Dicas de como buscar financiamento para o jornalismo

dicas-de-como-buscar-financiamento-para-o-jornalismo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Share on print
Share on whatsapp

Dicas de como buscar financiamento para o jornalismo

A cada ano, mais projetos de jornalismo independente têm buscando financiadores para desenvolver seus trabalhos. A procura por financiamento de organizações nacionais e internacionais que apoiam o jornalismo de qualidade é acompanhada por dúvidas do passo a passo para se candidatar e conquistar a verba.

A equipe do jornal norte-americano The News & Observer (Raleigh, N.C.) desenvolveu um guia para ajudar no processo de captação de financiamento, e explicar o que vem depois disso. O manual explora desde os caminhos para encontrar potenciais financiadores, até o que fazer antes de assinar um contrato.

Abaixo, uma versão resumida e traduzida do manual. O texto original (em inglês) pode ser acessado aqui.

Como encontrar potenciais financiadores

1) Acompanhe newsletters publicadas por potenciais financiadores e organizações da mídia nacional para se manter atualizado sobre novos programas de financiamento, prioridades e prazos.

2) Confira o site da possível organização financiadora para saber quais temas e projetos eles apoiam. Isso pode mudar com frequência, a depender de urgências políticas ou econômicas, de novas lideranças ou entradas de dinheiro.

3) Ao mesmo tempo, se certifique de encontrar o que eles não financiam. A maioria dos financiadores lista os tipos de assuntos e organizações que não aptas ao seu financiamento.

4) Tenha um resumo do projeto e uma carta de intenção prontos. Mesmo se não tiver um financiador em mente, um documento bem escrito de uma página que explique o projeto, os objetivos e as necessidades pode ajudar a focar seus esforços.

5) Caso ainda tenha dúvidas de sobre se a organização é adequada para o seu projeto, ligue para o setor de programas da instituição antes de embarcar em um processo de inscrição que leva tempo. Envie para eles um resumo da proposta. Grandes fundações, às vezes, não encorajam esse contato prévio, mas organizações menores costumam fornecer esse tipo de orientação.

O que você precisa antes de iniciar o pedido de financiamento

Nem sempre os formulários de inscrição são iguais, mas muitos exigem os itens abaixo. Tente preparar esses documentos com antecedência. Lembrando que eles sempre podem ser atualizados para futuras inscrições.

Declaração de missão – Potenciais financiadores podem pedir uma declaração de missão do seu projeto. Normalmente, é um texto curto. Como exemplo, leia a declaração de missão da ProPublica (em inglês). [No contexto brasileiro, confira a da Agência Pública].

Finanças – Pode ser que peçam um balanço financeiro anual ou Declaração de Resultado do Período. Veja se o departamento financeiro ou o contador pode providenciar um resumo que seja suficiente.

CNPJ – O Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (conhecido como CNPJ) da sua organização pode ser providenciado pelo departamento financeiro ou jurídico. Se apenas uma cópia simples for solicitada, você mesmo pode gerar um comprovante a partir do site da Receita Federal.

Carta de apoio – Ela é normalmente escrita por um(a) editor(a) para a organização financiadora certificando que o jornalista terá permissão para participar do programa patrocinado. Tenha um modelo padrão pronto.

Métricas de audiência – No caso de jornais impressos, tenha seus números de circulação diária prontos. No caso de projetos digitais, compile um pequeno resumo das métricas on-line, como visualizações médias mensais e diárias e principais referências de mídia social. (Tenha autorização dos editores para compartilhar esses dados com potenciais financiadores).

Números de diversidade dos funcionários – Organizações financiadoras muitas vezes requerem diversidade nos projetos financiados. Você pode ser questionado detalhadamente sobre o perfil de gênero da sua equipe, assim como de raça, etnia, faixa etária; além da diversidade presente nos postos de liderança. Esteja preparado com esses números.

História do projeto – Tenha um breve resumo sobre a fundação e desenvolvimento do seu projeto ao longo dos anos.

