CIDH condena Colômbia por morte de jornalista

Jornalista Nelson Carvajal Carvajal

Para o Tribunal, o assassinato do jornalista foi causado por seu trabalho jornalístico. “A Corte considera que o assassinato de Carvajal se enquadra num contexto generalizado de impunidade pelos assassinatos de jornalistas que ocorreram na época dos fatos deste caso na Colômbia”, segundo a sentença.

A Corte ainda considerou a Colômbia culpada por não oferecer garantias judiciais para investigar o caso e ordenou que as autoridades continuem investigando a morte de Carvajal e organizem um evento público no qual altos funcionários aceitem e reconheçam a responsabilidade do Estado. O tribunal considerou o governo culpado de tratamento negligente à família de Carvajal e disse que não investigou as ameaças de morte contra nove dos parentes do jornalista, forçados a fugir do país.

Judith Carvajal Carvajal, irmã do jornalista assassinado, durante a audiência na corte em 22 de agosto de 2017. Foto: Corte Interamericana.

“A decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos é um passo importante em direção à justiça há muito esperada para Nelson Carvajal Carvajal. A Colômbia deve cumprir as exigências do tribunal”, disse em Nova York o diretor de Programas da Comissão de Proteção a Jornalistas, Carlos Martínez de la Serna. “Ao responsabilizar diretamente a Colômbia por não investigar o assassinato e proteger a família do jornalista, a Corte está sinalizando que a impunidade não será mais tolerada”.

Professor e jornalista, Carvajal era apresentador da Radio Sur, em Pitalito, uma cidade no sudoeste da Colômbia. Ele noticiava frequentemente escândalos de corrupção do governo local e lavagem de dinheiro por narcotraficantes. Em 16 de abril de 1998, ele foi assassinado a tiros.

Este é o primeiro caso em que um tribunal internacional condena um Estado pelo assassinato de uma pessoa por causa de seu trabalho jornalístico.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book