Clube de Imprensa

Diretor da Sanesul representa o governador Reinaldo Azambuja no 3º Seminário Estadual da Água

Walter Carneiro Júnior observou que a Sanesul é uma empresa que é destaque nacional por sua gestão eficiente em saneamento, principalmente no setor de abastecimento de água tratada e esgotamento sanitário.
Escrito por ACOM/SANESUL

Presidente da Sanesul, Walter Carneiro Júnior, durante o evento

O diretor-presidente da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), Walter Carneiro Júnior, representou o governador Reinaldo Azambuja durante a abertura do 3º Seminário Estadual da Água, promovido pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira (21).

Instituído pela Lei 4.878/2016, de autoria do deputado Renato Câmara (MDB), coordenador da Frente Parlamentar de Recursos Hídricos, a 3ª edição do seminário tem como tema principal “Águas Urbanas e o Zoneamento Ecológico Econômico”.

Durante seu discurso, Walter Carneiro Júnior parabenizou os organizadores pela realização do evento e falou de ações do governo do Estado, por meio da Sanesul, voltadas ao setor de recursos hídricos, entre outros investimentos da administração pública na gestão de Reinaldo Azambuja.

Ele observou que a Sanesul é uma empresa do governo que é destaque nacional por sua gestão eficiente em saneamento, principalmente no setor de abastecimento de água tratada, onde o serviço já é universalizado, e esgotamento sanitário, que também caminha nessa direção.

Walter Carneiro Júnior falou da PPP (Parceria Público-Privada), contratada pelo governador Reinaldo Azambuja,  visando a universalização do esgotamento sanitário nas 128 localidades onde a companhia mantém a concessão dos serviços públicos de saneamento.

“Agora, no segundo semestre deste ano, nós estamos validando os projetos executivos de cada cidade de Mato Grosso do Sul, porque nós englobamos todos os 68 municípios onde nós operamos para poder já começar os investimentos”, destacou ele, citando o valor de R$ 1.1 bilhão que a “MS Pantanal”, empresa contratada, terá de aplicar no setor até atingir a meta da universalização do esgotamento sanitário.

“Se o mercado não fosse bom eu penso que a empresa não viria fazer esse aporte de capital no sistema público que tem a gestão da empresa do governo do Estado e que gradativamente a gente vai avançar para universalizar o setor”, acrescentou o dirigente, ao prever meta a ser atingida dentro do prazo de três a quadro anos, o que tornará o estado o primeiro do país a cumprir as exigências do novo marco legal do saneamento básico.

Isso, segundo ele, contribui fundamentalmente para essa discussão que a Assembleia e outros órgãos envolvidos estão celebrando hoje em Campo Grande por meio do seminário.

“Qualidade da água, qualidade do recurso hídrico, ele só tende a melhorar quando você tem o esgotamento sanitário, os efluentes produzidos, todo o esgoto doméstico devidamente tratado e devolvido”, enfatizou.

Walter Carneiro Júnior disse ainda que a Sanesul vive um momento muito positivo, assim como o governo do Estado, que, segundo ele, criou um modelo de gestão municipalista, onde discute com os atores locais e com a sociedade a forma de entregar os investimentos para a população e, com isso, tem tido a possibilidade de vê o estado sendo referência no Brasil em vários aspectos, seja na saúde, seja na transparência, seja no investimento per capita.

Participaram do evento, realizado de forma híbrida, com mesa presencial e público online, especialistas, educadores, políticos e profissionais da área ambiental.

Além da Assembleia, por meio da Frente Parlamentar de Recursos Hídricos, o evento contou com o apoio da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e Rotary Clube de Campo Grande.

 

Foto: Edson Ribeiro

Evento contou com a presença de várias autoridades