Clube de Imprensa

20 de Junho – Dia do Revendedor, Vigilante, Refugiado, Inicio do Inverno e Dia das Beatas Irmãs: Teresa, Mafalda e Sancha

Dia do Revendedor/Revendedora é comemorado anualmente dia 20 de junho.

A data homenageia aqueles que se dedicam a vender produtos e serviços de forma autônoma. A profissão cresceu muito durante o século XX, quando a sociedade de consumo se expandiu.

Para ser um bom profissional, o revendedor deve ter qualidades como simpatia, falar bem, noções de contabilidade e conhecimento sobre o produto que está oferecendo ao cliente.

Dia do Revendedor

No Brasil, a profissão foi regularizada pela lei Lei nº 4.886/65 que seria modificada em 1992. Aqui, os revendedores são muito populares, especialmente entre as mulheres, que vendem produtos de cosméticos e assim podem gerar uma renda extra. Contudo, produtos de informática, telefonia e mesmo roupas podem ser comercializados de maneira independente.

Dia do Vigilante é comemorado anualmente em 20 de junho.

Esta data é uma homenagem a todos os profissionais que se dedicam a proteger e vigiar propriedades públicas e privadas, com o intuito de evitar vandalizações e garantir a segurança do ambiente.

No Brasil, os profissionais vigilantes estão amparados e são representados através da Confederação Nacional de Vigilantes e Prestadores de Serviços (CNTV).

Dia do Vigilante

O Dia do Vigilante foi criado na mesma data em que foi sancionada a Lei nº 7.102, de 20 de junho de 1983, que regulariza esta profissão no Brasil.

Historicamente, a profissão de vigilante como é conhecida atualmente teria surgido em meados do século XIX nos Estados Unidos. No entanto, as empresas responsáveis em treinar e oferecer esse tipo de serviço só apareceram no Brasil na década de 1960, com o crescimento das instituições financeiras no país.

Atualmente, para desempenhar a função de vigilante no Brasil, o profissional deve possuir um curso de formação e a Carteira Nacional de Vigilante.

As empresas de vigilância também devem ser registradas no Ministério da Justiça, através da Polícia Federal, que é a responsável por fiscalizar as academias de formação dos vigilantes.

Dia Mundial do Refugiado é celebrado anualmente em 20 de junho.

Esta data visa homenagear a coragem e a força das milhões de pessoas que são obrigadas a fugir de suas casas e se refugiar em outras localidades para evitar perseguições, calamidades naturais ou guerras.

O principal objetivo também é discutir com a sociedade e os governos a ideia da solidariedade, respeito e responsabilidade que as nações devem ter com os povos refugiados.

Os refugiados são pessoas que sofrem perseguições e são forçadas a fugir de seus países, seja por causa de sua etnia, naturalidade, religião, opinião política, grupo social e etc.

Dia do Refugiado

Dia do Refugiado foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2000, através da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). De acordo com a mesma instituição, os países que mais tem refugiados no mundo são Síria, com 4,9 milhões de refugiados; Afeganistão, com 2,7 milhões e Somália, com 1,1 milhão.

De acordo com dados da ACNUR, atualmente existem aproximadamente 60 milhões de pessoas ao redor do mundo que são obrigadas a estar fora de suas localidades de origem por motivos de guerra, perseguições e conflitos armados.

A maioria dos refugiados são de regiões como o Oriente Médio, a África Oriental e o Sudoeste Asiático, e são compostos na maioria por crianças e jovens com menos de 18 anos.

Brasil abriga mais de 8 mil refugiados de 81 nações diferentes, e durante esta data, núcleos da ONU no país organizam diversas atividades de homenagem e conscientização civil sobre os motivos que levam os refugiados a abandonarem os seus lares.

O Inverno tem início no dia 20 de junho de 2024 às 17h51 e termina em 22 de setembro de 2024, com o equinócio da primavera.

Esta é a estação que antecede a primavera e sucede o outono. No Hemisfério Sul, onde está localizado o Brasil, o inverno caracteriza-se pelas temperaturas baixas, dias mais curtos e noites mais longas.

As regiões Sudeste e Sul do país são as mais marcadas pelas características típicas do inverno, sendo que no restante do Brasil as temperaturas são mais equilibradas, com pouca variação térmica.

