Bolsonaro inaugura estação radar em Corumbá, visita fazenda em Maracaju e quartel em Nioaque

AB5C5C6A-EC12-4628-AF7C-EE8B1C54849E
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Bolsonaro inaugura estação radar em Corumbá, visita fazenda em Maracaju e quartel em Nioaque

Por Dyego Queiroz e Cláudia Gaigher, TV Morena

Presidente Jair Bolsonaro inaugurou estação radar da FAB na manhã desta terça-feira (18), em Corumbá (MS) — Foto: Reprodução/Facebook

Presidente Jair Bolsonaro inaugurou estação radar da FAB na manhã desta terça-feira (18), em Corumbá (MS) — Foto: Reprodução/Facebook

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), inaugurou nesta terça-feira (18) em Corumbá, uma estação radar daForça Aérea Brasileira (FAB). O equipamento fica na faixa de fronteira do Mato Grosso do Sul com a Bolívia, a 430 quilômetros de Campo Grande, e tem como objetivo reforçar o controle de tráfego aéreo na região.

Depois de Corumbá, o presidente veio para Campo Grande, onde trocou de aeronave e depois visitou uma fazenda de produção de grãos, em Maracaju, e um quartel do Exército, em Nioaque.

Mais uma vez, Bolsonaro desrespeitou o uso de máscaras em locais públicos várias vezes durante a agenda. Em Corumbá, foram pelo menos duas vezes durante a solenidade. Neste caso, a medida é obrigatória. A regra está estabelecida em decreto municipal de Corumbá como medida de prevenção a Covid-19.

O presidente desembarcou de máscara, no aeroporto da cidade, mas depois a tirou quando foi cumprimentar apoiadores que estavam aglomerados em uma cerca, como mostram imagens divulgadas em redes sociais.

Após a chegada de Bolsonaro, um grupo de apoiadores que estava do lado de fora do aeroporto se aglomerou e, mesmo assim, a entrada deles no local do evento foi liberada. Alguns estavam de máscara, outros sem o equipamento de proteção.

Por volta das 11h, ele ativou a estação radar de Corumbá, fez contato com um avião da FAB e simulou uma ordem de interceptação de uma aeronave suspeita.

Grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que estava do lado de fora do aeroporto internacional de Corumbá se aglomerou após a chegada dele ao local e a entrada foi liberada ao local do evento — Foto: Dyego Queiroz/G1 MS

Grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que estava do lado de fora do aeroporto internacional de Corumbá se aglomerou após a chegada dele ao local e a entrada foi liberada ao local do evento — Foto: Dyego Queiroz/G1 MS

Depois do encerramento do evento, o presidente novamente tirou a máscara e cumprimentou, inclusive pegando nas mãos, de vários apoiadores que estavam no local (veja vídeo abaixo). Situação semelhante ocorreu na segunda-feira (17) em viagem a Sergipe, quando participou da inauguração de uma usina termelétrica.

Bolsonaro tira máscara e vai cumprimentar apoiadores na inauguração de estação radar

Bolsonaro tira máscara e vai cumprimentar apoiadores na inauguração de estação radar

Importância do radar

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, destacou a importância da estação para a proteção as fronteiras. “Quem protege as fronteiras, protege o Brasil. Esse radar vai ser muito importante para coibirmos as entradas que temos hoje no país de entorpecentes e ilícitos, que a baixa altitude não poderiam ser interceptadas antes”, ressaltou.

Governador de MS, Reinaldo Azambuja, destacou importância do radar para a proteção das fronteiras do Brasil — Foto: Facebook/Reprodução

Governador de MS, Reinaldo Azambuja, destacou importância do radar para a proteção das fronteiras do Brasil — Foto: Facebook/Reprodução

Azambuja destacou ainda que graças a atuação conjunta de forças de segurança do estado e da União, Mato Grosso do Sul atingiu em agosto a apreensão de um volume de 467 toneladas de drogas. “Isso mostra o quanto é importante a integração das forças de segurança e o trabalho conjunto que estamos realizando”, concluiu.

Primeira vez em MS

Esta é a primeira vez que Bolsonaro visita Mato Grosso do Sul desde que foi eleito. De Corumbá, o avião presidencial veio para Campo Grande no início da tarde, onde a comitiva seguiu em três helicópteros para a fazenda de cultivo de grãos do produtor Ari Basso, no município de Maracaju. Sem máscara, o presidente conversou com agricultores e apoiadores e em seguida passeou em uma colheitadeira.

Presidente Jair Bolsonaro passeou em colheitadeira na tarde desta terça-feira (18), em Maracaju (MS) — Foto: Redes Sociais

Presidente Jair Bolsonaro passeou em colheitadeira na tarde desta terça-feira (18), em Maracaju (MS) — Foto: Redes Sociais

Depois, Bolsonaro e comitiva seguiram novamente em helicópteros para Nioaque, para visitar o 9º Grupo de Artilharia de Campanha do Exército, onde serviu como tenente entre 1979 e 1981. A comitiva chegou por volta das 17h. O presidente foi recepcionado pelos militares com uma salva de tiros de canhão. Ele plantou uma árvore dentro do quartel.

Presidente Jair Bolsonaro saiu do quartel do 9º GAC em Nioaque, sem máscara, para cumprimentar apoiadores — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Presidente Jair Bolsonaro saiu do quartel do 9º GAC em Nioaque, sem máscara, para cumprimentar apoiadores — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Depois, sem máscara, saiu para cumprimentar uma aglomeração com aproximadamente 600 apoiadores (segundo estimativa da Polícia Militar), que o aguardavam do lado de fora da unidade militar.

Segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 600 pessoas se aglomeravam do lado de fora do quartel do 9º GAC, em Nioaque, para ver o presidente Jair Bolsonaro — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 600 pessoas se aglomeravam do lado de fora do quartel do 9º GAC, em Nioaque, para ver o presidente Jair Bolsonaro — Foto: Emerson Arce/TV Morena

Após jantar com militares no quartel, o presidente e comitiva voltaram para Campo Grande, no início da noite. Por volta das 19h ele embarcou no avião presidencial e voltou para Brasília.

Desde que se recuperou da Covid-19, Bolsonaro tem feito uma série de visitas em todas as regiões do país nas últimas semanas.

Ele inaugurou uma usina termelétrica em Sergipe, uma escola cívico-militar no Rio de Janeiro, um sistema integrado de abastecimento de água na Bahia, visitou o parque nacional da Serra da Capivara, no Piauí, lançou um condomínio popular no Rio Grande do Sul e esteve ainda em São Vicente, no litoral paulista