Agente fiscal –  Caso esteja se inscrevendo não como a redação, mas através de um agente fiscal — como a instituição de caridade da sua empresa —, precisará do contato deles, nomes e ocupações dos membros do conselho, e possivelmente do perfil de raça e gênero.

Como escrever a sua candidatura para financiamento

Pense em quem está lendo essa candidatura. Equipes de organizações financiadoras normalmente leem uma pilha de requisições por dinheiro. Faça a sua se destacar. Sua escrita deve ser clara, sucinta e fácil de entender. Mesmo se não houver um limite de palavras, seja completo — porém conciso.

Aperfeiçoe sua versão resumida. Com frequência, você terá que escrever uma pequena descrição do seu projeto, possivelmente de 250 palavras ou menos. Esse resumo pode ser a questão mais importante da inscrição. Os revisores podem usar esta pergunta para eliminar as inscrições mais fracas. Vá direto ao ponto, e se certifique de que o texto está alinhado com os objetivos e prioridades da organização financiadora.

Escolha cuidadosamente as palavras. Quando estiver pesquisando o programa de financiamento — ou enquanto lê o site da fundação e outros materiais, ou mesmo conversa diretamente com financiadores — preste atenção às palavras e frases que eles usam para descrever suas prioridades. Use algumas dessas palavras na sua inscrição. Isso mostra que você está pensando em como seus objetivos e os deles podem se interseccionar com sucesso.

Salve seu trabalho. Salve esse material para a próxima inscrição. Como muitas questões são similares nesses processos, isso te poupará tempo caso possa usar as respostas anteriores como orientação para as novas.

Calculando o seu orçamento

De quanto dinheiro você precisa? Quando você deve pedir? Essas podem ser decisões complicadas — mas necessárias.

Primeiro, comece com uma planilha informal, apenas para o seu próprio registro. Liste as categorias e os detalhes de cada item. Mostre seu trabalho — demonstre como você fez certos cálculos e por que. Você provavelmente vai precisar disso depois, para ajustes ou para um potencial financiador que quiser detalhes justificados.

Verifique no formulário de inscrição as instruções de como o potencial financiador quer que você apresente a sua solicitação de verba. Algumas fundações fornecem um modelo de planilha que você deve usar. Por outro lado, outras pedem apenas uma quantia. Se precisar fazer sua própria planilha, abaixo estão alguns exemplos simples que você pode copiar e usar (é possível adicionar mais detalhes se o potencial financiador pedir):

 DESPESAS
ITEM  ORÇAMENTO     
 Salários e benefícios  336.000
 Viagens  5.000
 Materiais, equipamentos e serviços  21.000
 TOTAL REQUERIDO  R$362.000

Algumas vezes, você pode preferir oferecer ao potencial financiador alguns intervalos, ao invés de um valor exato. Um exemplo de como isso pode parecer:

 ORÇAMENTO FINANCIAMENTO PARA 2 EVENTOS FINANCIAMENTO PARA 3 EVENTOS
 Viagem  2.500  5.000
 Equipamento  1.500  3.000
 Salários  5.000  10.000
 TOTAL  R$9.000  R$18.000

Alguns potenciais financiadores vão perguntar sobre financiamentos que você já tenha recebido. Geralmente, é positivo para eles saberem que outras organizações acreditaram no seu projeto o bastante para financiá-lo. Aqui um exemplo simples para usar nessa situação:

 ORÇAMENTO  [Seu projeto]  Suporte de [outro financiador]  Total requerido [do novo financiador]
 Quilometragem 2.500 (500) 2.000
 Hotéis 1.500 (500) 1.000
 Alimentação 500 (250) 250
 Freelancer 2.000 (750) 1.250
 Passagem 5.000 5.000
 Designer 7.500 7.500
 TOTAL R$19.000 R$2.000 R$17.000

 

O que fazer se o financiamento for rejeitado

Não fique desanimado(a). Todo pedido de financiamento é uma experiência de aprendizado e uma chance de introduzir seu projeto na comunidade dos financiadores. Eles lembrarão de você em outras oportunidades.

Faça uma ligação. Muitos programas se dispõem a informar, no geral, por que a sua inscrição não teve sucesso. Outros irão inclusive ajudar você a redefinir a proposta para que você possa se candidatar a uma próxima oportunidade de financiamento.

