Decreto de Bolsonaro define atividade da imprensa como essencial - CLUBE DE IMPRENSA

Decreto de Bolsonaro define atividade da imprensa como essencial

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Decreto de Bolsonaro define atividade da imprensa como essencial

Neste domingo (22) o governo federal publicou um decreto definindo a atividade de imprensa como “essencial” durante o surto de coronavírus.
Uma das consequências da medida é a proibição à restrição de circulação de profissionais da imprensa pelo país.
Assinado pelo presidente e pelos ministros Jorge Oliveira (Secretaria Geral) e André Luiz Mendonça (Advocacia Geral), o documento considera essenciais as atividades praticadas por todos os meios de comunicação, incluindo rádios, TVs, internet, jornais e revistas.

O decreto é especialmente importante devido às restrições de movimentação que ocorrem pelo país. O decreto de quarentena publicado este fim de semana pelos governadores de São Paulo e do Distrito Federal, por exemplo, permite apenas os serviços essenciais nas localidades.

Diferentemente das atividades relacionadas à imprensa, outras profissões não estão caracterizadas como essenciais. A esse respeito, o ministro da saúde, Henrique Mandetta, afirmou em coletiva concedida neste domingo que “em determinado momento o essencial seja um mecânico que conserta uma ambulância”.
“É preciso definir o que é essencialidade, para que a gente não faça de uma paralisação total um remédio mais duro do que o próprio vírus, e esse remédio possa inviabilizar nossa vida”, afirmou o ministro.