Clube de Imprensa

Hospital Cassems de Campo Grande realiza roda de conversa sobre ISTs

Realizado pela Cipa, o bate papo debateu, de forma leve, comportamentos vulneráveis nesta época de festividades.

Realizado pela Cipa, o bate papo debateu, de forma leve, comportamentos vulneráveis nesta época de festividades.

Por – Gustavo de Deus
Foto: Messias Ferreira

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) do Hospital Cassems de Campo Grande realizou, na manhã desta sexta-feira (09), uma roda de conversa para debater as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). A data, primeiro dia de Carnaval, foi escolhida com intuito de prevenir e alertar sobre a necessidade de proteção durante as festas.

Com o tema “Comportamentos Vulneráveis e Transmissão de ISTs”, as infectologistas Márcia Dal Fabro e Lis Regina Calixto, que fazem parte do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Cassems de Campo Grande, falaram como essas infecções são transmitidas e, principalmente, quais os meios mais seguros de proteção.

Márcia salienta que, devido aos excessos, o Carnaval é uma época propícia para descuido dos métodos de prevenção.

“Hoje, nós falamos sobre a prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis, aproveitando que o Carnaval já chegou e precisamos falar sobre isso com os profissionais do hospital. É justamente no Carnaval que as pessoas saem bastante, vão para festas e podem falhar na prevenção e na proteção. Nessa época, temos um aumento considerável de ISTs. Nós falamos com as equipes para relembrar e reforçar a prevenção nesse período, que é o cuidado nas relações sexuais, reforçar o uso do preservativo e, também, o cuidado no uso de bebidas alcoólicas e de outros entorpecentes porque dependendo do estado da pessoa ela pode descuidar da prevenção.”

Lis Regina conta que durante o período de Carnaval, acontece um grande aumento de casos de doenças como HIV e sífilis, daí a importância de falar sobre a prevenção.

“A gente sabe que no mês de fevereiro, durante o Carnaval, as pessoas viajam e se expõem mais durante as festas. Então, é um mês que a gente tenta reforçar os cuidados para prevenção de ISTs. Nessa época, a gente tem um aumento crescente nas notificações de doenças como HIV, Sífilis e Cancro, que são doenças preveníveis. A gente quer reforçar esse cuidado nesse mês em que o pessoal tira para realmente brincar, mas a gente quer que aconteça toda essa festa com consciência. Hoje, o nosso objetivo é orientar os profissionais de saúde que trabalham no hospital, para criar uma equipe mais concisa, até porque, é um assunto que ainda tem um misticismo e as pessoas têm medo e vergonha de falar sobre o assunto.”

Mariquinha Cristovão, enfermeira e integrante da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), destaca que a Comissão pensou no tema justamente pela importância de conscientizar as pessoas.

“Sabemos que se avizinha uma data superimportante que é o Carnaval e, conforme a folia vai aflorando, muitas das vezes a gente se distrai. Daí a gente pensou na necessidade de conscientizar as pessoas da importância da prevenção. É um momento de festa, de alegria, mas há a necessidade de haver uma prevenção, porque a não prevenção pode acarretar consequências muito drásticas para a saúde”

Natália Matos é enfermeira supervisora da UTI Pediátrica do Hospital Cassems de Campo Grande e, para ela, até mesmo os profissionais de saúde têm dúvidas sobre a prevenção das ISTs.

“A palestra foi muito boa, muito informativa porque, infelizmente, tem muitos profissionais de saúde que não conhecem os meios de transmissão, de prevenção e de como orientar seus familiares e amigos que, muitas vezes, vêm nos perguntar como se transmite. Então, essa roda de conversa é uma maneira de repassar as informações corretas para nossos familiares e amigos”.

Pular para o conteúdo