De olho no desenvolvimento, analistas apresentam projetos da Aprosoja/MS em Ponta Porã

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print
Liana Fetosa*
“Em 8 anos, a área de cultivo de soja no município de Ponta Porã cresceu 45%. Isso demonstra a força da região no desenvolvimento sustentável dessa cultura”, afirmou o analista em agricultura Leonardo Carlotto na noite desta quinta-feira (9/3), durante a 43ª Exporã (Exposição Agropecuária e Industrial de Ponta Porã).
O evento foi promovido pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul) e contou com a presença de mais de 90 pessoas, entre produtores rurais e estudantes, e o apoio e promoção do Sindicato Rural de Ponta Porã. Na ocasião, Carlotto apresentou o projeto Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), ferramenta criada em 2009 e mantida desde então pela Aprosoja/MS.
Siga MS
O especialista explicou a importância do projeto e a evolução da agricultura municipal e estadual graças a esse trabalho. Com o mapeamento das lavouras do Estado feito pelo Siga MS, há 8 anos o produtor sul-mato-grossense conta com dados indispensáveis para um desenvolvimento sólido da agricultura e para uma atuação mais eficaz e rentável.
MEA/MS
A busca por essa rentabilidade e o mapeamento do investimento do produtor rural foram o foco da palestra do economista Luiz Eliezer, analista do departamento de economia do Sistema Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS). Ele apresentou projeto MEA/MS (Mapeamento da Economia Agrícola de MS), mantido pela Aprosoja/MS e executado pelo Sistema Famasul em parceria com a Embrapa Agropecuária Oeste.
O MEA/MS mapeia os custos dos sistemas de produção e analisa a viabilidade econômica dos sistemas produtivos predominantes da soja e do milho nos principais municípios produtores e nas áreas de expansão de Mato Grosso do Sul.
Soja Plus
Por fim, o biólogo Raul Roa, responsável pelo projeto Soja Plus, detalhou aos participantes a função desse programa. O Soja Plus já levou orientação normativa e capacitação a 365 propriedades rurais do Estado gratuitamente com apoio do Sistema Famasul, beneficiando mais de 5 mil trabalhadores rurais. Além de capacitar, o programa realiza a distribuição de cartilhas, placas, ferramentas e outros materiais de trabalho que abrangem aspectos como saúde e segurança no trabalho e adequação de construções rurais.
“Esse tipo de evento é a chance que temos de tirar os alunos da sala de aula e colocá-los em contato com o que tem sido feito em prol da agricultura no Estado”, destacou o professor Juliano Lopes, engenheiro agrônomo, mestre em Produção Vegetal e coordenador do curso de Agronomia da Faculdade Magsul, de Ponta Porã.
“Aqui os estudantes têm a oportunidade de entrar em contato com os desafios e os resultados do agronegócio, e conhecer as metodologias de trabalho de entidades e empresas. Essa é uma chance que não conseguimos proporcionar em sala de aula”, ressaltou o educador.
Potencial regional
A abertura da noite de palestras foi feita pelo também engenheiro agrônomo Andre Dobashi, diretor administrativo da Aprosoja/MS e produtor rural na fronteira de MS. O sojicultor enalteceu o trabalho desenvolvido pela Aprosoja/MS pelo fortalecimento do trabalho do produtor rural e destacou o grande potencial de Ponta Porã e região. Por fim, Dobashi destacou a importância da cidade fronteiriça para o desenvolvimento do Estado, uma vez que é o segundo maior município produtor de soja de Mato Grosso do Sul.
Legenda: Presidente do Sindcato Rural de Ponta Porã, André Cardinal com Leonardo Carlotto, Andre Dobashi, Raul Roa e Luiz Eliezer em evento promovido pela Aprosoja/MS na 43ª Exporã – Foto: Lile Corrêa