Crusoé revela detalhes das redes virtuais do governo usadas para ataques à imprensa

Redação Portal IMPRENSA*

Assinada pelo diretor de jornalismo da rádio Jovem Pan, Felipe Moura Brasil, a reportagem “Os blogueiros de crachá”, capa da revista Crusoé desta sexta, 11 de outubro, revela em detalhes os bastidores das milícias virtuais financiadas por aliados de Jair Bolsonaro para destruir reputações, derrubar ministros, atacar a imprensa e difundir desinformação nas redes sociais.
Crédito:Reprodução
Com dados, transcrições de diálogos e nomes dos principais articuladores dessas redes virtuais Bolsonaristas (que incluem assessores de parlamentares do PSL de todo o país, batizados pelo repórter de “blogueiros de crachá”), a reportagem liga essa prática diretamente ao Planalto, ao apontar o assessor especial da presidência da república para a área internacional, Felipe Martins, como figura-chave da rede de destruição de reputações.
Além de mostrar o papel das milícias virtuais na demissão do General Santos Cruz da Secretaria de Governo, num episódio impulsionado pela disputa das verbas da Secretária de Comunicação do governo, o texto da Crusoé  descreve os ataques sofridos pelo jornalista José Fucs, do Estado de São Paulo, que fez uma das primeiras matérias mapeando as milícias virtuais Bolsonaristas.

Como punição, seu email foi divulgado nas redes sociais e uma ampla estratégia virtual de destruição da credibilidade do jornal O Estado de São Paulo foi colocada em prática.

Facebook Comments

Lile Corrêa

Jornalista, Radialista e Recordista Bi-Mundial incluso no Guinness Book