Não é pessoal. Às vezes é uma questão de acaso. O financiador quer apoiar uma variedade de projetos — diversos em localização, assunto, candidatos e público-alvo. Isto significa que uma excelente proposta pode ser rejeitada simplesmente porque é muito parecida com outra.

O que fazer se o financiamento for aceito

Escreva um e-mail de agradecimento. Expresse sua gratidão e pergunte sobre os próximos passos. O texto deve ser assinado por alguém da sua equipe que irá se envolver no projeto.

Divulgue publicamente. Isso é bom para a sua reputação, faz com que sua audiência se interesse pelo projeto e com que os financiadores apreciem o reconhecimento.

Busque o contrato o mais rápido possível, para que sua equipe jurídica possa revisá-lo.

Antes de assinar o contrato

Primeiro, peça uma cópia do contrato em branco. Você vai querer saber com o que está se envolvendo e, provavelmente, seu departamento jurídico precisa revisá-lo. Aqui uma lista do que procurar e ficar alerta:

1) Todos os envolvidos no contrato devem ser listados no contrato, incluindo as terceiras partes.

2) Descrição clara do suporte a ser recebido. Isso deve incluir quaisquer relatórios ou entregas requisitados em troca do financiamento em dinheiro.

3) Necessidade de viagens (caso se aplique). Certifique-se que eventuais viagens estão detalhadas e incluídas no financiamento.

4) Propriedade intelectual. A maioria das redações prefere declarar que detém o domínio exclusivo da propriedade intelectual criada por seus funcionários ou contratados. Isso inclui todos os artigos, editoriais, notas, fotos, gráficos, vídeos e outros materiais — normalmente chamados de “conteúdo” no contrato. Porém, o departamento jurídico do seu projeto pode concordar em dar ao financiador uma licença limitada para usar esse conteúdo para fins não comerciais (por exemplo, postando isso no site ou newsletter deles, ou colocando partes dele em materiais de marketing para fins promocionais próprios).

5) Integridade editorial. Nada no contrato deve indicar que os financiadores têm o direito de dizer para a sua organização o que cobrir, ou como cobrir, com exceção do que você já explicitou no momento da inscrição. Na maioria dos casos, financiadores não têm o direito de revisar ou pré-aprovar nenhum conteúdo, mesmo que sendo financiado em parte ou totalmente pela organização, nem exigir que o conteúdo seja excluído com base em objeções posteriores à publicação.

6) Autonomia como empregador (caso se aplique). Se um financiamento é especificamente usado para contratar um funcionário, seu projeto deve ter o direito de selecionar (ou supervisionar a seleção e aprovação) do funcionário. Enquanto isso, o funcionário precisa estar sujeito às mesmas regras de trabalho, como as políticas da empresa, padrões e requisitos de desempenho. Seu projeto deve reservar o direito de demitir qualquer funcionário — mesmo quando contratado pelo financiamento —  por qualquer razão e a qualquer momento sem ter que obter autorização prévia do financiador. As solicitações do financiador relacionadas à demissão devem ser minimizadas o máximo possível.

7) O concedente trabalha apenas com organizações sem fins lucrativos? Alguns financiadores exigem que seus fundos sejam destinados apenas para organizações sem fins lucrativos, como instituições de caridade. Se a sua organização não for registrada assim, você deve ter permissão para outra organização receber o financiamento em seu nome e destinar os recursos para você. Essas organizações são às vezes chamadas de patrocinadores ou agentes fiscais. No entanto, esteja ciente de que alguns financiaadores não aceitam isso.

8) Se um patrocinador for usado, se certifique de ter um contrato separado com ele que estabeleça como você receberá o dinheiro.

9) Quem receberá o dinheiro? Seja cauteloso. O mais comum é que o pagamento seja feito para o projeto/organização, e não para um funcionário em específico. Se um indivíduo recebe o fundo, haverá implicações fiscais para ele quando for apresentar sua declaração de renda.

 

(*) Tradução por Mayara Paixão.