Ato em favor de Greenwald reúne centenas de pessoas, artistas e tem vídeo de apoio de Rodrigo Maia

Redação Portal IMPRENSA*

O ato em favor do jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil, reuniu centenas de pessoas dentro e fora da sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio de Janeiro.

Crédito:O Globo
Desde junho, o Intercept tem publicado diálogos vazados do Telegram entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, então juiz, e procuradores da Lava Jato. Nas conversas, Moro teria orientado investigações da Lava Jato por meio de trocas de mensagens.

Na semana passada, a Polícia Federal prendeu quatro pessoas suspeitas de terem invadido o celular de Moro e outras autoridades. Greenwald tem sido alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro, que chegou a insinuar que ele poderia “pegar uma cana no Brasil”.

“Esse passaporte me permite ir para o aeroporto a qualquer minuto e sair do país”, continuou. “(Mas) Eu não me importo com as ameaças que (o presidente Jair) Bolsonaro fez contra mim. Eu não vou fugir desse país.”

Artistas como Chico Buarque, Wagner Moura, Camila Pitanga, Marcelo D2, Paulo Betti, Teresa Cristina e Maria Gadú participaram do ato, que foi transmitido pelas redes sociais.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, gravou um vídeo de apoio a Greenwald, que foi transmitido no evento, e criticou a divulgação de nomes dos hackeados pelos suspeitos presos na Operação Spoofing, da Polícia Federal.

Crédito:Reprodução
“Um hacker que consegue de forma ilegal dados de pessoas, isso precisa ser investigado, descoberto e punido. Por outro lado, um agente público que vaza informações sigilosas, que estão sob seu comando, também comete crime”, disse Maia.

Em São Paulo também houve ato em solidariedade ao jornalista ao The Intercept Brasil no vão livre do Masp (Museu de Arte Moderna), na Avenida Paulista.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book