Clube de Imprensa

De produção amadora ao sucesso: como o Senar/MS ajudou a transformar o negócio da família Dutra

Batata que sai do campo para se tornar petisco agrada clientes e produção não para de aumentar

Quando começaram a produzir batata chips, a família Dutra não imaginava quantas coisas poderiam acontecer. Os ingredientes são batata, sal e óleo. Pode parecer fácil, mas não foi. A aposta deu certo e hoje o petisco é uma das principais fontes de renda para pai, mãe e as duas filhas que trabalham na pequena indústria construída na casa da família, em Campo Grande. Os resultados e a realização de um sonho é o que vamos conhecer no #TransformandoVidas desta sexta-feira (12).

Quem comanda a produção de batata chips é a mãe, Lucinéia Dutra. Quando começou as primeiras operações o negócio ainda era muito amador. Vários foram os testes realizados para chegar a uma boa qualidade do produto.

“A nossa produção era bem difícil porque nós trabalhávamos no tacho, não tínhamos seladora, a gente selava na mão, então a gente tinha uma estrutura que era muito básica”, conta Lucinéia.

Um dos primeiros investimentos veio de uma das filhas, a Joyce, que tinha saído de um emprego após mais de dois anos. Foi ela quem financiou o primeiro tacho da família para a produção das batatas chips. Mas, a contribuição da Joyce não parava por aí. Além de ajudar a mãe, ela conheceu o Senar/MS através de uma amiga e trouxe a equipe da instituição para ajudar.

“Essa amiga me contou sobre o Senar. Disse que poderíamos receber ajuda, já que o Senar tem um trabalho específico sobre indústria. Então nós tentamos e conseguimos receber as visitas dos técnicos”, explica Joyce.

Através da Assistência Técnica e Gerencial da Agroindústria do Senar/MS a família aplicou todas as instruções que foram dadas. Uma das mudanças foi a estrutura. Foi construído um anexo junto à casa para a produção das batatas chips. A família também investiu em equipamentos modernos que aceleram e aumentam a produção dos petiscos.

“Também mudamos as nossas embalagens. Antes era tudo transparente e só com adesivo. Hoje ela é impressa e mais bonita também”, diz Lucinéia

“Qualquer coisa que a gente faz, a gente está contente. Depois do Senar a alegria foi maior pela mudança de tudo o que aconteceu. Nós conseguimos ver a diferença de tudo. Então somos muito gratos”, finaliza Joyce.

Transformando Vidas – Toda sexta-feira o Sistema Famasul divulga uma reportagem sobre a atuação do Senar/MS e as suas transformações no Campo. Confira outras histórias de sucesso no canal do Youtube e no site.

Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul – José Pereira

Pular para o conteúdo