Cresce mobilização contra MP que extingue obrigatoriedade de registro de jornalistas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Redação Portal IMPRENSA*
A mobilização dos profissionais de imprensa contra a Medida Provisória 905/19, que extingue a necessidade de registro profissional para o exercício de 14 profissões, incluindo jornalista, radialista e publicitário, continua a todo vapor.

Crédito:Sindicato dos Jornalistas de São Paulo
Entre os dias 19 e 23 de novembro, jornalistas de pelo menos 17 estados reuniram-se em assembleias convocadas pelos sindicatos e pela Federação Nacional dos Jornalistas Fenaj. A entidade alerta que a MP vai prejudicar jornalistas, precarizando a profissão e retirando direitos de quem a exerce.
Durante as iniciativas realizadas entre os dias 19 e 23 de novembro, foram formadas comissões para atuar em diversas frentes, incluindo a interlocução com parlamentares federais e estaduais para impedir o avanço da MP. Também foram definidos como prioridade conquistar apoio da sociedade e pressionar politicamente o Congresso a derrubar a medida.
Outras ações estão sendo planejadas por jornalistas contra a MP. Em São Paulo, o Sindicato dos Jornalistas e a Fenaj realizam manifestação nesta sexta, 29, às 18h30, em frente ao Teatro Municipal. A maior manifestação, contudo, ainda está por vir. Trata-se do Dia Nacional de Luta contra a MP 905/2019, marcado para 4 de dezembro.
Relatos apontam que, em algumas localidades, o site do Ministério do Trabalho ainda está fazendo o agendamento do registro para jornalistas. Porém, quando o pedido avança, o solicitante é informado que a MP já está valendo e que não é mais possível obter o registro.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se solidarizou publicamente à mobilização dos jornalistas e já afirmou que a MP será alterada pelo Congresso.