Coronavírus: Número de mortes cai pelo terceiro dia seguido na Espanha e é o mais baixo nos últimos 10 dias

madrid
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Coronavírus: Número de mortes cai pelo terceiro dia seguido na Espanha e é o mais baixo nos últimos 10 dias

Por G1

Homem caminha com cachorro em rua de Madrid durante quarentena, neste domingo (5) — Foto: Juan Medina/Reuters

O número de mortes por coronavírus na Espanha caiu neste domingo (5) pelo terceiro dia seguido, com 674 vítimas em 24 horas, elevando o saldo total para 12.418 pessoas, segundo dados do Ministério da Saúde. Apesar da alta, foi o menor número de mortos nos últimos 10 dias. O país é o segundo com mais vítimas, atrás apenas da Itália.

No Reino Unido, a rainha Elizabeth II gravou uma mensagem dirigida à nação que será transmitida nesta noite, na qual pede aos britânicos que superem o tempo de “dor” e “enormes mudanças” que a nova pandemia de coronavírus trouxe.

Em um fragmento de seu discurso adiantado pelo Palácio de Buckingham, a soberana britânica de 93 anos admite que a doença está causando sofrimento entre os cidadãos pela perda de vidas, bem como “dificuldades financeiras para muitas e enormes mudanças diárias na vida de todos”. O Reino Unido tem, até o momento, 4,3 mil mortos e quase 42 mil infectados pelo coronavírus.

Pelo mundo

Mulher observa homem desinfectando rua em Gauhati, na Índia, neste domingo (5) — Foto: Anupam Nath/AP

Mulher observa homem desinfectando rua em Gauhati, na Índia, neste domingo (5) — Foto: Anupam Nath/AP

Índia confirmou 302 novos casos da doença, para um total de 3.588 infectados. São 99 mortes, duas registradas nas últimas 24 horas. O país está em isolamento total desde o último dia 24 de março. O bloqueio vai durar 21 dias. São 229 recuperados, de acordo com a universidade Johns Hopkings.

No Irã, atividade de “baixo risco” econômico serão retomadas a partir do dia 11 de abril. O governo está preocupado em conter os avanços da doença sem destruir uma economia que já estava prejudicada com sanções. Já as atividades de “alto risco”, como escolas, universidades e eventos culturais terão a quarentena estendida ao menos até o dia 18 de abril. São 3.603 mortes e 58.226 infectados.

Na Alemanha, o número de mortes por coronavírus aumentou para 1.342, informou a agência de controle e doenças do país, o Instituto Robert Koch. Foram 184 vítimas a mais nas últimas 24 horas e novos 5.934 casos. Agora, a Alemanha possui 91.714 casos de coronavírus.

Grécia colocou em quarentena uma segunda instalação de migrantes depois que um homem de 53 anos testou positivo. O afegão vive com sua família no campo de Malakasa junto com centenas de requerentes de asilo. Ele foi transferido para um hospital em Atenas.

No Japão, autoridades confirmaram 366 novos casos do novo coronavírus. Destes, 130 foram registrados só em Tóquio. Já são 88 mortes, uma registrada nas últimas 24 horas. São quase 4 mil casos já identificados.

Tóquio, no Japão, com apenas uma mulher na rua à noite: cidade vive os efeitos da pandemia — Foto: Eugene Hoshiko/AP Photo

Tóquio, no Japão, com apenas uma mulher na rua à noite: cidade vive os efeitos da pandemia — Foto: Eugene Hoshiko/AP Photo

As autoridades japonesas informaram ainda que planejam aumentar sua produção do Avigan, um medicamento em teste para tratar a Covid-19. Essa medida será financiada pelo novo plano de estímulo econômico preparado pelo executivo japonês, cuja aprovação no parlamento japonês está prevista para a próxima semana, segundo o jornal japonês Nikkei.

Na Coreia do Sul, foram registrados 81 novos casos de coronavírus, elevando o total nacional para 10.237. Mais seis pessoas morreram por causa da doença, elevando o número de vítimas para 183.

China continental registrou 30 novos casos. Número acima dos 19 do dia anterior, com o aumento do número de casos envolvendo viajantes estrangeiros e de transmissões locais. A Comissão Nacional de Saúde disse em comunicado que 25 dos casos relatados no sábado envolveram aqueles que entraram no país do exterior.

Nos Estados Unidos, o número de vítimas passou de 8.500, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins. São mais de 312 mil infecções por coronavírus até às 8h20 deste domingo.

O presidente Donald Trump disse que as próximas semanas serão “muito difíceis” e que haverá mais mortes no país. Desesperado por máscaras de proteção, em falta no mundo todo, adiantou que não quer “outros conseguindo” os equipamentos de saúde. Países da Europa acusaram os EUA de ‘desviar’ os equipamentos.