Gramado no inverno
No inverno, pode nevar na cidade de Gramado (RS)

Solstício de Inverno: início do inverno astronômico

O começo do inverno é marcado pelo evento astronômico, baseado na órbita da Terra em relação ao Sol, conhecido por solstício de inverno, ou seja, o período em que o Hemisfério Norte está mais inclinado para o Sol.

Enquanto no Hemisfério Sul ocorre o solstício de inverno, tem-se o evento chamado de solstício de verão no Hemisfério Norte, marcando o começo da estação mais quente do ano nos países que ficam acima da linha do Equador.

Solstícios e equinócios
Solstícios e Equinócios nos Hemisférios Norte e Sul

Observe que o solstício marca o início das estações verão e inverno, enquanto que o equinócio determina a chegada da primavera e do outono.

Vale lembrar que se estivermos falando da estação meteorológica, período estabelecido para coincidir com o calendário que utilizamos, há a divisão em quatro períodos – primavera, verão, outono e inverno – de três meses.

Sendo assim, o inverno meteorológico é a estação no ano que ocorre nos meses de junho, julho e agosto de acordo com o ciclo anual de temperatura.

Quando acaba o inverno?

O fim do inverno é também marcado por outro fenômeno astronômico: o equinócio de setembro, período quando o Sol incide com maior intensidade nas regiões próximas à linha do Equador.

No Brasil e em todo o Hemisfério Sul, o equinócio acontece entre os dias 22 e 23 de setembro, marcando o fim do inverno e começo da primavera.

O equinócio tem como principal característica o dia com a mesma duração no Hemisfério Norte e no Hemisfério Sul.

Estações do ano em 2024 no Brasil

O inverno é a estação que vem após o outono e antecede a primavera. Confira a seguir a ordem das estações e as datas de início em 2024, de acordo com o horário de Brasília.

  • Outono: 20 de março de 2024, às 00h06;
  • Inverno: 20 de junho de 2024, às 17h51;
  • Primavera: 22 de setembro de 2024, às 09h44;
  • Verão: 21 de dezembro de 2024, a 07h20.

Início do inverno de 2023 a 2030

De acordo com o Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas – IAG/USP, as datas que marcam o começo da estação nos próximos anos são:

  • inverno em 2023 inicia em 21 de junho às 11h58 e termina em 23 de setembro;
  • inverno em 2024 inicia em 20 de junho às 17h51 e termina em 22 de setembro;
  • inverno em 2025 inicia em 20 de junho às 23h42 e termina em 22 de setembro;
  • inverno em 2026 inicia em 21 de junho às 05h24 e termina em 22 de setembro;
  • inverno em 2027 inicia em 21 de junho às 11h10 e termina em 23 de setembro;
  • inverno em 2028 inicia em 20 de junho às 17h01 e termina em 22 de setembro;
  • inverno em 2029 inicia em 20 de junho às 22h48 e termina em 22 de setembro;
  • inverno em 2030 inicia em 21 de junho às 04h31 e termina em 22 de setembro.

O Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (RN) celebra o Dia do Advogado e da Advogada Trabalhista comemorado nesta segunda-feira (20 de junho). A homenagem é feita aos profissionais do Direito que atuam diretamente com empregados e empregadores nas questões trabalhistas e são fundamentais para o andamento dos processos e para a execução da atividade fim da própria Justiça do Trabalho.

A advocacia trabalhista foi oficializada no país a partir da criação da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT – Decreto-Lei 5.452/43), que definiu como imprescindível a figura de um representante legal que defendesse direitos de empregados e empregadores nos processos. Assim, tal advocacia especializada conta com quase 80 anos de história oficial em apoio aos trabalhadores e empregadores na pacificação dos conflitos trabalhistas.

Beatas Irmãs: Teresa, Mafalda e Sancha

Beatas

Teresa, Mafalda e Sancha, filhas de Dom Sancho I e da Rainha Dulce, eram portuguesas. Renunciaram ao mundo e aos seus bens para se consagrarem à religiosidade. Souberam usar suas virtudes cristãs para se tornarem exemplo para os povos.

