Autoridades colombianas capturam dissidente das FARC que diz ter sido vigia de jornalistas sequestrados

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Por Teresa Mioli/LL

Autoridades colombianas anunciaram a captura do suposto quarto homem no comando da Frente Oliver Sinisterra, que disseram ser responsável por vigiar os jornalistas equatorianos que foram sequestrados em março, e depois mortos.

O Gabinete da Procuradoria-Geral da Colômbia postou, pelo Twitter, no dia 7 de julho, que havia acabado de capturar Jesús Vergas Cuajiboy, conhecido como Reinel, em Santander de Quilichao, no departamento de Cuaca.

“O Estado colombiano prometeu que o sequestro de Javier, Paúl e Efraín, os jornalistas equatorianos, não permaneceria impune“, disse o gabinete, acrescentando que continuará buscando identificar os responsáveis.

O fotojornalista Paúl Rivas, o jornalista Javier Ortega e o motorista Efraín Segarra, do jornal equatoriano El Comercio, foram sequestrados no dia 26 de março, perto da fronteira com a Colômbia, em uma área de confronto entre militares e grupos dissidentes das FARC. As tentativas de garantir sua libertação falharam e, no dia 11 de abril, um comunicado supostamente assinado pela Frente Oliver Sinisterra anunciou a morte do trio. O presidente equatoriano, Lenín Moreno, confirmou a notícia dois dias depois.

Seus corpos foram finalmente localizados pelas forças militares colombianas no final de junho e suas identidades foram confirmadas no dia 25 de junho. Membros da família dos jornalistas mortos criticaram a comunicação do governo colombiano durante o processo, dizendo que ficaram sabendo sobre a localização dos corpos pelas redes sociais e noticiários.

No dia 7 de julho, a Procuradoria-Geral colombiana informou que obteve um mandado de prisão contra o dissidente de pseudônimo Guacho “como o principal mandante do sequestro dos jornalistas equatorianos”.

Guacho, líder da Frente Oliver Sinisterra, foi identificado como Walter Arizala, e é também apontado como responsável pelo sequestro de um casal jovem, por realizar ataques contra a infraestrutura elétrica em Tumaco e por assédio contra cidadãos e forças públicas, segundo informou o El Colombiano.