Clube de Imprensa

Em evento do Governo Estadual, reitor da UEMS entrega a ministros de Estado convite para o Pantanal Tech 2024

Governador Eduardo Riedel recebeu ministros Simone Tebet, Marina Silva e Wellington Dias para a assinatura de convênios e sanção da Lei do Pantanal

 

Em evento do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, o reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Laércio Alves de Carvalho, entregou pessoalmente aos ministros de Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias; do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet; e a ministra de Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, o convite para a Pantanal Tech 2024. O grande anfitrião da solenidade foi o Governador Eduardo Riedel, que esteve acompanhado de diversos integrantes do Secretariado Estadual.

Na Capital, os ministros participaram, nesta segunda-feira (18) pela manhã, no Bioparque Pantanal, de cerimônia de assinaturas de adesão a programas federais para a redução da pobreza no Mato Grosso do Sul e anúncio da liberação de R$ 120 milhões para o enfrentamento à fome, bem como a assinatura da Lei do Pantanal.

Para o reitor esse foi, sem dúvida alguma, um marco histórico para Mato Grosso do Sul e para o Brasil. “Nós enquanto Universidade, acompanhamos e participamos da elaboração dessa importante Lei – a Lei do Pantanal. Então entregar este documento tão valioso é uma conquista. Além disso, aproveitamos para convidá-los, pessoalmente, para a Pantanal Tech 2024 – maior evento de difusão de tecnologias sustentáveis”, concluiu Laércio.

Reitores da UEMS e UFGD, Laércio de Carvalho (dir.) e Jones Goettert (esq.), com Ministro Wellington Dias ao centro.

Pantanal Tech 2024

O Pantanal Tech, que ocorrerá entre os dias 28 e 29 de junho de 2024, na Unidade Universitária da UEMS/Aquidauana, é resultado da parceria estratégica entre a Universidade Estadual de Mato grosso do Sul (UEMS) e o Governo do Estado de MS, sendo organizado por entidades importantes como a Fundect, Fundação MS e Embrapa Gado de Corte, dentre outras.

O evento conta com o apoio dos cursos de Graduação e de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado), Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia.

Trata-se de um evento inovador com o objetivo de proporcionar conhecimento e interação entre os diversos atores do desenvolvimento e sustentabilidade do Pantanal de MS, considerando a tecnologias e inovações existentes.

“A proposta do Pantanal Tech é apresentar uma agenda positiva entre sustentabilidade e produção na região geográfica do bioma Pantanal, de modo a divulgar as boas práticas tecnológicas e inovadoras da produção sustentável”, afirmou o reitor.

O evento também busca inserir dentro do contexto do bioma, oportunidades e desafios da Rota Bioceânica, além de buscar inserir o Pantanal na temática da COP 30, observado os desafios da Agenda 2030 e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS).

 

Programas Sociais

Com a assinatura do termo de adesão, o Estado vai  participar do “Plano Brasil sem Fome”, que reúne mais de 90 programas e ações do governo federal, além de mobilizar outros poderes, com o objetivo de retirar o país do mapa da fome.

Também o Estado, governo federal e a prefeitura de Campo Grande assinaram o protocolo de intenções que visa à redução da pobreza, além do decreto que institui o PROACINQ, programa de Apoio às Comunidades Indígenas e Comunidades Quilombolas de Mato Grosso do Sul. Ao todo serão comtemplados 15 mil indígenas em comunidades de 21 municípios do estado, e mil habitantes de comunidades quilombolas, que passam neste ano de 2023, a integrar o programa. Para a safra de 2022/2023 os investimentos totalizaram R$ 9,2 milhões.

Lei do Pantanal

Em seguida, ainda no Bioparque, os ministros participaram do ato de sanção, pelo governador Riedel, da Lei do Pantanal e que cria o Fundo Estadual de Desenvolvimento Sustentável deste bioma. Construída em um amplo processo de consenso e equilíbrio, pela primeira vez na história do estado de Mato Grosso do Sul, criou-se uma lei proativa de proteção de um bioma que tem mais de 84% da sua área preservada, regulando seu uso sustentável pela pecuária e valorizando seu ativo ambiental.

Reitor da UEMS, Laércio de Carvalho (dir.) e Reitor da UFGD, Jones Goettert (esq.), ladeando a Ministra de Estado, Marina Silva.

As fotos são de Saul Schramm. Texto publicado por Comunicação do Governo MS e edição da DCS/UEMS. Katiuscia Fernandes e Rubens Urue.

Pular para o conteúdo