CPI das Fake News aciona Advocacia do Senado para medidas contra Facebook e Twitter

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA*

O senador Angelo Coronel, presidente da CPI das Fake News, acionou a Advocacia-Geral do Senado para tomar providências contra o Facebook e o Twitter.

Segundo ele, as duas redes se recusam a repassar informações sobre os usuários para a comissão.

“Acionei a Advocacia do Senado p/ saber o que pode ser feito contra Facebook e Twitter, q se recusam a passar à CPMI das Fake News dados sobre perfis e grupos q podem fazer parte das  milícias digitais”, escreveu em sua conta no Twitter.

Crédito:Reprodução
Coronel quer saber se a CPI pode pedir que o Ministério da Justiça solicite à Justiça dos Estados Unidos que as redes sociais Twitter entreguem as informações pedidas, ou se é preciso acionar a Justiça brasileira, com base nos poderes que a Constituição confere à comissão.

“É bom lembrar que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) já entendeu que essas empresas, por atuarem no Brasil, devem se submeter às decisões da Justiça brasileira”, destaca o senador no pedido.

O depoimento dos três sócios da empresa AM4 Brasil Inteligência Digital, suspeita de distribuir fake news durante a campanha eleitoral de 2018, que estava previsto para hoje (03/03) foi adiada para a quarta-feira (04/03), às 13h.