Cobertura do coronavírus aumenta credibilidade dos veículos tradicionais de imprensa

whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Cobertura do coronavírus aumenta credibilidade dos veículos tradicionais de imprensa

Divulgada nesta terça (24) pelo jornal Folha de S.Paulo, pesquisa do Datafolha mostrou que telejornais, jornais impressos, rádios  e sites de notícias lideram a confiança do público na busca por informações sobre a crise do novo coronavírus.
Em contrapartida, notícias veiculadas pelo WhatsApp e pelo Facebook enfrentam grande desconfiança em época de pandemia.
Disseram que confiam nos jornais impressos 56% dos entrevistados, índice que cai para 12% no WhatsApp e no Facebook.
Apenas 11% não confiam nos jornais impressos, índice que sobre para 58% no WhatsApp e para 50% no Facebook.
Os telejornais também são referências de credibilidade para boa parte da população na crise do coronavírus: 61% dos entrevistados responderam que confiam neles.
Embora tenham um índice de confiança menor em relação a telejornais e jornais impressos, sites de notícias gozam de muito mais credibilidade do que WhatsApp e Facebook: são confiáveis para 38% dos entrevistados.
43 milhões de brasileiros

Tal índice sobe para 50% no caso das rádios. Os sites de notícias têm a desconfiança de 22% dos entrevistados.
De acordo com a pesquisa, a maior parte dos que acreditam em notícias veiculadas no WhatsApp e no Facebook é formada por idosos e pessoas com baixa escolaridade.
Outra pesquisa relacionada a desinformação em tempos de pandemia do novo coronavírus foi divulgada pela Psafe, startup brasileira que desenvolve aplicativos para celulares.

De acordo com o levantamento, divulgado também neste dia 24, as fake news sobre o novo coronavírus já atingiram mais de 43 milhões de brasileiros somente via WhatsApp.