Céu de julho tem espetáculo com chuva de estrelas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

Delta Aquariids Foto: Sky & Telescope

Delta Aquariids Foto: Sky & Telescope

Noites frias favorecem a observação celestial e julho não vai decepcionar com várias chuvas de estrelas cadentes.

O mês promete um desfile de meteoros.  São os Delta Aquariids, os Alfa Capricornídeos, e os Perseidas. Os dois primeiros estarão mais fortes no final do mês, entre os dias 28 e 29 de julho, quando a luz estará 74 por cento cheia.

Lembrando que eles  são corpos celestes que atingem a atmosfera terrestre. O atrito desses sólidos com os gases atmosféricos faz com que deixem um rastro luminoso, por isso, também são chamados de estrelas cadentes.

Calendário

Aquariids delta sul -Período de atividade: 12 de julho de 2021 a 23 de agosto de 2021

Os Delta Aquariids tem melhor observação nos trópicos do sul.

Ao norte do equador, o radiante está localizado mais abaixo no céu do sul. O pico está previsto entre os dias 28 e 29 de julho, com lua cheia.

Alfa Capricornídeos – Período de atividade: 3 de julho de 2021 a 15 de agosto de 2021

Os alfa capricornídeos estão ativos de 3 de julho a 15 de agosto com pico máximo centrado em 30 de julho.

O notável sobre esta chuva é o número de bolas de fogo brilhantes produzidas durante seu período de atividade. Esta chuva é vista de forma mais nítida em ambos os lados do equador.

Perseidas – Período de atividade: 17 de julho de 2021 a 26 de agosto de 2021

As Perseidas são a chuva de meteoros mais popular, pois atingem seu pico nas noites quentes de agosto, quando vistas do hemisfério norte.

As Perseidas estão ativas de 17 de julho a 24 de agosto.

Elas atingem um forte máximo em 12 ou 13 de agosto, dependendo do ano.

Em locais rurais, com menos interferência da iluminação da cidade, eles podem ser vistos de 50 a 75 estrelas por hora.

As Perseidas são partículas liberadas do cometa 109P / Swift-Tuttle durante seus numerosos retornos ao sistema solar.

Eles são chamados de Perseidas, uma vez que o radiante (a área do céu onde os meteoros parecem se originar) está localizado perto da constelação proeminente de Perseu.

Por Andréa Fassina SNB com informações do AMS Meteors