Batalhão de 600 pessoas segue de MS para Brasília para acompanhar votação

Manifestantes estão indo de avião e ônibus

RODOLFO CÉSAR E GLAUCEA VACCARI*

Os primeiros grupos de pessoas do Estado a viajarem para acompanhar a votação do parecer de Comissão que indica o impeachment de Dilma Rousseff (PT) saíram no meio da tarde desta sexta-feira (15) do Centro de Campo Grande.

Os movimentos que apoiam a cassação da presidente conseguiram com sindicatos rurais e com a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) 16 ônibus para levar manifestantes a Brasília.

Em torno de 600 pessoas estão previstas para viajar e acompanhar no domingo (17) a votação do parecer elaborado pela comissão, presidida pelo deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que recomenda a abertura de processo de impeachment.

A sessão na Câmara dos Deputados está programada para começar às 13h (horário de Mato Grosso do Sul) e deve estender-se até a noite.

Nesta sexta, um ônibus saiu por volta das 16h e outro veículo viaja no começo da noite. No sábado (16), 20 pessoas vão para o Distrito Federal em voo comercial, depois que os assentos nos dois ônibus que partem da Capital e nos 12 saindo do interior ficaram lotados. Esses veículos seguem juntos a partir do Shopping Bosque dos Ipês, já na BR-163.

Os custos de estadia em Brasília não foram cobertos por apoios obtidos pelo movimento Reaja Brasil, Chega de Impostos e Movimento Brasil Livre. Algumas pessoas ficarão em barracas e outras pagarão hotel.

A Confederação Nacional de Agricultura (CNA) terá um stand para dar apoio aos manifestantes presentes na frente do Congresso Nacional.

“Vamos acompanhar e fazer pressão nos deputados. Colocamos eles lá e vamos cobrar para que eles votem por nós, a favor do impeachment. Acreditamos que será aprovado (o parecer pela cassação)”, disse Juliana Gaioso Pontes, do Pátria Livre.

DE CAMAROTE

Quem não conseguir viajar para Brasília, pode acompanhar a votação na Câmara a partir de telão de seis metros que será instalado na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, na frente do Ministério Público Federal. O Chega de Impostos é quem está apoiando essa iniciativa.

O acampamento que está há 29 dias no canteiro será suspenso para que seja instalado esse equipamento. “Vamos para lá para fazer nossa parte e aqui terá telão para as pessoas acompanharem. Quem vier, só é bom trazer uma cadeira e algo para comer”, comentou Lucas dos Santos, 18 anos, que está acampado no local e viajará para o DF.

OPINIÕES

As pessoas que estão viajando disseram acreditar que os deputados devem votar favoravelmente à abertura do processo de impeachment.

“O país está cansado de corrupção. É um momento histórico, o futuro do Brasil está em jogo e por isso eu decidi viajar para acompanhar. Acredito na aprovação”, opinou João Pedro da Silva Neves, 25 anos, técnico de enfermagem.

Ideia compartilhada por Melqui Santana, 19 anos. “Se a Dilma sair, o Temer vai ser melhor. Eles não vão fazer o que a Dilma fez porque estarão mais espertos. Estão vendo a mobilização das ruas. Mas acho que o melhor mesmo para presidência seria o (Jair) Bolsonaro.”

Foto: Gerson Oliveira – Correio do Estadoreaja-brasil-gerson-oliveira

Pular para o conteúdo