bebidas para os Emirados Árabes Unidos, com 38,6% de participação no mercado. As exportações brasileiras para o país se concentram em carnes de frango, carne bovina e açúcar. O desafio está na diversificação de produtos.

Entre as potencialidades aparece o café brasileiro, as castanhas, frutas e seus derivados, além de outros. “Cada segmento setorial requer uma avaliação específica quanto às condições de entrada, público-alvo, distribuição. De todo modo, em geral, existe potencial em negócios não apenas para os Emirados Árabes Unidos, mas para os demais países da região”, acrescenta.

No ano de Copa do Mundo, é esperada a atenção voltada não somente para o Catar, país sede do mundial, como também aos Emirados Árabes Unidos, dada sua proximidade e relevância. “Entendo que as empresas que procuram introduzir ou reforçar a presença de suas marcas neste mercado, podem aproveitar deste momento em campanhas promocionais ou ações de aproximação com potenciais compradores e parceiros”, finaliza.

Fonte: Assesoria de Comunicação do Sistema Famasul – Ellen Albuquerque