Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

O texto  da Declaração Universal dos Direitos Humanos condena a escravidão e a tortura, defende asilo para pessoas perseguidas e o direito à educação gratuita. Além disso, o documento proclama que “todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos” e afirma que “todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão”.

Nas redes sociais, a data foi celebrada por diversas pessoas, que pediram “um mundo melhor” e o fim das guerras e perseguições. “Toda pessoa humana, criada por Deus à sua imagem e semelhança, é um valor em si e é sujeito de direitos inalienáveis”, escreveu o papa Francisco no Twitter.

Nestas sete décadas, o documento inspirou diversos tratados diplomáticos, como as convenções internacionais para banir a discriminação contra as mulheres, de 1979, e a criação do Tribunal Penal Internacional, em 1998. O texto também foi usado como inspiração para constituições de diversos Estados e democracias recentes.

Além disso, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é o documento traduzido no maior número de idiomas, segundo o “Guinness Book”, o livro dos recordes. O documento possui atualmente 514 traduções.

Fonte: istoÉ