Teresa, religiosa [† c. 1250]

A primogênita nasceu em 1176. Desde cedo, muito bem educada, sentiu o chamado à vida religiosa, mas, conforme o costume do tempo, acabou sendo dada em casamento com o Rei Afonso e tornou-se Rainha de Lion. Por diversos motivos, o casamento foi nulo. Ela voltou para casa e entrou para a vida religiosa. Afonso não gostou e armou uma guerra contra o pai de Teresa e contra Portugal. Ela, já no convento, consumiu-se na intercessão.

Um exemplo a seguir de despojamento e de busca da vontade de Deus.

Mafalda, virgem [† c. 1256]

Nasceu em 1195, teve momentos parecidos com o de Teresa. Casou-se com Henrique I de Castela, mas este faleceu; sem consumar o casamento, ela retornou para casa, despojando-se de seus bens e entrando para a vida religiosa.

Viveu a total dependência de Deus, preferindo o recolhimento e a vida do claustro.

Sancha, virgem [† c. 1229]

Nasceu em 1180 e foi a primeira das irmãs a renunciar aos bens. A jovem não se casou como acontecera com suas irmãs. Fundou um convento da Ordem Cisterciense em Coimbra, onde viveu as regras com fidelidade até sua morte.

Beatificação

A 13 de dezembro de 1705, Teresa foi beatificada pelo Papa Clemente XI através da bula Sollicitudo Pastoralis Offici, juntamente com a sua irmã Sancha. E a 27 de junho de 1793, foi beatificada pelo Papa Pio VI, Mafalda.

Que sigamos o exemplo dessas mulheres de oração que buscaram a vontade de Deus.

A minha oração

“Senhor, estas três irmãs tudo deram a Ti. Viveram santamente e devotamente a Tua Vontade, o Teu querer e o Teu amor. Conceda-me a mesma graça de tudo dispor para Ti e de entregar tudo o que sou e que tenho para a Tua honra e glória. Amém!”

Beatas Teresa, Mafalda e Sancha, rogai por nós!

Outros santos e beatos celebrados em 20 de junho:

  • São Metódio, bispo de Olimpo e mártir, que escreveu livros de exposição clara e harmoniosa e no final da perseguição do imperador Diocleciano foi coroado com o martírio. († c. 312)
  • São Gobano, atualmente na França, presbítero, que, natural da Irlanda, foi discípulo de São Fusco na Inglaterra e, por amor de Cristo, levou vida eremítica na floresta. († c. 670)
  • São João de Matera, no mosteiro de São Tiago de Fóggia, na Apúlia, região da Itália, abade, que foi insigne pela sua austeridade e pela sua pregação ao povo e, na região de Gárgano, fundou a Congregação de Pulsano sob a observância da regra de São Bento. († 1139)
  • Beata Margarida Ebner, no mosteiro de Medingen, na Baviera, Alemanha, a virgem da Ordem dos Pregadores, que, sofrendo por Cristo muitas tribulações, teve uma vida santa, admirável aos olhos de todos e agradável a Deus, e escreveu várias obras sobre a experiência mística.(† 1351)
  • A paixão do Beato Dermício O’Hurley, em Dublin, na Irlanda, bispo e mártir, jurista leigo, que, por vontade do Papa Gregório XIII, foi nomeado bispo de Cashel. Depois de sofrer interrogatórios e torturas durante vários meses, negando firmemente todas as calúnias, declarou publicamente que morria por causa da fé católica e pelo ministério episcopal. († 1584)
  • Beata Margarida Ball, em Dublin, mártir, que, já viúva, por acolher em sua casa vários sacerdotes perseguidos, por denúncia de um dos filhos foi presa e, depois de vários gêneros de torturas no cárcere, morreu septuagenária em dia incerto († 1584)
  • Beatos mártires Francisco Pacheco, presbítero, oito companheiros,  em Nagasáki, no Japão, da Companhia de Jesus, que foram queimados vivos em ódio à fé cristã. († 1626)
  • Beatos mártires Tomás Whitbread e companheiros Guilherme HarcourtJoão FenwichJoão Gavan e António Turner, presbíteros da Companhia de Jesus, que, acusados falsamente de tomar parte numa conjura para assassinar o rei Carlos II, sofreram na praça de Tyburn o martírio pelo reino dos Céus, em Londres, Inglaterra. († 1679)

Fontes:

  • Martirológio Romano – liturgia.pt

– Produção e edição: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova