Exército na fronteira é forma de garantir segurança, afirma ministro

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on print

oiapoque-grande-11Raul Jungmann afirmou que região terá prioridade ano que vem

Por RODOLFO CÉSAR*

A atuação do Exército na faixa de fronteira foi indicada pelo ministro da Defesa Raul Jungmann como solução para a fragilidade da região. Hoje ele viajou até Corumbá, que faz divisa com a Bolívia. Ontem (17), Jungmann foi a Dourados e Campo Grande.

Ele reafirmou que a implantação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron) deve garantir mais segurança, mas esse prioridade ficou para o ano que vem.

“Acho que nós temos que querer mais e querer mais para mim é, sobretudo, implantar de forma definitiva o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron)”, disse em entrevista coletiva, onde o site Diário Corumbaense participou.

O Sisfron atualmente funciona de forma parcial e depende de investimentos para sua completa efetivação. “Em Ponta Porã ele já existe, já tem equipamentos suficientes. Para 2017, eu coloco como prioridade a ampliação dos recursos para que a gente possa dar passos largos na implantação definitiva do Sisfron”, afirmou o ministro.

Jungmann reconheceu que falta mais verba para garantir a segurança na região de fronteira. “Essa imensidão que temos aqui de fronteira, mais de dois mil quilômetros que temos que estabelecer fiscalização e monitoramento, evidentemente que pede mais recursos, mas isso depende do Congresso Nacional.”

A presença dele no Estado aconteceu por conta da realização da Operação Ágata, que foi iniciada em 13 de junho.

Legenda: Militares do Exército durante Operação Ágata, que acontece na fronteira – Foto: Gilberto Alves / Ministério da Defesa