Covid levou à morte 9 jornalistas no Brasil e 171 em toda a América Latina

rodrigolaurofernandesreproduo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Covid levou à morte 9 jornalistas no Brasil e 171 em toda a América Latina

A quinta pesquisa da Federação Internacional de Jornalistas (IFJ) sobre o impacto da Covid-19 nos profissionais da imprensa revelou que ao menos 171 jornalistas morreram de coronavírus até o dia 19 de agosto na América Latina. No Brasil, foram 9 mortes, além de três radialistas, que não entraram no levantamento.

Crédito: Reprodução
Rodrigo Rodrigues, Lauro Freitas e Roberto Fernandes

O número é mais de três vezes o de vítimas de violência institucional, terrorismo e tráfico de drogas registrado pela IFJ em todo o mundo durante o ano passado.

Em 2019, foram 49 mortes por diferentes tipos de violência no mundo, enquanto até agora em 2020 alguns países da região, como Peru e Equador, já têm 82 e 40 jornalistas mortos pela doença, respectivamente.

As estatísticas produzidas pela IFJ, entidade que reúne 600 mil jornalistas, produziram os seguintes dados por país da América Latina com base em consultas às entidades afiliadas e pesquisas na mídia:

Peru: 82

Equador: 40

México: 13

Brasil: 9

El Salvador: 3

República Dominicana 5

Guatemala: 3

Nicarágua: 3

Argentina: 1

Honduras: 7

Panamá: 1

Colômbia: 2

Bolívia: 2

No Brasil, as vítimas da doença, segundo levantamento da Fenaj, foram:

José Raimundo Alves – repórter cinematográfico free lancer – Salvador (BA) – 5 de agosto;

Rodrigo Rodrigues – apresentador Sport TV – Rio de Janeiro (RJ) – 28 de julho;

Mário Marques Nunes Jr (Bob Jr.) – repórter cinematográfico da TV Meio Norte – Terezina (PI) – 24 de julho;

Letícia Neworal Fave – assessora de imprensa da Universidade do Futebol – Jundiaí (SP) – 19 de junho;

Lauro Freitas Filho – editor do Jornal Monitor Mercantil – Rio de Janeiro (RJ) – 28 de maio;

Alexandre Rangel – assessor de imprensa da Câmara Municipal de Fortaleza – Fortaleza (CE) – 15 de maio;

Marcos Dublê – repórter cinematográfico da TV Metrópole – Fortaleza (CE) – 7 de maio;

Luiz Marcello de Menezes Bittencourt – jornalista da Rádio USP – 30 de abril;

Roberto Fernandes – jornalista da TV/Rádio Mirante – São Luís (MA) – 22 de abril;

E os radialistas:

Márcio Garçone – radialista Programa Fala Baixada (TV Band Rio e CNT) – Rio de Janeiro (RJ) – 5 de maio;

Robson Thiago – operador de câmera do SBT Rio – Rio de Janeiro (RJ) – 21 de abril;

José Augusto Nascimento Silva – editor de vídeo do SBT Rio – Rio de Janeiro (RJ) – 13 de abril.

A IFJ cobra as autoridades de cada país que façam cumprir os protocolos sanitários estipulados para o trabalho jornalístico e que os empregadores e proprietários dos meios de comunicação respeitem as medidas para salvaguardar a vida dos jornalistas.